Crítica - Fathers & Daughters (2015)

Realizado por Gabriele Muccino
Com Russell Crowe, Amanda Seyfried, Aaron Paul

O género de melodrama vulgar e insuportável que todos nós tentamos evitar. Nem mesmo a prestação do sempre profissional Russell Crowe se salva perante as garras negativas de uma obra que nasceu para comover, mas que apenas acaba por irritar.  É desta forma que melhor se descreve "Fathers & Daughters", um projeto confuso e nada equilibrado que parece atirar para o ar vários estereótipos banais na esperança fútil de que estes, em conjunto, formem uma comovente história de amor entre pai e filha. 
Escusado será dizer que o resultado é tudo menos comovente ou interessante. Embora seja evidente o esforço promovido, em claro exagero, pelos seus responsáveis para lhe conferirem um forte tom dramático, "Fathers & Daughters" acaba por desperdiçar todo este seu ímpeto dramático numa história emocionalmente emaranhada e muito mal construída. É perante as falhas de um argumento inconsequente e sem qualquer sentido que esta obra acaba por cair com estrondo. O exagero dramático não ajuda é claro, mas é a complexa falta de lógica da sua história que desmotiva e irrita qualquer um. É porque nada em "Fathers & Daughters" parece credível ou verdadeiramente sentido. E só isto já diz muito sobre a capacidade que este drama familiar demonstra na hora de cumprir os seus inglórios objetivos...

Classificação - 1 Estrela em 5


0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial