Pérolas Indie - Coriolanus (2011)

Realizado por Ralph Fiennes
Com Ralph Fiennes, Vanessa Redgrave, Gerard Butler
Género – Thriller

Sinopse - Caius Martius Coriolano (Ralph Fiennes) é um reverenciado e temido general romano que entra em conflito com a cidade de Roma e com os seus concidadãos. Pressionado pela sua mãe, ambiciosa e controladora, Volumnia (Vanessa Redgrave), a procurar a cobiçada e poderosa posição de Cônsul, ele está relutante em insinuar-se junto às massas, cujos votos necessita para assegurar o cargo. Quando o povo se recusa a apoiá-lo, a raiva de Coriolano gera um motim que culmina na sua expulsão de Roma. O herói banido alia-se então ao seu jurado inimigo Tullus Aufidius (Gerard Butler) para se vingar da cidade que o desprezou.

Crítica – O filme de estreia de Ralph Fiennes como realizador exige bastante do espectador, quer a nível intelectual quer a nível emocional, não devendo por isso ser visto de ânimo leve. A sua história é baseada numa das peças/ tragédias mais complexas e opacas de William Shakespeare, exigindo por isso um grande nível de concentração a quem o veja porque entre majestosos diálogos em inglês clássico e conturbadas cenas de batalha, Fiennes explora habilmente a grande maioria dos temas políticos e sociológicos que foram abordados por Shakespeare no seu homónimo trabalho literário. É verdade que “Coriolanus” é um filme algo difícil de assimilar, mas o seu olhar sagaz sobre a vingança, a ganancia, a opressão ou o despotismo é simplesmente maravilhoso e surpreendentemente actual. A luta de Caius Martius Coriolano por poder e posteriormente por vingança é acompanhada por um perigoso jogo de lealdades e traições que envolve os seus familiares, aliados e rivais que se aproveitam dos seus desejos e ambições para tentarem obter aquilo que sempre desejaram, mostrando assim o inerente individualismo dos humanos que também salta à vista quando Coriolano coloca os seus interesses e necessidades à frente das dos revoltosos habitantes de Roma, uma cidade que nesta versão actual parece resultar de um cruzamento entre Bagdad e Damasco.
O orgulho e a arrogância do General Coriolano acaba por precipitar a sua queda, mas também move a sua sede de vingança contra os cidadãos que oprimiu e que justamente recusaram as suas pretensões ditatoriais, algo que ele não aceita e que o leva a aliar-se ao seu maior inimigo. É difícil de sentir alguma empatia por Coriolano, um ditador obcecado pelo militarismo que não se importa de impor um bloqueio de alimentos e liberdades aos cidadãos da cidade que administra, enquanto a sua família dispõem de todas as riquezas possíveis e imaginárias, no entanto, é interessante seguir a sua progressiva queda e tentativa de ascensão militar pela força. Ralph Fiennes tem um bom trabalho como realizador e um ainda melhor como guionista e actor principal desta obra que conta ainda com um elenco secundário de luxo, onde se destacam os veteranos Vanessa Redgrave e Brian Cox. Jessica Chastain está um bocado apagada como a esposa do General Coriolano, mas o actor mais deslocado é mesmo Gerard Butler que se perde no meio dos diálogos arcaicos e de tantos actores de renome. “Coriolanus” não é nem foi feito para ser um “crowd pleaser”, é sim uma excelente e moderna adaptação cinematográfica de um dos maiores clássicos literários de William Shakespeare que, tal como essa valorosa e clássica obra, explora uma série de temas interessantíssimos e leva-nos numa viagem de amor/ ódio pela mente de uma personagem completíssima.

Classificação – 4 Estrelas Em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana

Membro Oficial

Membro Oficial