Crítica - Baby Driver (2017)

Realizado por Edgar Wright
Com Lily James, Kevin Spacey, Jon Bernthal


Foi uma das grandes surpresas de 2017 e com todo o mérito. "Baby Driver" é um filme de ação completamente inconvencional que revitaliza o género, e até consegue dar algumas lições de grandiosidade às mega produções de Hollywood. A sua história foca-se em Baby (Ansel Elgort), um jovem e talentoso condutor, especialista em fugas, que confia na batida da sua banda sonora pessoal para ser o melhor. Quando encontra a miúda dos seus sonhos (Lily James), Baby vê nela a oportunidade de deixar para trás a sua vida de crime e sair de forma airosa desse universo. No entanto, ao se ver coagido a trabalhar para um chefe do crime (Kevin Spacey), e quando um golpe condenado ameaça a sua vida, o seu romance e a sua liberdade, ele terá de engendrar o plano ideal ao som da música mais adequada. 


E quando se fala tanto em música não se fala à toa, já que esta é uma parte fundamental do filme. Pode até dizer-se que é a sua alma e o seu maior elemento diferenciador. A sua banda sonora é um luxo e é utilizada ao longo do filme inteiro de uma forma simplesmente sublime. A música acompanha as aventuras e dilemas de Baby e este tem uma relação quase simbiótica com ela. Esta relação é transposta de uma forma excepcional para o grande ecrã, algo que leva o próprio espectador a vibrar com as batidas que vão acompanhando a história e a ação. 
É certo que o argumento não é pródigo numa qualidade diferenciadora, mas dentro dos filmes de ação está bem conseguido e, lá está, consegue unir-se na perfeição com a música, mas também com as soberbas sequências de ação e drama que vão surgindo. Neste ponto há também que dar os parabéns a Edgar Wright, um realizador de excelência que conseguiu criar um filme visualmente criativo e estonteante que se mescla na perfeição com uma vertente sonora também ela sublime. O filme em si é, todo ele, uma boa ideia que é posta em prática na perfeição por Wright e pela sua equipa, a quem se deve, sem dúvida, muito do seu sucesso. Também o seu elenco estrelar merece uma dose de aplausos, nomeadamenteAnsel Elgort que, finalmente, mostra as suas reais capacidades e potencialidades como ator. No fundo, "Baby Driver" é uma ode a um bom e diferente cinema de ação que deve ser tido como exemplo em Hollywood.

Classificação 4 Estrelas em 5

1 comentários:

  1. O elenco fez um excelente trabalho no filme. Ansel Elgort esta impecável no filme Em ritmo de fuga. O ator tem tantos bons filmes, mas esse ressalta sobre os demais. Ele sempre surpreende com os seus papeis, pois se mete de cabeça nas suas atuações e contagia profundamente a todos com as suas emoções. Adoro porque sua atuação não é forçada em absoluto. Sou uma fiel seguidora de Edgar Wright filmes Apesar de não ser um diretor tão reconhecido na indústria do cine, ele é um dos poucos que conseguem boas obras cinematográficas de ação graças ao seu grande profissionalismo. Seus efeitos especiais estão incríveis, trilha sonora e atuações geram um resultado que consegue captar aos espectadores.

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica em Destaque

Membro Oficial

Membro Oficial