Ticker

6/recent/ticker-posts

Crítica - Saw 3D (2010)


Realizado por Kevin Greutert
Com Tobin Bell, Costas Mandylor, Betsy Russell, Sean Patrick Flanery

O último (?) capítulo de “Saw” arrecadou milhões de dólares nas bilheteiras norte-americanas e mundiais, no entanto, este seu sucesso comercial não é sustentado por nenhum critério qualitativo porque este “Saw 3D” acaba por não ser muito diferente dos últimos “Saw”. Em “Saw 3D” ou “Saw VII” somos novamente confrontados com uma narrativa extremamente fraca e confusa que é acompanhada por uma série de sequências sadistas e macabras que são visualmente exacerbadas pela tecnologia tridimensional que não foi convenientemente utilizada por Kevin Greutert, assim sendo, estamos novamente perante um “Saw” medíocre que não presta uma devida homenagem a “Saw” (2004) ou “Saw II” (2005), os dois melhores capítulos desta saga. A sua história volta a ser protagonizada pelo Detective Hoffman (Costas Mandylor) que continua vivo e a montar armadilhas a todos aqueles que se atrevem a atravessar o seu caminho - Jill Tuck (Betsy Russell) ou Matt Gibson (Chad Donella) - e àqueles que são demasiado ingratos ou egoístas para continuarem a viver, assim sendo, a sua nova vítima dentro deste último grupo é Bobby Dagen (Sean Patrick Flannery), um falso sobrevivente das armadilhas de Jigsaw que acabou por se tornar famoso às custas desta mentira e que agora vai ter que pagar por todos os seus pecados. Hoffman vai também ter que lidar com uma figura extremamente familiar de “Saw” que regressa para se vingar e para cumprir uma promessa a outro velho conhecido.


O enredo de “Saw 3D” utiliza a mesma fórmula cansativa e visivelmente esgotada dos capítulos anteriores e volta também a se assumir como um mero complemento às violentas sequências de sadismo e carnificina que se assumem claramente como o elemento central desta saga. A sua história acompanha essencialmente a luta pela sobrevivência de Bobby Dagen (Sean Patrick Flanery) e a batalha intelectual do instável Hoffman (Costas Mandylor) contra a Policia e Jill Tuck (Betsy Russell), no entanto, nenhuma destas duas vertentes é cativante ou interessante. A história ligada a Hoffman (Costas Mandylor) acaba por ser a mais interessante porque envolve algumas reviravoltas e alguns regressos inesperados que esclarecem algumas dúvidas e preenchem algumas lacunas mas que acabam por vulgarizar Jigsaw. As famosas sequências onde as personagens secundárias e algumas principais são vítimas de macabras armadilhas mortais continuam sangrentas e sádicas, no entanto, não há nenhuma armadilha mortal que nos consiga deixar profundamente chocados ou surpreendidos até porque os capítulos anteriores tinham armadilhas muito mais arrepiantes e com um final muito menos previsível. As três dimensões beneficiam claramente essas sequências, no entanto, esta tecnologia poderia ter rentabilizado muito mais esta obra caso Kevin Greutert a tivesse “tratado” um pouco melhor. O seu elenco tem uma performance global extremamente medíocre e só Costas Mandylor é que ainda nos consegue oferecer uma performance minimamente positiva. O cameo de Chester Bennington (Linkin Park) também não acrescenta muito ao filme. A conclusão deste medíocre “Saw 3D” também não é satisfatória porque não oferece um final conclusivo a “Saw”, muito pelo contrário, deixa antever um “Saw VIII” que poderá diminuir ainda mais a honra desta saga que desde “Saw III” (2006) tem vindo a receber capítulos de fraca qualidade mas extremamente rentáveis.

Classificação – 1 Estrela Em 5

Enviar um comentário

16 Comentários

  1. Para ser franco, não esperava rigorosamente nada mais. E concordo contigo quando destacas o primeiro e o segundo. A partir daí, fartou e foi sempre a descer. No 5o já adormeci e este nem vou ver.

    ResponderEliminar
  2. Penso que se tornou um habito criticar os filmes desta saga. De facto cada vez se perde mais qualidade...mas...isso já se esperava. Aposto que se saisse um filme ao nivel do primeiro, a critica iria ser a mesma!!

    ResponderEliminar
  3. SAW=GORE+FINAL TWIST. Todos os filmes seguiram a formula e este não foi excepção. Os pedaços de corpos a voarem na nossa direcção foi bem fixe.
    A história acaba por ser uma boa continuação das anteriores e é um fim decente para o Hoffman. O fim deixa a porta aberta a uma continuação e com o sucesso que este teve espero que façam mais porque eu lá estarei para os ver.

    ResponderEliminar
  4. Eu não concordo com a critica apesar de alguns pontos estarem correctos.
    primeiro não acho a historia confusa, dá bem para perceber tudo à primeira...desde que familiarizados com o saw.
    os melhores saw foram o 1 e 2 mas o realizador
    Kevin Greutert conseguiu renascer o saw no capitulo 6 e apesar de este nao ficar tao bom teve coisas interessantes.

    ResponderEliminar
  5. Não está tão mal como descrito. É certo que para uma pessoa entender qualquer capítulo da saga, necessita ver tudo o que há para trás, sendo que há alguns capítulos bem confusos, denoto o quarto capítulo, na minha opinião o mais fraco, não percebendo que lições morais advém daquelas armadilhas, mas o quarto é passado. Acho que o filme não está tão confuso quanto isso, com menos flashbacks e coboiadas cruzadas do costume, achei o final bastante interessante, destacando duas personagens que surpreendem, pelo menos gostei das interpretações de Costas Mandylor e Cary Elwes, respectivamente Hoffman e Gordon, que surgem um pouco para o psicopático. Os diálogos são, entretanto, o menos elaborado do filme. Acho que as armadilhas também não são surpreedentes, apesar de ter gostado da armadilha/carro dos skinheads. Algo que apreciei no filme foi o facto de não acompanharmos Jigsaw durante o filme, visto que durante o seu desenvolvimento o seu paradeiro permanece desconhecido, lembrando um pouco os originais, sendo que observamos os jogos como o vilão escondido da objectiva. A cena de entrada de Hoffman na esquadra é sinistra, bastante doentia a personagem. Talvez tenha abusado das facadas no pescoço. O twist até que podia ser presvisível, mas não descaiu lá mal. Gordon rules.

    Observando este filme como uma parte de de uma saga extremamente repetitiva e estilo telenovela + gore, sim, talvez soe um pouco a mais do mesmo, já que tanta tripa é enjoativa. Mas este filme parece-me mais misterioso, tem um conflito mais activo, sendo um confronto contra relógio entre Hoffman e a polícia+Jill Tuck. Esta Jill Tuck é um pouco idiota. Mas pronto. Acho que temos um filme com mais suspense, um enredo mais "clean" que os outros, um twist final bastante agradável, um final devido a cada personagem. Se fechar os olhos ao 3, 4, 5 (que não é mau de todo) e 6 não temos um filme mau de todo. Funciona bem como final, muito bem aliás. Acho que foi um final adequado. Porque não me parece que irão fazer mais. Aí sim, seria enjoativo.

    ResponderEliminar
  6. Gostei do último filme, tem um final excelente, porque dá a entender que Gordon vingou a morte da esposa de Jigsaw e encerrou os jogos de vez, prosseguindo a sua vida. A armadilha da mulher que tinha o gancho dentro dela e que tinha que ser puxado para tirar a chave fez-me muita impressão, mas de resto, o filme está muito bom, acaba da melhor forma, se fizerem um "Saw VIII", estragam a saga, fica o desabafo.

    ResponderEliminar
  7. Concordo. Final Excelente.

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Me perdoe os críticos de cinema, os intelectuais de plantão, os filósofos de internet, mas eu sou obrigado a contrariar quase todas as opiniões que tenho lido até agora. Eu experimentei não assistir a qualquer das últimas seqüencias desta franquia; os últimos que assisti, foram Saw 2 e 3. Assim, eu poderia ter a experiência de me localizar na trama, assistir como um novato… pois eu queria saber se dá pra entender este filme, sem pensar nas conexões com os anteriores.E posso garantir: dá sim. Eu entendi boa parte da trama, apesar de ser confuso pra quem não conhece a franquia entender quem é o personagem logo no início do filme, que está cauterizando sua própria perna amputada. Mas achei muito claro a definição de todos os outros personagens, e realmente, eu não lembrava de nenhum, exceto Jigsaw, que só aparece em flashbacks.Eu disse que discordava das críticas que li na internet, porque todas parecem ser umas inspiradas ou influenciadas pelas outras. E acho que, quando a gente vai falar de um filme, expressar em palavras nossa experiência como expectador, tem que ser algo bastante pessoal. Pessoalmente, eu achei Saw 3D (que não assisti em 3D), uma experiência divertida, um entretenimento válido. Gostei da história, do desenrolar da trama, fiquei tenso, ansioso, me assustei em alguns momentos, fiquei com nojo em outros. Eu acho que, se uma fórmula dá certo, e continua dando alta bilheteria, então deve ser explorada sim; sou contra as seqüencias caça-níqueis que estragam as partes anteriores de uma franquia, isso sim.
    Grande parte dos sites dizem que Saw 3D explora repetitivamente a fórmula esgotada dos filmes anteriores; ok, o primeiro e o segundo são melhores que todos indiscutivelmente, todo mundo já disse isso; mas se a fórmula está esgotada, como é que continua lotando os cinemas? Se o filme não é bom, não satisfaz como entretenimento, como é que continua sendo recomendado por quem já assistiu? Achei Saw 3D o máximo, fiquei nervoso, dei uns pulos, torci pelo mocinho, e fiquei muito satisfeito com a conclusão da trama; e se ano que vêm, inventarem um jeito de criar mais uma seqüencia, manda ver! É claro que eu vou assistir. Fiquei super empolgado com essa, e vou assistir nos próximos dias Saw 4, 5 e 6, pois achei muito bem bolada toda a idéia; se são inferiores como dizem, repetitivos, isso, vou confirmar com meus próprios olhos.

    Gostei: Da parte da investigação; da conclusão da história do cara que fingia ser sobrevivente; do cara da banda Linkin Park se ferrando, acho ele meio esnobinho mesmo (mas foi legal a participação).

    Não gostei: Da teatralidade da armadilha inicial, dos caras com as serras; achei muito forçado e irreal, aquela estrutura, e a cortininha que cobria a moça “caindo repentinamente”. Desnecessário pro resto do filme aquilo.

    ResponderEliminar
  11. Ninguém se perguntou quem é que ajudou o Dr. Gordon a levar Hoffman para a casa de banho?? Eles eram 3... Mas, mesmo assim, acho que acabou mesmo, para pena minha, porque acho que ainda ficaram perguntas no ar...
    Além disso, centraram-se pouco na história em si... o Filme resume-se aos 10 minutos finais...

    ResponderEliminar
  12. Tenho que dar razao a critica porque embora vi todos os fimes do saw a historia ficou estragada na passagem do 3 para o 4 ou seja no 3 p jigsaw morre no 4 começa a ser autopsiado e termina o filme com o corpo do jigsaw onde ele morreu afinal quantos jigsaw existem???? a qalidade 3d deste filme vi num cinema em 3d foi lastimavel nao achei interessante se isto e 3d bem minha nossa mas vele estarmos como estamos e como acima foi referido quem ajudou o dr.gordon ??? quem analizar bem o filme e prestar bem atençao o filme muitas perguntas estao no ar e no minimo haveriam de ser esclarecidas tal como o inicio deste saw 3d começa com o jogo e a cena seguinte e o hoffman a salvar-se do jogo dele ou seja nao encaixa apesar de gostar desta saga tenho que dizer se este foi o fim foi um fim duvidoso pobre e com muitas interrogaçoes

    ResponderEliminar
  13. não percebo.... então os jogos mortais vao acabar com a morte do hoffman ou n?

    ResponderEliminar
  14. Po, acho que o SAW 7 foi o mais fraco, resumindo toda a historia nos 10 min finais, mas acho que o 1° e o 2° sao os proximos mais fracos, acho o 3° o mais incrivel, seguido pelo quinto. Gosto do quinto, pois a forma como jigsaw tenta explicar as torturas que ele realiza como "reabilitação" fantastica, pois tem uma certa verdade(nao sou maniaco, nao concordo com ele, mas ele infelizmente tem razao). E gostei do 3° pois o cara conseguio fazer um jogo a todos ao mesmo tempo, entao axo que por causa de um filme ruim, a saga inteira nao pode ser responsabilizada.

    ResponderEliminar
  15. Também concordo com o cara la de cima(Giancarlo)...tambem acho que todas as criticas parecem ser um copia e cola...sempre a mesma critica de sempre em todos os casos e acho que essa critica é um pouco infundada. As interpretações foram um pouco forçadas? foram. A armadilha inicial tem alguma coisa a ver com a história? Não. Mas tu ja paro para pensar na puta criatividade do autor para bolar toda a trama e os vira voltas? Na criatividade do hoffman de driblar os policiais? Acho que essas criticas sao muito superficiais e monotonas...

    ResponderEliminar