Mais Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

sexta-feira, novembro 08, 2019

Novidades sobre o 25º Festival Caminhos do Cinema


O Festival Caminhos do Cinema celebra, este ano, as sua bodas de prata. Desde 1988, este é um festival generalista, aberto à exibição e premiação de todas as correntes cinematográficas nacionais. De 22 a 30 de novembro, vai-se celebrar, em Coimbra, o melhor cinema português com sessões para todos os públicos. As novidades da 25.ª edição, passam por uma nova secção competitiva “Outros Olhares”, valorizando a filmografia de caráter ensaístico e experimental, cujas produções não se cingem ao argumento, mas valorizam o domínio sensorial, estimulado pelo conjunto da imagem e som. 
A competição académica da “Selecção Ensaios” volta a permitir o olhar comparativo entre as academias nacionais e internacionais. Na "Selecção Caminhos" encontraremos as mais recentes produções nacionais, disputando-se entre os prémios técnico-artísticos e os prémios oficiais, o Prémio do Público “Chama Amarela”.  Ganhar um prémio nestes Caminhos prova a relevância de um filme, destacando-se pelo seu carácter artístico, técnico, inovador ou da proximidade com os públicos. A decisão compete a cinco equipas de júri: Caminhos, Ensaios, Outros Olhares, Júri da Federação Internacional de Cineclubes,‘Imprensa CISION’ e ao Público. 
O Júri da Seleção Caminhos tem a seu cargo 15 prémios técnico-artísticos e 6 prémios oficiais, definindo-se quem serão os principais protagonistas deste ano de Cinema Português. Assim, esta equipa é constituída pelo encenador/dramaturgo João Telmo, pelo cartoonista Hugo Van Der Ding e pelas atrizes Carla Vasconcelos, Lucinda Loureiro e Alexandra Lencastre. O Júri da Seleção Ensaios, constituído por Catarina Neves Ricci e Tiago Afonso, realizadores, e Pedro Ribeiro, montador de cinema, atribuirá  os prémios de Melhor Ensaio Nacional e Internacional, permitindo traçar linhas comparativas sobre o futuro do cinema nacional e do resto do mundo.
A decidir a atribuição do primeiro prémio de Melhor Filme da Seleção “Outros Olhares” estarão António Pedro Pita e Cristina Janicas, professores,  e Rita Alcaire, antropóloga.  Do Júri “Federação Internacional de Cineclubes” (FICC) fazem parte Bruno Fontes, Sarah Adam e Toni Cuadras i Morató. Bruno Fontes é doutorando em Materialidades da Literatura e mestre em Estudos Fílmicos Sarah Adam, alemã, é mestre em História e Literatura, diretora do festival dokumentART 2018, em Neubrandenburg,co-fundou o Arab Filmclub e é membro do grupo artístico “A Wall is a Screen”. Toni Cuadras i Morató, catalão é membro do Cineclub Ateney Igualada de Barcelona. O Júri “Imprensa Cision” é constituído pela jornalista Sara Afonso, que mantém a sua ligação à sétima arte na revista Metrópolis. Estarão presentes também Claúdia Sobral, jornal I, e Filipa Queirós, da revista conimbricense Coolectiva. 
O festival tem início no dia 22 de novembro, começando com a atribuição do prémio Ethos e a celebração do momento Verdes Anos. Esse momento conjuga passado e presente, num número artístico, que reúne a tradição coimbrã com a irreverência contemporânea, colocando no mesmo palco um guitarrista de fado de coimbra e o dj Stereossauro. A unir este passado com o presente e futuro, será realizada uma performance por dançarinas que introduzirão cumulativamente elementos de dança clássica e contemporânea. É um momento que precede a entrega do Prémio Ethos, reconhecendo publicamente o contributo de Isabel Ruth na possibilitação de novos caminhos cinematográficos, caminhando lado a lado com novos actores, realizadores ou produtores, dando-lhes, tanta vez, a primeira oportunidade que tanto escasseia no início de carreira. Este prémio será entregue à atriz Isabel Ruth, que irá marcar presença, estando patente na sala branca do TAGV patente uma exposição com o seu percurso. Após a cerimónia, serão exibidos os filmes “Horizonte Artificial”, projeto do 9.º curso cinemalogia promovido durante 2018/2019, “Les Extraordinaires Mésaventures de la Jeune Fille de Pierre” de Gabriel Abrantes e “Projeção” de René Alan. Ainda será transmitido o filme “Chopper”, de Giorgos Kapsanakis, e “Em Caso de Fogo”, de Tomás Paula Marques, que fazem parte da Seleção Ensaios.

Seleção Caminhos
A Seleção Caminhos é dedicada a toda a cinematografia nacional de produção profissional consagrando nesta secção todos os géneros cinematográficos. Assim, durante os 9 dias de festival a programação, que terá palco no TAGV, será a seguinte:
As sessões da noite, às 21H45, contém alguns dos destaques da programação geral deste ano:
23 de novembro: “Tristeza e Alegria na Vida das Girafas”, Tiago Guedes
24 de novembro: “Vitamina Varela”, Pedro Costa
25 de novembro: “O Mar Enrola na Areia”, Catarina Mourão e “Prazer, Camaradas!”, José Filipe Costa
26 de novembro: “Invisível Herói”, Cristèle Alves Meira e “Serpentário”, Carlos Conceição
27 de novembro: “História Secreta da Aviação”, João Manso e “Campo”, Tiago Hespanha
28 de novembro: “Moulla”, Rui Cardoso e “Variações”, João Maia
29 de novembro: “Purpleboy”, Alexandre Siqueira; “Flutuar”, Artur Serra Araújo e “Golpe de Sol”, Vicente Alves do Ó
Além destas sessões, os Caminhos também vão preencher as telas do TAGV durante as sessões das 15H e das 17H30. Como tal, adiantamos como destaques:
23 de novembro, 15H: “Heatstroke”, Edgar Morais; “Poder Fantasma”, Afonso Mota e “Past Perfect”, Jorge Jácome
23 de novembro, 17H30: “Dia de Festa”, Sofia Bost e “A Raposa”, Leonor Noivo
25 de novembro, 15H: “Sou Autor do Meu Nome Mia Couto”, Solveig Nordlund
26 de novembro, 17H30: “Ruby”, Mariana Galvão
27 de novembro, 17H30: “Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias”, Regina Tomás e “Alva”, Ico Costa
28 de novembro, 15H: “Fordlandia Malaise”, Susana de Sousa Dias
29 de novembro, 17H30: “Teus Olhos Castanhos de Encantos Tamanhos”, Rui Simões
30 de novembro, 15H: “Où en êtes-vous, Teresa Villaverde?”, Teresa Villaverde e “Grbavica”, Manuel Raga Raga

Sem comentários:

Enviar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas