Polémica em Hollywood: Gods of Egypt Demasiado Branco?

Já se esperava tal reação, especialmente após "Exodus: Gods and Kings" ter sofrido ataques semelhantes. O blockbuster "Gods of Egypt", a maior aposta comercial da Lionsgate para 2016, está a ser muito criticada por ter uma dose exagerada de atores caucasianos no seu elenco. Tal reação parece exagerada, mas convém relembrar que "Gods of Egypt" é um filme de fantasia que se passa no Antigo Egito, onde os caucasianos não abundavam. A verdade é que alheio a este facto, "Gods of Egypt" tem no seu elenco muitos atores brancos, aliás quase todos os principais papéis do filme são interpretados por atores caucasianos, sendo que Nikolaj Coster-Waldau até é nórdico, ou seja, o mais caucasiano dos caucasianos. 
O seu estúdio e o seu realizador, Alex Proyas, já vieram a publico admitir que, efetivamente, "Gods of Egypt" abusou um pouco na contratação de caucasianos e admitiram, resumidamente, que tais atores não representam com fidelidade as características raciais do povo egípcio ou os retratos que estes faziam dos seus deuses. As duas partes fizeram mea culpa e prometeram que no futuro tudo farão para respeitarem a diversidade e o realismo na altura de escolherem um elenco para os seus respetivos filmes. Mas nem todos pensam como a Lionsgate e já várias vozes vieram público dizer que esta polémica é um excesso. Tais vozes defendem que se a Lionsgate tivesse contratado atores desconhecidos em prol do realismo, "Gods of Egypt" seria um fracasso anunciado que ninguém queria ver e que, por isso, um elenco demasiado caucasiano mas ilustre até é o mal menor.

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial