Crítica - Fifty Shades Darker (2017)

Realizado por James Foley
Com Dakota Johnson,Jamie Dornan, Kim Basinger

À semelhança da primeira entrega, "Fifty Shades Darker" sobressai como um péssimo filme, talvez mesmo um dos piores de 2017. A sua fraca qualidade reflectiu-se, como é óbvio, nas bilheteiras, já que esta sequela de "Fifty Shades of Grey" alcançou resultados bem piores que os do primeiro filme. Esta abrupta quebra explica-se, em parte, pela perda do factor surpresa. O primeiro filme ainda conseguiu aguçar a curiosidade do espectador com a sua polémica temática sadomasoquista que, como se sabe, traduziu-se num filme vazio e sem qualquer brilho ou criatividade. O resultado final desta sequela é o mesmo, mas agora não havia qualquer factor surpresa a rodear a abordagem do temática sadomasoquista. Isto porque já se esperava um decalque temático do primeiro filme com ainda menos impacto e sem aquele factor de novidade polémica. É precisamente isto que acaba por se verificar em "Fifty Shades Darker", sendo que à ausência de impacto junta-se, como já era expectável, um péssimo enredo sem qualquer relevo dramático ou romântico, ou seja, um enredo ao mesmo nível baixo do primeiro filme. 
Sem impacto e factor surpresa a ampará-lo não é surpresa nenhuma que se conclua que "Fifty Shades Darker" nada tem de positivo para oferecer. Para além do já mencionado péssimo enredo que continua a explorar o romance inexplicavelmente enfadonho e estático de Anastacia Steele e Mr Grey, "Fifty Shades Darker" apresenta aspectos técnicos muito deficitários que empobrecem ainda mais o já fraco nível geral do filme. Neste ponto destaca-se a pobre direção de James Foley e uma banda sonora completamente inerte. Também o elenco central do filme, outra vez liderado por Dakota Johnson e Jamie Dornan, é mau demais. A crítica feita neste ponto ao primeiro filme mantém-se. Os dois protagonistas não têm qualquer química entre si e não demonstram qualquer dinâmica e destreza nos papéis que representam. As suas performances são portanto absolutamente sofríveis, já para não dizer penosas. O elenco secundário também não ajuda em nada, mas também verdade seja dita que não haveria salvação possível para este péssimo projeto que fala literalmente em todos os aspectos. Não há nada que se aproveite aqui e duvido que este franchise recupere de um filme tão péssimo como este.

Classificação - 1 Estrela em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial