Pérolas Indie - Rurouni Kenshin: Kyoto Fire & The Legend Ends (2014)


Realizado por Keishi Ohtomo 
Com Tatsuya Fujiwara, Takeru Satô 
Género - Ação

Sinopse - O passado de Kenshin (Takeru Satô) ainda consegue atormentar os seus pesadelos, mas ele começa a reencontrar a felicidade perdida junto dos seus novos amigos, mas agora Kenshin terá que recuperar a força do passado para enfrentar um temível novo inimigo e guerreiro de calibre chamado Makoto Shishio (Tatsuya Fujiwara).

Crítica- Tal como o primeiro "Ruroni Kenshin", a consagrada e popular adaptação cinematográfica live-action da primeira parte do anime "Samurai X"/ "Ruroni Kenshin", os seus dois capítulos subsequentes, "Ruroni Kenshin: Kyoto Fire" e "Ruroni Kenshin:  The Legend Ends", são um brilhante exemplo de qualidade e mestria no que toca à correta adaptação para o cinema de um popular anime que, quer em Portugal quer no Brasil, conquistou milhares de fãs nos Anos 90. Fiel à sua ilustre base literária e televisiva, "Rurouni Kenshin: Kyoto Fire" e  "Rurouni Kenshin:  The Legend Ends" devem ser encarados e vistos como um único mega projeto, já que ambos exploram, com muita substância e criatividade à mistura, aquele que é o arco mais conhecido das aventuras do imbatível samurai Kenshin Himura, ou seja, o Arco de Makoto Shishio, onde o nosso simpático herói tem que enfrentar o seu passado e o seu presente quando entra em confronto com Makoto Shishio, um guerreiro de calibre semelhante ao seu que tem planos muito negros para o futuro do Japão.
Esta mega produção, que foi sabiamente divida pelos seus responsáveis em duas partes para assim explorar com o devido respeito e com o máximo de pormenor possível esta tão atrativa e curiosa jornada de Kenshin, apresenta aos fãs do anime tudo aquilo que estes poderiam esperar, ou seja, todo o Arco de Makoto Shishio é explorado com um pormenor satisfatório e uma proximidade incrível a trama que, originalmente, apareceu retratada no homónimo mangá criado por Nobuhiro Watsuki e, posteriormente, no consagrado anime que popularizou em todo o mundo o seu já icónico protagonista.
A sua trama é portanto muito competente em todos os aspectos, sendo que só posso começar por elogiar a forma hábil e cuidada como explora a luta entre o Bem e o Mal que são, respetivamente, representados por Kenshin e Shishio, duas personagens sabiamente desenvolvidas e extremamente carismáticas, cuja enorme rivalidade e eventual confronto final tornam esta produção em algo muito especial de acompanhar. Esta aliciante rivalidade dicotómica tanto presenteia o espectador com uma saborosa e viciante dose de ação e aventura repleta de sequências de ação centrais e secundárias de enorme qualidade, como consegue deixar qualquer um deleitado com certas sequências de elevada carga dramática onde são exploradas as complexas diferenças e as polivalências humanas de ambos os lados. 
É claro que os fãs de "Samurai X" vão sentir e viver este filme com muita mais ardor porque já conhecem a história e sabem o que podem esperar dela, especialmente sendo tão bem retratada como é aqui, mas até aqueles que pouco conhecem o anime ou a banda desenhada não deixarão de sentir uma clara atração por esta divertida e bem constituída mega produção nipónica que, para mim, consegue destacar-se como um nobre exemplo das adaptações cinematográficas de animes, mas também como um exemplo perfeito de um filme de ação e aventura bem feito e ritmado que, por ser tão equilibrado, nunca se torna aborrecido.
Não é só graças à rivalidade entre Kenshin e Shishio que "Rurouni Kenshin: Kyoto Fire" e "Rurouni Kenshin:  The Legend Ends" se destacam com uma nota tão positiva, já que ambos desenvolvem uma história completa e polivalente que é habilmente retratada e contextualizada desde o início até ao fim, sendo de destacar portanto a sua versatilidade temática, já que para além da dicotomia entre o Bem e o Mal, são explorados temas tão dispares, como as vinganças humanas, as revoluções políticas, o crescimento pessoal ou a redenção do passado. Tal versatilidade do ponto de vista narrativo promove a criação de variados pontos equilibrados de ação, diversão, drama e até romance que nem sempre têm como protagonistas os dois cabeças de série, já que esta obra conta ainda com a preciosa presença de um vasto e luxuoso elenco de personagens secundárias muito carismáticas que, sejam elas vilões ou heróis, ajudam a tornar esta mega produção em algo muito completo que vale a pena ver.
No aspecto técnico,  "Rurouni Kenshin: Kyoto Fire" e "Rurouni Kenshin:  The Legend Ends" não têm aquele primor técnico e visual das mega produções de Hollywood, mas se tivermos em conta que estamos a falar de uma produção japonesa com recursos financeiros inferiores a esses exemplos bem mais caros, então só podemos aplaudir e dar os parabéns ao trabalho do seu realizador e demais responsáveis, já que todo o seu ambiente representativo e as suas tão importantes sequências de ação apresentam uma qualidade acima da média que honra o brilhantismo do anime, algo que, importa referir, já tinha ficado patente no elogiado primeiro filme desta saga. Não há dúvida que "Rurouni Kenshin: Kyoto Fire" e "Rurouni Kenshin:  The Legend Ends" valem a pena e devem fazer parte da lista de experiências cinematográficas de qualquer fã de "Samurai X", mas mesmo num espectro cinematográfico mais generalista, esta mega produção tem valor suficiente para entreter qualquer espectador graças à sua notável apresentação. A Não Perder!

Classificação - 5 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial