Crítica - Donkey Punch (2008)

Realizado por Oliver Blackburn
Com Sian Breckin, Nichola Burley, Jaime Winstone

Um grupo de jovens juntam-se num barco ao largo de Maiorca  para participarem numa festa recheada de álcool e sexo. Esta receita de irreverência termina em desastre e leva à desagregação emocional e social do grupo, cujos membros viram-se, agora, uns contra os outros para garantirem que não vão presos. À partida tal sinopse parece interessante, mas infelizmente esta breve premissa é bem mais interessante que o filme em si.
As infundadas promessas e previsões de jogos psicológicos, sequências violentas ou diálogos prometedores esbarram num enredo inconsequente sem qualquer dose de expectativa ou graciosidade emocional que não nos convence ou cativa a qualquer nível. Numa primeira fase até existe uma tímida tentativa de aliciar o espectador por via do ímpeto sexual e da expectativa na tragédia iminente, mas a partir do momento em que esta última se concretiza e conduz à desagregação do grupo, "Donkey Punch" torna-se insuportável. Um elenco juvenil fortemente incapaz também não ajudou à causa, mas repito que é por culpa do seu argumento falível e pouco inteligente que "Donkey Punch" não atinge, pelo menos, a mediocridade. É um thriller sexy como o poster promete? Nada disso...

Classificação - 2 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana

Membro Oficial

Membro Oficial