Crítica - The Five-Year Engagement (2012)

Realizado por Nicholas Stoller
Com Emily Blunt, Jason Segel, Rhys Ifans

O criativo trio formado por Jason Segel, Judd Apatow e Nicholas Stoller uniu novamente esforços para criar este "The Five-Year Engagement”, uma comédia razoavelmente cativante e divertida que não fica muito atrás das suas últimas colaborações – “Get Him to the Greek (2010) ou “Forgetting Sarah Marshall” (2008) - e que, ao contrário da grande maioria dos filmes norte-americanos do género, mostra-nos o que acontece após o clímax da fase de namoro de um casal aparentemente perfeito que agora terá que lutar contra várias adversidades para conseguir manter vivo o seu amor. "The Five-Year Engagement” conta-nos portanto a história do interminável noivado de Tom e Violet (Jason Segel e Emily Blunt), um adorável casal que decide oficializar a sua união e o seu amor com uma divertida festa de casamento. Os preparativos estavam bem encaminhados, mas Violet recebe subitamente uma irrecusável proposta de trabalho que força o casal a adiar a data do casamento e a mudar-se para uma nova cidade. Os dois pensam que este é apenas um adiamento temporário, mas estão prestes a descobrir que esta drástica mudança de vida vai afasta-los cada vez mais do seu grande objetivo.


A história de "The Five-Year Engagement” resulta de um conceito bastante interessante que, em última análise, não foi aproveitado ao máximo por Jason Segel e Nicholas Stoller. Estes dois talentosos guionistas até conseguiram criar um argumento sólido e algo cativante com várias sequências divertidas e afetuosas, mas cometeram o erro crasso de complicar em demasia algo que teoricamente deveria ser o mais simples e apelativo possível. Esta sua grave falha traduziu-se numa trama satisfatória, mas ocasionalmente frustrante e entediante que se arrasta, sem nenhuma necessidade, por mais de duas horas. A análise feita aos altos e baixos do relacionamento entre Tom e Violet é obviamente afetada pela excessiva duração do filme e pela estranha obsessão que Segel e Stoller têm por pormenores ridículos e desnecessários, mas pelo menos consegue explorar as dificuldades da vida e das decisões a dois com muita imaginação e qualidade e sem recorrer ao uso excessivo de clichés. A par de uma equilibrada vertente romântica, “The Five Year Engagement” também nos brinda com algumas cenas de humor bastante adultas e criativas que envolvem, na esmagadora maioria dos casos, as personagens de Segel e Chris Pratt. Uma das grandes mais-valias desta comédia é o seu consistente elenco que não tem nenhum elo fraco, mas que tem pelo menos três elos fortes. Jason Segel e Emily Blunt são os líderes indiscutíveis deste filme e exibem uma forte química no grande ecrã que ajuda a credibilizar as suas personagens e a sua atribulada história de noivado. Chris Pratt também está muito engraçado como o inapropriado melhor amigo de Tom. Se tivermos em conta o vasto universo das comédias românticas norte-americanas, “The Five Year Engagement” não pode ser encarado como uma má aposta para um serão de cinema, porque cumpre quase todos os requisitos mínimos de uma comédia decente e satisfatória, muito embora seja demasiado longa e um bocado aborrecida. 

 Classificação – 3 Estrelas Em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana

Membro Oficial

Membro Oficial