Crítica - 4:44 – Last Day on Earth (2011)

Realizado por Abel Ferrara
Com Willem Dafoe, Natasha Lyonne, Shanyn Leigh

Se quer ver um filme artístico e/ou filosófico relativamente interessante sobre a morte ou o fim do mundo, então este “4:44 – Last Day on Earth” não é o filme ideal para si, porque estamos perante uma produção surpreendentemente estrambótica e entediante, que não tem um claro fio narrativo e que nunca nos faz pensar sobre o sentido ou a efemeridade da vida. A sua estranha história desenrola-se na véspera do derradeiro apocalipse global e centra-se num casal (Willem Dafoe e Shanyn Leigh), um ator e uma artista, que aceitaram o seu irremediável destino e aguardam agora, com uma aparente calma, o devastador evento que vai exterminar a humanidade. 
Esta obra de Abel Ferrara não é um clássico filme catástrofe ou um melodrama minimamente intelectual, emotivo e natural sobre o fim do mundo e da humanidade, é sim uma produção demasiado simplista e com pseudo-pretensões subjetivas e artísticas, que mergulha o espetador num profundo sentimento de tédio e indiferença que deriva diretamente do vazio intelectual, filosófico e emocional em que assenta a sua narrativa. É por isto que é praticamente impossível para o público relacionar-se com os dramas e últimos momentos das duas personagens centrais, porque estas raramente exteriorizam as suas emoções e preocupam-se mais em ter relações sexuais e em discutir assuntos triviais, do que em enfrentar o seu inevitável fim, assim sendo, ficamos apenas com a ideia que ambos entram nas suas últimas horas de vida com muitas questões por resolver mas conformados com o seu destino, no entanto, ficamos sem saber como é que eles se prepararam emocionalmente para o fim ou como é que o resto do mundo digeriu a noticia do apocalipse. A própria fonte deste evento apocalíptico também não é alvo de uma explicação clara e contundente, mas é dado a entender, pelos clips noticiosos que vão passando no background, que o Aquecimento Global está na base do desastre e que Al Gore tinha predito há uns anos atrás, que um desastre como este poderia acontecer se a humanidade não parasse de destruir o planeta. Para a estéril performance deste filme também contribuíram a distante e simbólica realização de Abel Ferrara e o trabalho ameno e nada carismático das duas estrelas do elenco - Willem Dafoe e Shanyn Leigh. A sua premissa parecia intrigante, mas “4:44 – Last Day on Earth” desilude com a sua história nada impressionante e com o seu entediante ambiente apocalíptico. 

 Classificação – 1,5 Estrelas em 5

1 comentários:

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial