Os 24 Candidatos Aos Óscares - 3ª Parte

As nomeações aos Óscares 2016 só serão divulgadas em Janeiro, mas entre a extensa lista de filmes já estreados ou que ainda irão estrear nos Estrados Unidos da América já conseguimos filtrar aqueles que têm mais hipóteses de conquistar as principais estatuetas da 7ª Arte e realizar um excelente percurso na restante época de prémios. A terceira parte foca-se nos projetos de cariz independente com mais hipóteses de disputarem a presença na lista de nomeações aos Óscares.

Room

Por ter sido o Filme Sensação do Festival de Toronto 2015, "Room" conquistou o justo direito de ser considerado pela imprensa e público como um dos candidatos aos Óscares. A sua nomeação aos Óscares de Melhor Filme, Realização ou Argumento Adaptado é extremamente improvável, mas não é nada descabido apostar numa nomeação da atriz Brie Larson ao Óscar de Melhor Atriz, já que a jovem atriz tem uma performance considerada fenomenal na pele de uma jovem mãe que vive sequestrada num quarto com o seu próprio filho e que, com a ajuda deste, tenta fugir ao seu perigoso captor. 

Macbeth

Um drama de época baseado numa das principais obras de William Shakespear tem sempre todo o potencial para chegar aos Óscares, mas embora "Macbeth" tenha do seu lado um claro potencial para surpreender e agradar ao público não me parece que a Academia possa distinguir esta obra com grandes honras, no entanto, existe a possibilidade forte de "Macbeth" conquistar o seu espaço nas categorias de Melhor Guarda-Roupa, Caracterização ou Direcção Artística.

Suffragette

A presença de um elenco femenino forte já confere a "Suffragette" uma forte possibilidade de chegar aos Óscares por via de uma nomeação nas categorias de Melhor Atriz e Atriz Secundária. É complicado para esta obra de Sarah Gavron ambicionar a mais qualquer coisa, até porque as opiniões de quem já o viu não são as mais consensuais, mas quem sabe se esta história sobre as origens do voto feminino no Reino Unido não podem também chegar a Óscares mais técnicos.

Brooklyn

Este drama romântico protagonizado por uma mais madura Saoirse Ronan já conquistou a crítica americana, mas parece que a Academia será mais complicada de convencer. "Brooklyn" tem potencial para arranhar nomeações nas categorias de Melhor Atriz (Saoirse Ronan), Melhor Filme ou Melhor Argumento Adaptado, mas poderá ser vítima da forte concorrência nestas categorias e acabar assim por nem conquistar uma simples nomeação de relevo.

Freeheld 

Em 2014 muitos viam "Freeheld" com potencial para se tornar num dos principais filmes de 2015, mas as suas primeiras exibições trouxeram críticas medianas que varreram esta obra do topo das preferências do público e imprensa. Embora já afastado das principais lutas, "Freeheld" poderá fazer-se ouvir nas categorias de representação por intermédio de Ellen Page ou, sobretudo,  Julianne Moore, que poderá assim repetir a façanha de "Still Alice" e conquistar mais uma nomeação num filme mediano, só que desta vez uma possível vitória é muito mais improvável. 

Youth

O novo projeto do consagrado cineasta italiano Paolo Sorrentino tem alma americana e poderá intrometer-se sem problemas na luta pelos Óscares. Já passou por vários festivais de cinema, como Cannes ou Toronto, onde arrancou elogios atrás de elogios da imprensa e público, que vêm potencial  para voos mais altos neste tocante drama sobre a velhice. A elogiada performance principal do veterano Michael Caine poderá merecer uma nomeação ao Óscar de Melhor Ator Principal, mas ainda assim é complicado de antever possibilidades mais concretas e sérias para esta obra.

Son of Saul

Se passar a fase das pré-nomeações ao Óscar de Melhor Estrangeiro, "Son of Saul" será certamente o principal candidato à vitória final, afinal de contas este drama húngaro sobre o holocausto surpreendeu o Festival de Cannes e é apontado, juntamente com a trilogia portuguesa "As Mil e Uma Noites", como uma das melhores produções europeias de 2015. Para além do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, "Son of Saul" poderá também ambicionar, com um pouco de sorte, aos Óscares de Melhor Argumento Original e Edição de Som.

Trumbo

A cinebiografia do polémico guionista Dalton Trumbo não é um daqueles filmes que estão no topo das preferências dos críticos, mas a sua extravagância natural aliada à performance central muito elogiada de Bryan Cranston poderão torná-lo numa surpresa, sendo no entanto impossível, para já, de o colocar como sério candidato em qualquer categoria. 

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial