Crítica - X-Men: Apocalypse (2016)

 Realizado por Bryan Singer
Com James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence

Já passaram cinco anos desde que o mundo inteiro teceu merecidos elogios a "X-Men: First Class", uma espécie de reboot da saga "X-Men" que conseguiu revitilizar todo o franchise devido à sua qualidade. A esta obra seguiram-se duas sequelas diretas, "X-Men: Days of Future Past" (2014), e "X-Men: Apocalypse" (2016), que, em conjunto, acabaram por deitar por terra todo o terreno positivo que o filme de 2011 trilhou. Por um lado, "X-Men: Days of Future Past" tentou dar continuidade ao trabalho do seu antecessor mantendo um estilo similar e até mais dramático, mas a sua estranha reta final deu a entender que o seu sucessor, "X-Men: Apocalypse", iria deitar por terra os esforços de revolução e iría obedecer à velha fórmula do franchise e dos filmes de heróis. As piores previsões concretizaram-se e "X-Men: Apocalypse" acabou por se revelar um filme de ação banal sem as boas ideias e itenções que moveram os seus dois antecessores.


Há nesta mega produção um certo regresso às origens comerciais da saga, já que a luta do Bem vs Mal assenta novamente na corporização dos dois sentimentos em heróis e vilões. Estamos portanto perante um típico filme de super heróis que continua a reescrever a história dos X-Men, mas desta vez o faz sem aquela noção de frescura, dinamismo e criatividade que pautou "X-Men: First Class". A luta dos heróis X-Men contra o vilão Apocalypse é banal e cansativa e nem mesmo a bipolaridade de Magneto ou de Mystic conseguem salvar desta vez esta entrega. A uma história demasiado focada numa ação sem valores e excessivamente libertina faltou uma maior dose de intuição dramática e narrativa. Para simplificar, X-Men: Apocalypse" carece de conteúdo e diversão. 
As suas expolisvas sequências de ação não são de todo suficientes para elevar o filme, como as  sequências do mesmo género da trilogia original "X-Men" não foram também suficientes para salvar  as suas entregas da mediocridade. Também não ajudou que "X-Men: Apocalypse" nos apresentasse as performances menos conseguidas até à data dos astros James McAvoy, Michael Fassbender e Jennifer Lawrence. Estes parecem já denotar estar fartos de interpretar os três heróis desta saga (Professor Xavier, Magneto e Mystic) e claro que este sentimento reflecte-se numa performance mais apagada que contrasta com o dinamismo de prestações anteriores. 
Embora "X-Men: Apocalypse" seja um flop comprovado parece haver esperança para o futuro da saga "X-Men", já que "Logan", o último filme a solo de Wolverine, parece ter potencial para surpreender como "Deadpool", mas claro está a um nível diferente. Poderá aliás ser com base na popularidade de "Deadpool" e nas expectativas de "Logan" que a saga "X-Men" poderá construir um novo recomeço.

Classifgicação - 2 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial