A Verdadeira História Por Detrás de Mulher de Ouro/ Woman in Gold

Estreia a 4 de Junho em Portugal o drama "Mulher de Ouro"/ "Woman in Gold". Este filme, que pode ser descrito como uma mistura entre um drama jurídico e um drama familiar, explora a história real de Maria Altmann, uma senhora judia que se refugiou nos Estados Unidos da América após ter fugido da Europa durante a 2ª Guerra Mundial. Já na parte final da sua vida, Altmann iniciou uma grande batalha legal contra o Governo Austríaco para reaver um quadro do pintor Gustav Klimt chamado "Portrait of Adele Bloch-Bauer I" que, como o próprio nome indica, é um retrato de Adele Bloch-Bauer, tia de Altmann, que recebeu o quadro das mãos do próprio pintor que era também um dos seus melhores amigos. Esse icónico quadro, que foi terminado por Klimt em 1907, ficou na posse da família de Bloch-Bauer mesmo após a sua morte em 1925, mas em 1938, quando a Alemanha Nazi anexou a Áustria, o referido quadro foi apropriado pelo Governo Nazi juntamente com outras peças de arte pertencentes aos herdeiros e descendentes de Bloch-Bauer que, por serem judeus, foram obrigados de fugir da Áustria devido à perseguição anti-semita levada a cabo pelos Nazis liderados por Adolf Hitler que, entre outras tantas atrocidades, confiscaram durante a 2ª Guerra Mundial um elevado património cultural das famílias judias residentes nos países anexados pela Alemanha Nazi. 
Quando a Guerra terminou o quadro pintado por Klimt ficou na posse do novo e livre Governo Austríaco, apesar das insistências dos herdeiros de Bloch-Bauer que sempre reclamaram a posse da obra, tendo utilizado como argumento a favor desta pretensão um testamento escrito pelo marido e herdeiro direto de Bloch-Bauer que, antes de morrer em 1945, expressou a sua vontade de deixar em herança os direitos sob o icónico quadro e outras obras patrimoniais aos sobrinhos e descendentes de Bloch-Bauer. Entre esses herdeiros estava Maria Altmann, que em 2000 iniciou uma longa batalha legal contra o Governo Austiaco para reaver o quadro. Esta batalha só terminou em 2004 com uma decisão do Supremo Tribunal de Justiça dos Estados Unidos da América que, por fim, colocou um ponto final nesta longa disputa. Os eventos desta guerra jurídica são agora retratados em "Mulher de Ouro", um drama que estreou no Festival de Berlim e que nos apresenta uma bela performance da consagrada atriz Helen Mirren na pele da aguerrida Maria Altmann.

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial