Vencedores e Rescaldo do LEFF 2016 e do Cinanima 2016

Já é conhecido o palmarés do Lisbon & Estoril Film Festival 2016. O júri desta edição, composto por Jerzy Skolimowski, Marthe Keller, Valentina Lodovini e André Saraiva, decidiu atribuiu o título de Melhor Filme Jaeger-LeCoultre da Secção Competitiva ao drama polaco "The Last Family", de Jan P. Matuszynski, que superou concorrentes com maior currículo nesta secção. Trata-se de um filme baseado na história verídica de Zdzislaw Beksinski, um pintor surrealista polaco, nascido em 1929, conhecido pelas suas obras distópicas e perturbadoras e pela influência da música clássica na sua rotina de trabalho. O cineasta Matuszynski venceu também o prémio de Melhor Realizador por esta obra que surpreendeu pela sua diferença. O Prémio Especial do Júri João Bénard da Costa foi entregue ao especial filme isrealita "Sand Storm", de Elite Zexer. A escolha do público recaiu sobre o thriller "Elle", de Paul Verhoeven, o candidato de França ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, que em breve chegará aos nossos cinemas e que saiu do LEFF com o rótulo reforçado de obra de qualidade. Já nas curtas-metragens, "The Sleeping Saint", da italiana Laura Samani, foi considerada a melhor curta do festival.
Uma vez mais, o LEFF trouxe dezenas de ilustres convidados a Lisboa. Foram vários os eventos e masterclasses onde cineastas, escritores, atores e outros artistas partilharam a sua sabedoria e talento com o público presente. Estes eventos voltaram a ser uma das partes principais do festival que, este ano, apostou também num reforço da qualidade cinematográfica com a apresentação de ainda mais antestreias de qualidade e obras europeias de elevado calibre. Ficaram na retina as apostas de Hollywood que passaram pelo LEFF, como por exemplo os filmes de abertura e encerramento, "O Herói de Hacksaw Ridge" e "Animais Noturnos", assim como o thriller "American Pastoral" ou "American Honey", mas também várias obras independentes de elevada qualidade provenientes da Europa e Ásia, como "Sand Storm", "Elle", "The Last Family" e "The Salesman". Haverá mais LEFF para o ano!


O grande vencedor do CINANIMA - Festival Internacional de Cinema de Animação de Espinho foi a animação russa “Entre as Ondas Negras”, uma história baseada na antiga lenda do Norte em que as almas de pessoas afogadas se transformam em focas. Esta obra de Anna Budanova primou, segundo o júri, pela qualidade e mereceu esta importante vitória. A curta portuguesa "Estilhaços", de José Miguel Ribeiro, venceu o Prémio Especial do Júri e o Prémio de Melhor Filme Português António Gaio, tal foi o impacto que este trabalho sobre a Guerra causou entre os jurados. A curta portuguesa “Fim de Linha”, de Paulo D’Alva e António Pinto, mereceu uma Menção Honrosa na Competição nacional.
O público do CINANIMA escolheu a curta-metragem francesa “A Mesa”, sobre um carpinteiro com um traço perfeccionista que vive obcecado com a ideia da criação do objeto perfeito, como o filme da sua preferência, e a sua realizadora, Eugène Boitsov, levou para casa, também, o Prémio Alves Costa para o Melhor Filme até cinco minutos. Nesta categoria, o Júri atribuiu, ainda, uma Menção Honrosa a “A Rua de Anfok”, de Zilai Feng (Estados Unidos). Por fim a longa-metragem vencedora desta competição, “Psiconautas, As Crianças Esquecidas”, de Alberto Vázquez e Pedro Rivero, veio de Espanha e conta a história de Birdboy e Dinky, dois adolescentes que decidem fugir de uma ilha devastada por uma catástrofe ecológica.
Foram centenas as animações que passaram por uma das maiores festas europeias de animação que, nesta sua quadragésima edição, voltou a espalhar qualidade, animação, diversão e personificação por Espinho, assumindo-se novamente como um dos festivais de cinema mais importantes do país e, acima de tudo, da região centro do país. Para o ano haverá mais CINANIMA com promessa de elevada qualidade!

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial