Ticker

6/recent/ticker-posts

Está Fechada a Programação da Edição 2021 do Curtas Vila do Conde


Um total de 236 filmes integra a edição 2021 do Curtas Vila do Conde. A ter lugar entre 16 e 25 de julho, o evento volta a propor um olhar transversal sobre o cinema mundial, num programa onde os filmes dilatam os tempos, expandem as temporalidades e declinam cronologias e efemérides. Destaque especial no anúncio de hoje aos 17 filmes que integram a Competição Nacional do festival, a criarem uma rota pelo cinema contemporâneo português: tradições coletivas e histórias individuais, a ruralidade e suas paisagens, a família e a intimidade, com as tensões sociais aí implícitas e com abordagens que desafiam quaisquer constrangimentos normativos ou de género. Estarão presentes trabalhos de realizadores que regressam ao Curtas, como Ana Moreira, Ico Costa, Leonor Noivo, Eduardo Brito ou Paulo Patrício; e de outros que alcançaram já uma certa notoriedade, como Paolo Marinou-Blanco ou Filipe Melo, para além das novas descobertas da secção. 

Do contemporâneo para a celebração de aniversários de décadas e até de centenários, proposta pela sessões do Cinema Revisitado deste ano. Mulholland Drive, de David Lynch, estreado há 20 anos, é uma imaginativa catarse acerca de Hollywood como indutor de sonhos e desejos, mas também como carburador de obsessões e pesadelos. A partir desta delicada e singular abordagem meta-cinematográfica concebida por Lynch, o Curtas preparou um programa que problematiza a meca do cinema no imaginário coletivo de sucessivas gerações, intitulado por Hollywood Daydreams and Nightmares, com filmes como: O Crepúsculo dos Deuses, de Billy Wilder, Serenata à Chuva, de Gene Kelly e Stanley Donen, Cativos do Mal, de Vincente Minnelli e Realité, de Quentin Dupieux. Associando-se à celebração dos 60 anos de existência da Semaine de la Critique, um programa intitulado Sweet Sixty, que reúne filmes de Julia Ducournau, João Paulo Miranda Maria, Bruno de Almeida, Tsai-Ming Liang ou François Ozon.

Em paralelo com o festival, a Solar – Galeria de Arte Cinemática apresenta uma exposição individual do realizador e artista português Diogo Costa Amarante, vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim em 2017. A inauguração de Be Your Selfie está agendada para o dia 17 de julho, apresentando um conjunto de 13 peças vídeo inéditas, pensadas especificamente para o espaço da galeria, e ficará patente até ao final do mês de agosto. Como complemento, o festival apresenta ainda uma carta branca ao cineasta com várias curtas-metragens da sua eleição e uma conversa com o próprio, antecedida pela estreia em Portugal do seu último filme, Luz de Presença.

Apostando num formato híbrido que combina as projeções em sala, com a Competição Nacional desdobrada em vários locais do país, e exibições VoD, o Curtas Vila do Conde apresenta ainda um programas destinados ao público familiar e mais jovem, Curtinhas e My Generation, que integrará uma vasta selecção de curtas de produção recente e o clássico O Garoto de Charlot, de Charles Chaplin, assim como a sempre estimulante Competição Take One!, que reúne trabalhos realizados por estudantes portugueses de diversas instituições do ensino superior nacionais e internacionais. 

Anunciados estavam já os focos na obra de Lynne Ramsay (InFocus); da dupla iraniana Farnoosh Samadi e Ali Asgari, da grega Jacqueline Lentzou e do português Jorge Jácome (New Voices); O Stero com os filmes-concerto de Chão Maior e Angélica Salvi e todo o programa de filmes das Competições Internacional, Experimental e de Vídeos Musicais. Na secção Da Curta à Longa, a proposta passa pelos filmes Lutar, Lutar, Lutar, de Sérgio Borges e Helvécio Marins Jr., Diários de Otsoga, de Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes, e Mandibules, de Quentin Dupieux, logo na abertura. 

O 29º Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.


COMPETIÇÃO NACIONAL

A CASA DO NORTE, Inês Lima · Portugal · 2021 · DOC/EXP · 9’

ARMAZÓNIA, Francisco Moura Relvas · Portugal/ · 2021 · FIC/ · 11’

CARTA BRANCA, António-Pedro · Portugal · 2021 · DOC · 24’

CASSANDRA BITTER TONGUE, Ana Moreira · Portugal · 2021 · FIC/EXP · 20’

KI AN AFTO POU AKUO INE I SCHIOPI (SE O QUE OIÇO É SILÊNCIO), Rosa Vale Cardoso · Portugal/Grécia · 2020 · FIC · 22’

LETHES, Eduardo Brito · Portugal · 2021 · FIC · 16’

MADRUGADA, Leonor Noivo · Portugal · 2021 · FIC/DOC · 28’

MATILDE OLHA PARA TRÁS, Ana Mariz · Portugal · 2021 · FIC · 21’

MIRAFLORES, Rodrigo Braz Teixeira · Portugal · 2021 · FIC · 18’

NADA NAS MÃOS, Paolo Marinou-Blanco · Portugal · 2021 · FIC · 15’

NHA SUNHU, José Magro · Portugal · 2021 · FIC · 20’

O LOBO SOLITÁRIO, Filipe Melo · Portugal · 2021 · FIC · 22’

O TEU NOME É, Paulo Patrício · Portugal/Bélgica · 2021 · DOC/ANI · 24’

OSO, Bruno Lourenço · Portugal · 2021 · FIC · 29’

SORTES, Mónica Martins Nunes · Portugal/Alemanha · 2021 · DOC · 39’

TERCEIRO TURNO, Mário Macedo · Portugal · 2021 · FIC · 19’

TIMKAT, Ico Costa · Portugal · 2021 · DOC · 13’



CINEMA REVISITADO

Hollywood: Daydreams and Nightmares

MULHOLLAND DRIVE, David Lynch · França/EUA · 2001 · FIC · 147’

REALITÉ, Quentin Dupieux · França/Bélgica/EUA · 2014 · FIC · 95’

THE BAD AND THE BEAUTIFUL, Vincente Minnelli · EUA · 1952 · FIC · 118‘

SUNSET BOULEVARD, Billy Wilder · EUA · 1950 · FIC · 110‘

SINGIN’IN THE RAIN, Gene Kelly, Stanley Donen · EUA · 1952 · FIC · 110‘



60º aniversário da Semaine de la Critique

COMMAND ACTION, João Paulo Miranda Maria · Brasil · 2015 · FIC · 14’

HOME STORIES, Matthias Müller · Alemanha · 1990 · EXP · 6’

JUNIOR, Julia Ducournau · França · 2011 · FIC · 22’

NAJPIEKNIEJSZE FAJERWERKI EVER (THE BEST FIREWORKS EVER), Aleksandra Terpinska · Polónia · 2017 · FIC · 30’

PIÈCE TOUCHÉE, Martin Arnold · Áustria · 1989 · EXP · 16’

STAPLERFAHRER KLAUS – DER ERSTE ARBEITSTAG (FORKLIFT DRIVER KLAUS – THE FIRST DAY ON THE JOB), Jörg Wagner, Stefan Prehn · Alemanha · 2001 · FIC · 10’

THE DEBT, Bruno de Almeida · EUA/Portugal · 1993 · FIC · 12’

UNE ROBE D’ÉTÉ, François Ozon · França · 1996 · FIC · 15’

WALKER, Tsai Ming-Liang · Taiwan · 2012 · FIC/EXP · 27’


Enviar um comentário

0 Comentários