Crítica - ReAlive (2016)

Realizado por Mateo Gil 
Com Tom Hughes, Charlotte Le Bon, Oona Chaplin
Género - Sci-Fi

Sinopse - Max é um jovem designer está a morrer de cancro. A solução que encontra para sobreviver passa por congelar o seu corpo como parte do Projecto Lázaro. A experiência funciona e Max acorda em 2084, mas a sua segunda oportunidade é diferente do que ele imaginou.

Crítica - Vencedor do Grande Prémio da Competição de Cinema Fantástico do FantasPorto, “ReAlive” foi um dos títulos mais sérios e interessantes que passou pela Edição de 2017 deste famoso certame portuense. É certo que não estamos perante um dos verdadeiros destaques do festival, mas a atribuição do prémio justifica-se em pleno devido à sua forte competência narrativa e dramática.
Esta coprodução franco-espanhola espelha um complexo drama existencial e cientifico que joga, de uma forma muito interessante, com as temáticas da ressurreição e da imortalidade e, consequentemente, com as questões morais subjacentes a estes dois polémicos temas. No meio dos dilemas morais destes temas e da ficção cientifica latente está uma história de amor que escapa à banalidade e que ajuda a capitalizar e promover as suas polémicas bases intelectuais.
É certo que "ReAlive" não é desenvolvido de uma forma muito entusiasmante ou ritmada, não sendo por isso tão fértil em sequências de ação ou elementos de suspense, como aliás seria de esperar. Ainda assim, “ReaAlive” apresenta boas ideias e uma história muito interessante que compensa uma maior debilidade na hora de fornecer um entretenimento mais comercial ao espectador. O filme em si tem competentes valores de produção e um elenco minimamente capaz que ajudam, também, a cimentar um resultado final razoável, mas que poderia ser bem mais surpreendente e apelativo atendendo à sua polémica base moral. No fundo, "ReAlive" é um filme decente com boas ideias, mas um pouco mais de criatividade e risco por parte dos seus produtores poderiam ter elevado imenso uma obra que, no fundo, peca por uma simplicidade excessiva. 

Classificação - 3 Estrelas em 5

11 comentários:

  1. Alguem sabe o nome do filme de faroeste que passa nesse filme, pfv eh claro rs

    vlws flws =-0

    ResponderEliminar
  2. Muito interessante o filme. Ele deixa claro que viver o HOJE, o AQUI, o AGORA é mais importante do que qualquer outra coisa, pois você estará no comando e controle da sua vida - mesmo que, em determinados momentos, você chegue até a pensar o contrário. Por isso, as atitudes tomadas hoje - no presente - não terão volta num futuro, e aprender a lidar com as possíveis consequências das mesmas é uma das mensagens desse filme bastante reflexivo.

    ResponderEliminar
  3. Porcaria de filme, essa merda só tem senas de sexo uma após a outra deveria ser xxx, e dá mais sono que maracujá.

    ResponderEliminar
  4. Porcaria de filme, essa merda só tem senas de sexo uma após a outra deveria ser xxx, e dá mais sono que maracujá.

    ResponderEliminar
  5. Porcaria de filme, essa merda só tem senas de sexo uma após a outra deveria ser xxx, e dá mais sono que maracujá.

    ResponderEliminar
  6. Porcaria de filme, essa merda só tem senas de sexo uma após a outra deveria ser xxx, e dá mais sono que maracujá.

    ResponderEliminar
  7. Porcaria de filme, essa merda só tem senas de sexo uma após a outra deveria ser xxx, e dá mais sono que maracujá.

    ResponderEliminar
  8. Porcaria de filme, essa merda só tem senas de sexo uma após a outra deveria ser xxx, e dá mais sono que maracujá.

    ResponderEliminar
  9. Porcaria de filme, essa merda só tem senas de sexo uma após a outra deveria ser xxx, e dá mais sono que maracujá.

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica em Destaque

Membro Oficial

Membro Oficial