Considerações e Vencedores do Festival de Cannes 2018

O filme "Shoplifters", do realizador japonês Hirokazu Kore-eda, foi o grande vencedor da Palma de Ouro do 71º Festival de Cannes. Esta foi a segunda grande vitória do cineasta em Cannes, isto após ter conquistado o Prémio do Júri, em 2013. Aclamado pela crítica, "Shoplifters" estava entre os favoritos à vitória e acabou mesmo por convencer o Júri presidido pela atriz Cate Blanchett. Outro dos favoritos, o drama "Capharnaum", da libanesa Nadine Labaki, teve que se contentar com o Grande Prémio do Júri. Já o filme mais mediático da Competição, o thriller "BlacKkKlansman", de Spike Lee, recebeu uma menção honrosa.Numa atitude especial, Cannes atribuiu a "The Image Book", o mais recente projeto do icónico Jean-Luc Godard, a Palma de Ouro Especial. Entre os atores, o italiano Marcello Fonte garantiu o Prémio de Melhor Interpretação Masculina, pelo seu papel no filme "Dogman", de Matteo Garrone.
A cazaque Samal Yeslyamova, de "The Little One", venceu na categoria feminina. Entre os realizadores, o prémio de Melhor Realizador foi para Pawel Pawlikowski, o cineasta polaco de "Ida", que em Cannes apresentou "Zimna Wojna". A italiana Alice Rohrwacher (Lazzaro Felice) e o iraniano Jafar Panahi (Three Faces) dividiram o Prémio de Melhor Argumento.
Um destaque agora para o cinema Lusófono. "Diamantino", a primeira longa-metragem realizada por Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, foi galardoado com o Grande Prémio Nespresso na 57.ª Semana da Crítica, do Festival de Cannes. O júri composto pelos actores Chloe Sevigny e Nahuel Pérez Biscayart e presidido pelo cineasta norueguês Joachim Trier decidiu atribuir a "Diamantino" o mais alto prémio desta competição. Neste filme acompanhamos a história de Diamantino, interpretado pelo actor Carloto Cotta, uma super-estrela do futebol mundial, cuja carreira cai em desgraça. À procura de um novo objetivo para a sua vida, Diamantino entra numa odisseia delirante, que envolve neofascismo, crise dos refugiados, modificação genética e a busca pela origem da genialidade. A Carloto Cotta juntam-se os actores Cleo Tavares, Anabela Moreira, Margarida Moreira, Carla Maciel, Filipe Vargas, Manuela Moura Guedes, Joana Barrios e Maria Leite.
O Festival de Cannes ficou marcado por uma qualidade de cinema abaixo da média, mas também por polémicas e casos judiciais. Um deles envolveu o projeto "The Man Who Killed Dom Quixote", do realizador Terry Gilliam que, após ter sofrido um Ataque Cardíaco, esteve em Cannes para a aguardada estreia mundial do seu projeto amaldiçoado. Pese embora tenha ganho uma batalha judicial contra o produtor Paulo Branco para garantir esta estreia, Gilliam não conseguiu o amor da crítica que trucidou, por completo, o filme. Cannes também sentiu a falta de Hollywood, já que este ano o Festival registou a menor quantidade de filmes de grandes estúdios norte-americanos dos últimos tempos. Uma das poucas excepções foi o blockbuster "Solo: A Star Wars Story" que foi exibido à margem da competição.A cerimónia de encerramento foi palco de outra polémica em cannes, quando a atriz italiana Asia Argento, protagonista do movimento #MeToo, fez um duro discurso contra a violência sexual na indústria cinematográfica.

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica em Destaque

Membro Oficial

Membro Oficial