Mais Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

terça-feira, agosto 27, 2019

Gui Pereira, Realizador de Coração de Cowboy, Selecionou 5 Filmes com Icónicas Bandas Sonoras!


Hoje, o Portal Cinema partilha um artigo em colaboração com a Novità Comunicação, nossos parceiros brasileiros. Gui Pereira, realizador de "Coração de Cowboy", inspirou-se no lançamentos como “Era Uma Vez em Hollywood” para reviver clássicos do cinema embalados por grandes músicas e neste artigo explora cinco filmes icónicos com cinco bandas sonoras incríveis que merecem ser recordados. 
A música é uma arma muito poderosa para as produções cinematográficas. Quando utilizada de maneira correta, ela tem o poder de transformar uma cena ou até um filme inteiro. Neste ano, fomos presenteados com filmes que possuem bandas sonoras incríveis e que já nasceram icónicas, como por exemplo: “Era Uma Vez em Hollywood”, que traz novamente o talento de Quentin Tarantino em escolher canções do imaginário pop; e “O Rei Leão”, remake do clássico animado que reviveu canções que marcaram a infância de muitas pessoas. Outros dois filmes prometem fazer grande barulho ainda este ano por utilizarem músicas famosas de uma forma criativa, são eles: “A Música da Minha Vida”, da diretora Gurinder Chadha, que conta a história de um jovem paquistanês fã de Bruce Springsteen (Estreia Esta Semana em Portugal); e “Yesterday” (Já Estreado, mas Ainda por Estrear no Brasil), que conta a história de um rapaz que, após um acidente, acaba por acordar numa estranha realidade onde ninguém se lembra que os Beatles existiram a não ser ele próprio. Inspirado nestas grandes estreias, o diretor de cinema Gui Pereira listou 5 filmes com bandas sonoras marcantes que, de algum modo, acrescentaram a narrativa da história e ajudaram a criar a atmosfera do filme. 

5 – American Honey

O filme American Honey de 2016, dirigido por Andrea Arnold, conta a história de uma jovem humilde que foge de casa e parte numa viagem pelo centro-oeste americano para vender assinaturas de revistas com uma equipe de jovens, numa vibe meio hippie.  O filme é repleto de canções pop contemporâneas, que surgem na tela de um modo orgânico e que acabam ditando o tom da história juntamente com a personalidade de cada um dos personagens. Dentre os jovens, conhecemos pessoas de várias tribos diferentes que compartilham não só seus gostos musicais, mas também os problemas que os fizeram fugir de casa. A banda sonora conta com canções de Rihanna, Calvin Harris, Sam Hunt, Big Sean, Bruce Springsteen, Fetty Wap e Lady Antebellum. De certo modo, quando for assistido no futuro, é muito provável que este filme se torne uma cápsula do tempo da época em que vivemos.

4 – American Pie – A Primeira Vez é Inesquecível

A banda sonora do primeiro filme da Saga American Pie é pouco lembrada em listas sobre o tema. Isso é um fato muito triste, pois a banda sonora deste filme reúne as maiores canções de rock dos anos 90. O CD da banda sonora foi um dos mais vendidos daquele ano, e inclui bandas como: Blink 182, Third Eye Blind, Sugar Ray, Fatboy Slim, Simple Minds e muito mais. É impossível pensar no filme sem nos lembrarmos das músicas.

3 – Harold E Maude: Ensina-me A Viver

Harold e Maude é um filme muito peculiar. Dirigido por Hal Ashby e lançado em 1971, o filme conta a história de um jovem de 20 anos que é obcecado pela morte e que acaba cruzando o caminho de uma senhora de 80 anos que é apaixonada pela vida. É quando ela ensina a ele a beleza da vida e da existência. Contado o filme parece ser meio besta, mas ele é uma dessas experiências que é melhor ser vivida do que dita. O filme é uma obra maravilhosa, e ele merece destaque pela utilização criativa da banda sonora que conta inteiramente com canções de Cat Stevens. O sucesso “If You Want to Sing out, Sing Out” foi composto especialmente para esse filme.

2 – McCabe & Mrs. Miller (Onde os Homens São Homens)

O filme de 1971, dirigido por Robert Altman  e com Warren Beatty no elenco, é um western que conta a história de um homem que decide abrir o primeiro prostíbulo de um pequeno povoado do velho oeste. Além da incrível direção e fotografia, o filme utiliza a trilha sonora de um modo criativo até então nunca visto em uma produção desse modo. O filme não possui nenhuma banda sonora instrumental. As únicas canções escutadas no filme são as tocadas no prostíbulo aonde grande parte do filme se passa e também através de canções de Leonard Cohen. O filme utiliza algumas cenas em que escutamos algumas músicas do cantor/poeta canadense. É praticamente impossível pensar nesse filme sem pensar nas canções de Cohen. O mais provável é que Robert Altman tenha se inspirado no filme Butch Cassidy & the Sundance Kid para essa inclusão de canções contemporâneas em filmes de época.

1 – A última Sessão de Cinema

A Última Sessão de Cinema foi dirigido por Peter Bogdanovich e trazia no elenco: Jeff Bridges, Randy Quaid, Cybill Shepherd e Clu Gulager. Assim como Onde os Homens São Homens, ele também foi lançado em 1971. O filme é baseado no livro de Lary McMurty. O filme é um estudo de personagem sobre dois irmãos e suas experiências como adolescentes em uma pequena cidade do Texas nos anos 50. Peter Bogdanovich, por sinal, utiliza uma estética visual muito semelhante a filmes dos anos 50, fazendo como se o filme parecesse ter sido filmado naquela época. O filme também funciona como uma capsula do tempo, assim como American Pie e American Honey; a única diferença é que A Última Secção de Cinema está na verdade reproduzindo os anos 70. As canções surgem de modo orgânico, em todas as cenas vemos um rádio enquadrado que acaba tocando canções populares dos anos 50. A banda sonora conta com canções de Frankie Laine, Jo Stafford e Hank Williams. É impossível pensar no filme sem pensar no modo genial que o diretor utilizou a trilha sonora, que ficou tão icónico que influenciou diretamente o modo como utilizamos canções famosas no cinema. O filme recebeu 8 indicações ao Oscar e venceu duas categorias.

Sobre Gui Pereira - Gui Pereira nasceu em São Paulo, e desde cedo já desenvolveu uma paixão pelo cinema. Desde a adolescência, ele aprimorou suas técnicas de 'Stop-Motion' e seus curtas começaram a ter um destaque maior no circuito underground. Aos 14 anos de idade, começou a dirigir clipes para bandas em início de carreira. Aos 17 anos, fez um curso na renomada New York Film Academy, onde teve a certeza de que queria ser um cineasta pelo resto da vida. Ele se formou pela Los Angeles Film School em 2010 e fez uma Pós na Art Institute of California, onde se formou em 2012. Seus trabalhos em curta-metragem foram selecionados e premiados em diversos festivais no mundo todo. O mais recente trabalho de Gui Pereira é o ‘Coração de Cowboy’, seu primeiro em longa-metragem, que estreou em todo o Brasil em setembro de 2018. Com distribuição da O2 Play, o filme já coleciona diversos prêmios, entre eles: melhor filme no Scruffy City Film and Music Festival, premiação que aconteceu em Knoxville, no Tennessee, e também elegeu Gabriel Sater como melhor ator por sua atuação no filme; melhor filme no Jukebox International Film Festival; e melhor do festival, melhor longa, melhor estrangeiro e melhor roteiro no Desert Rocks International Film and Music Festival; melhor trilha sonora e melhor diretor no Moscow Indie Film Festival na Rússia, além de Thaís Pacholeck e Jackson Antunes levarem os prémios de melhores atores coadjuvantes no Los Angeles Brazilian Film Festival.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas