Pérolas Indie - Sol de Chumbo (2015)

Realizado por Dalibor Matanic
Com Stipe Radoja, Tihana Lazovic, Dado Cosic
Género - Drama

Sinopse - Três histórias de amor nos Balcãs, em três décadas consecutivas. Na primeira história, passada em 1991, uma ligação romântica é forçada à clandestinidade quando o amor se torna num luxo proibido numa atmosfera de pré-guerra, de loucura, confusão e medo. Na segunda história, passada em 2001, a guerra acabou, mas os amantes não conseguem concretizar a sua paixão numa relação estável: as cicatrizes da guerra ainda estão demasiado frescas e não saram facilmente. A terceira história acontece em 2011, quando o amor conseguirá finalmente criar raízes, se os amantes se libertarem das feridas do passado. O mal e a suspeita não desapareceram completamente das suas vidas, mas novas possibilidades se avizinham.

Crítica – Vindo diretamente dos Balcãs, “Sol de Chumbo” é um drama romântico escrito e realizado pelo cineasta croata Dalibor Matani. Esta obra passou em 2015 por vários festivais internacionais, nomeadamente pelo festival de Cannes. Foi neste famoso certame que obteve aliás uma maior visibilidade mediática devido, em parte, à conquista do prémio o júri da secção Un Certain Regard.
A sua estreia em solo nacional é bem-vinda, já que são poucos os filmes oriundos dos Balcãs que costumam ser exibidos nas nossas salas. É uma pena porque esta região produz, cada vez mais, um cinema de qualidade, quer no campo do cinema de autor, como é o caso desta obra, quer também no campo do cinema alternativo/fantástico. Um exemplo de qualidade é portanto esta obra de Matani que evoca, como se depreende facilmente pela sua sinopse, os complexos problemas sociais da tumultuosa região sudeste da Europa. A extensão de tais problemas, que envolvem temas complexos, como o preconceito, a insegurança, o conflito religioso ou a corrupção em larga escala, são subjetivamente contextualizados e explicados ao espectador por via de uma grande história de amor.
O contraste entre os parâmetros emotivos deste elemento romântico e a complexidade dramática e humana das questões que o envolvem acaba por se destacar como um dos pontos mais deliciosos deste projeto. Por apostar num enfoque dramático bastante abrangente, seja do ponto de vista temporal ou da complexidade das temáticas envolventes, "Sol de Chumbo" consegue focar-se em vários pontos de interesse e sempre à boleia de uma poderosa história romântica muito bem construída. Este é um elemento muito poderoso que lhe dá vida e emoção e que, de certa forma, coloca-o num ilustre patamar diferenciador.

Classificação - 3,5 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial