Crítica - 21 Jump Street (2012)

Realizado por Chris Miller e Phil Lord
Com Channing Tatum, Dave Franco, Jonah Hill

A série criminal “21 Jump Street” gozou de algum sucesso mediático durante os quatro anos em que foi exibida pela FOX nos Estados Unidos da América, mas acabou por ser cancelada em 1991 devido a uma repentina quebra da sua popularidade e à aparente falta de disponibilidade da sua grande estrela (Johnny Depp) em protagonizar mais uma temporada, já que no horizonte de um jovem Johnny Depp já se começava a vislumbrar uma brilhante carreira na sétima arte. Esta decisão administrativa matou esta série, mas não encerrou em definitivo a Esquadra 21 Jump Street que volta a abrir as suas portas nesta divertida mas ocasionalmente ridícula adaptação cinematográfica, onde Channing Tatum e Jonah Hill dão vida a Jenko e Schmidt, dois jovens adultos que estão preparados para deixar para trás os traumas da adolescência. Os dois decidem tornar-se policias mas, após uma desastrosa primeira missão, são colocados na Jump Street, uma divisão secreta que se especializa em crimes cometidos por jovens. Eles são incumbidos de se infiltrarem num liceu e descobrirem quem é que está por detrás de um complicado esquema de tráfico e distribuição de droga.


O enredo deste “21 Jump Street” não é nada sério nem faz muito sentido, mas admito que me diverti bastante a ver esta cativante comédia de ação, que consegue compensar a sua incrível falta de coesão e credibilidade com algumas sequências hilariantes que fogem um pouco do imaturo e leviano humor sexual que encontramos na maioria das comédias norte-americanas. O sucesso destas abundantes e divertidas cenas de ação e comédia deriva sobretudo da forma como aproveitam a excentricidade e a forte amizade que une as duas personagens principais para entreter o espetador e mergulhá-lo numa aventura policial nitidamente absurda que, em última análise, não convence no plano narrativo mas satisfaz no plano cómico. A explosiva dupla Jonah Hill/Channing Tatum também tem uma importante quota de responsabilidade no sucesso cómico desta obra. Estes dois jovens atores em ascensão exibem uma impressionante química no grande ecrã e acabam por estar no meio das melhores e mais divertidas cenas deste filme, que conta também com dois cameos um pouco desapontantes de duas das maiores estrelas da série televisiva: Johnny Depp e Peter DeLuise. Em suma, “21 Jump Steet” é menos sério que a sua base televisiva mas é, ainda assim, uma agradável surpresa e uma boa aposta para um serão de cinema mais desmiolado e descontraído. 

Classificação - 3,5 Estrelas em 5

1 comentários:

  1. Assino por baixo.
    Foi uma interessante surpresa, apesar de ser um fã confesso dos trabalhos de Jonah Hill. Ri-me, com prazer, na tal química entre ambos e em diversas situações que foram acontecendo durante o filme. Não sei até que ponto é que o facto de o próprio Jonah ter escrito o argumento (ainda que a meias com Michael Bacall) não lhe dá este ar tão engraçado e divertido, mas seja de que maneira for, é sem dúvida uma película para desfrutar durante uma sessão "à meia tarde"!

    Obrigado e cumprimentos,
    Cláudio Pereira.

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana

Membro Oficial

Membro Oficial