Crítica - The Darkest Hour (2011)

Realizado por Chris Gorak
Com Emile Hirsch, Olivia Thirlby, Max Minghella

Os filmes sobre invasões extraterrestres não costumam ser muito criativos, porque normalmente abordam os mesmos temas da mesma forma e sem lhes acrescentar nenhuma reviravolta ou novidade, no entanto, somos ocasionalmente confrontados com um filme de excelência que não segue essa cansativa estrutura e que aborda esta temática sci-fi com alguma criatividade e intensidade. Infelizmente, The Darkest Hour” não é um desses filmes, muito pelo contrário, é um autêntico desfile de clichés e banalidades que deve ser encarado como uma afronta aos blockbusters de ficção-científica. A história deste “The Darkest Hour” desenrola-se em Moscovo (Rússia), onde dois jovens cidadãos norte-americanos são surpreendidos por um violento e devastador ataque extraterrestre que destrói a cidade. Os dois norte-americanos aliam-se entretanto a três russos para tentaram sobreviver às sucessivas investidas militares das maléficas criaturas alienígenas que destruíram meio mundo e transformaram Moscovo numa cidade deserta.


A extrema mediocridade de “The Darkest Hour” resulta da conjugação de uma série de fracos e sofríveis elementos que vão desde a sua leviana e desinteressante narrativa, até às suas terríveis cenas de acção que em nenhum momento nos conseguem cativar ou entusiasmar, muito por culpa dos seus péssimos efeitos visuais e da sua ridícula construção/ estruturação. O talentoso e conceituado Emile Hirsch também não nos maravilha com este seu novo trabalho, mas a sua fraca performance é muito mais satisfatória que a dos restantes actores que formam o desenxabido elenco desta igualmente desenxabida obra. Em suma, Chris Gorak montou um desinteressantíssimo filme de ficção-científica que, ao longo dos seus penosos noventa minutos de duração, oferece-nos uma história cheia de clichés e um desastroso e barulhento festival de destruição e devastação que faz “Transformers: Revenge of the Fallen” (2009) parecer um excelente filme.

Classificação – 1 Estrela Em 5

4 comentários:

  1. 1 estrela?
    ainda não o vi e já estou desmotivado.
    pena nos cinemas próximos de casa só haver em 3D, o que absolutamente contra.

    ver o filme a colar nos olhos e as legendas ao fundo do túnel, com as telas que temos.
    amazing mesmo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O filme é muito bom, eu recomendo, acabei de vê-lo!

      Eliminar
  2. Pessimo critico! Aliás, todos são! O que é preciso pra ser crítico? É só criticar o que vc não sabe fazer! Esse é do tipo que critica tudo .. virgem, nerd ... gordo... espinhas ... o basicamente sem vida, HATER ALHEIO ... o filme é péssimo mesmo ... realmente ... mas, Revenge of the Fallen é um bom filme, principalmente pra qm cresceu assistindo os desenhos e é fã de transformers em geral ... Não é o um filme maravilhoso, mas também, não é o caso de se usar como exemplo IRONICO, para debochar de uma obra ruim!
    Deixa eu matar uma curiosidade minha ... qual filme vc diria que é bom?

    Sentar essa burda gorda, espinhuda e virgem, e distribuir criticas pra tudo, é facil né? Ter o Knowhow, o equipamento, o espaço, os contatos, pra produzir algo, e ainda, GANHAR MUITO DINHEIRO pra isso, vc não tem né? Me admira essa autoridade e propriedade como uma pessoa como vc pode criticar algo, e TENTAR formar opiniões... porra, vai ver o mundo la fora vai .. é maior q seu computador e o espacinho que lhe foi dado pra escrever baboseiras!

    ResponderEliminar
  3. Péssima critica, só lembrando admin, que criticar não é falar mal do filme, é apontar os pontos positivos e negativos, se não sabe fazer isto eu recomendo que pare com as criticas ^^

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana

Membro Oficial

Membro Oficial