Crítica - Accidental Love (2015)

Realizado por Stephen Greene
Com Jake Gyllenhaal, Jessica Biel, James Marsden

É difícil de associar o nome de David O. Russel, o realizador de obras tão consagradas como "The Fighter" (2010) ou "Silver Linnings Playbook" (2012), a um desastre tão grande como "Accidental Love" que, desde já, assume a desonrosa classificação de pior filme da ilustre carreira do cineasta, mas também das ilustres carreiras de atores tão competentes como Jake Gyllenhaal ou Catherine Keener que, infelizmente, não conseguiram retirar o seu nome deste projeto ou então assinar as suas performances com um pseudónimo como fez e bem o realizador de “American Hustle” (2013). É claro que o cineasta não deixou de assinar e assumir com o seu nome próprio este projeto por causa da sua diminuta qualidade. É importante esclarecer desde já que Russel só se recusa, até hoje, a assumir "Accidental Love" como um filme seu porque, na verdade, pouco do seu trabalho original deve restar num resultado final verdadeiramente fraco que foi terminado e emendado por outros responsáveis que, acredito, fizeram o melhor que podiam com o grande desastre que tinham nas mãos. Mas como é que "Accidental Love" se tornou numa desgraça tão grande que até chega a ser considerado por muitos como o pior filme da mediana carreira da mediana atriz Jessica Biel?
Este conturbado projeto nasceu em Abril de 2008 e, após vários percalços, sofreu vários atrasos de produção devido a problemas financeiros, problemas jurídicos, desistências de protagonistas e de elementos da equipa de produção e, claro está, múltiplas divergências criativas que, no final, levaram David O. Russel a saltar fora do projeto já em 2010, isto após já vários adiamentos. Estes problemas não desanimaram a JAM Media que, após ter investido quase vinte cinco milhões de dólares no filme, queria acabá-lo e lançá-lo nos cinemas e, por isso, contratou um realizador substituto que, com o que tinha, refilmou, editou e emendou o máximo que podia e entregou o resultado final que, em 2015, chegou finalmente às salas de cinema sob uma enorme onda de críticas negativas que se compreendem atendendo ao péssimo exemplo cinematográfico que é esta pobre comédia. 
A única pessoa que parece satisfeita com o filme é, segundo se percebe por várias entrevistas, a atriz Jessica Biel que assume em "Accidental Love" o papel de uma empregada de um restaurante de fast food numa pequena cidade do interior americano que sofre um acidente e fica com um prego enfiado no cérebro que, apesar de não lhe causar implicações diretas na sua sobrevivência, tem que ser retirado porque lhe causa alterações de comportamento graves. Para resolver esta situação, a jovem viaja até Washington para tentar encontrar uma forma de conseguir reunir dinheiro para fazer a operação de remoção do objeto. Era suposto que a história de "Accidental Love" funcionasse como uma espécie de sátira aos problemas do Serviço de Saúde e dos Seguros de Saúde nos Estados Unidos da América, mas o que começou por ser uma original ideia para uma comédia romântica por parte de Kristin Gore, a filha de Al Gore, acabou por se transformar numa comédia idiota e sem sentido de humor que, para além de estar muito mal feita e coordenada, apresenta ainda uma completa ausência de bom gosto e imaginação. Ao todo, "Accidental Love" demorou sete anos a ser completado, mas perante tanta mediocridade mais valia nem ter sido lançado, poupando assim uma mancha nos ilustres currículos de David O. Russel ou Jake Gyllenhaal, mas também uma experiência cinematográfica dolorosa a todos aqueles que se atrevem a visionar tamanha mediocridade.

Classificação - 0,5 Estrelas em 5

2 comentários:

  1. Pelo poster parece péssimo. Mas a crítica também... Podes explicar agora porque é que é mau, dar uns motivos...? Não estou a dizer que o filme não é mau, é óbvio que é, mas a porra da crítica carece de... crítica em si.

    ResponderEliminar
  2. Ora bem! Eu é até que dava uma opinião. Mas, infelizmente, não posso. E porquê? Porque cheguei a meio do filme e desisti de ver, tal era a magnificência do filme, o qual demorou sete anos a ser completado! ;)

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial