Os Perigos, As Excentricidades e As Histórias Bizarras do Pokemon Go

O Pokemon Go chegou em força ao Planeta, tanto é que nas primeiras semanas de funcionamento já provocou milhões de situações caricatas em todo o mundo, incluíndo Portugal. A história mais mediática e insólita aconteceu no Central Park em Nova Iorque, onde centenas de jogadores reuniram-se para tentar apanhar um Pokemon raro que se encontrava no local. Escusado será dizer que este pequeno ajuntamento culminou em muitas exaltações e confrontos. Este não é caso único. Em outros países já se registaram agressões e até ameaças de morte por culpa do jogo do momento. Mas é nos Estados Unidos da América onde se registam mais atos de violência e abusos. Neste país dois jogadores de Pokemon Go quase que foram atingidos a tiro pelo proprietário de uma casa que pensava que os dois jovens, que tinham entrado no seu quintal sem autorização, eram ladrões. Uma jovem norte-americana também tropeçou num cadáver enquanto andava à procura de um Pokemon num parque de campismo onde passava férias. A estas histórias sérias juntam-se outras de cariz criminoso, já que um pouco por todo o mundo várias pessoas estão a aproveitar o Pokemon GO para burlar, assaltar e até violar jogadores. pelo que a polícia aconselha cautela a qualquer um que se aventure sozinho por terrenos desconhecidos.
Também em Portugal registaram-se algumas incidências caricatas, como o facto de um jornalista da SIC ter apanhado um Pokemon em direto. Há também notícias que dão conta de jogadores portugueses que fazem vários kilómetros para apanharem Pokémons, mas também de jogadores que passaram noites inteiras na rua à procura dos monstrinhos ou, então, que os foram tentar apanhar a sítios inusitados, como cemitérios. Para além de casos caricatos, bizarros ou excessivos, Portugal não tem sido palco, para já, de casos problemáticos como os que têm ocorrido nos Estados Unidos da América. Para além dos casos graves já registados têm-se verificado, um pouco por toda a Europa, Ásia e América, vários acidentes de viação provocados por distrações de condutores que estavam a jogar o Pokemon GO. Para já nenhum destes acidentes resultou em mortes. Às preocupações de segurança juntam-se também as preocupações de privacidade. Há notícias que dão conta que um casal terminou a sua relação por causa do Pokémon GO, isto porque a mulher descobriu que o seu companheiro tinha ido apanhar um Pokémon a casa da ex-namorada. Esta notícia levantou questões sobre a falta de segurança e privacidade da aplicação, isto após já terem existido relatos de acessos indevidos a emails e informações nos telemóveis. Também várias empresas e particulares têm-se queixado que o Pokemon GO retirou-lhes privacidade e paz, isto porque as suas casas, sedes ou locais de culto foram identificados pelo Pokemon Go como Pokemon Stops ou Ginásios, algo que chama a atenção, como é óbvio, de milhares de jogadores. Um dos casos mais graves aconteceu, outra vez, nos Estados Unidos da América, onde um Hospital Pediátrico foi forçado a reforçar a segurança após descobrir que vários jogadores estavam a entrar em zonas privadas do estabelecimento para apanharem Pokemons, pondo assim em causa a segurança, privacidade e paz dos pacientes e dos próprios médicos. Há por isso que ter em conta os perigos do jogo mais popular do momento e há que saber jogá-lo. Não faça por exemplo como um jovem americano que quase interrompeu o parto da mulher para apanhar um Pidgey!


1 comentários:

  1. Quem lê este artigo pensará que o jogo é uma arma mortífera perigosa, pois aqui estão focados apenas os aspectos negativos. Estes casos aconteceram porque as pessoas não têm responsabilidade ou não têm noção do que fazem. O jogo tem muitos pontos positivos. Cabe a cada pessoa usa-lo como entender. Não devemos julgar a aplicação pelo mau uso que estes utilizadores lhe deram.

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial