Crítica - The Croods (2013)

Realizado por Kirk De Micco e Chris Sanders
Com Nicolas Cage, Ryan Reynolds e Emma Stone

É difícil sentir por “The Croods” um carinho especial. Esta animação pré-histórica tem potencial, visual e narrativo, para entreter os mais novos, mas não há nada neste filme que o torne especial ou amplamente diferente de outras obras do género. É claro que é engraçado e está copiosamente bem feito, mas a ver “The Croods” não sentimos aquelas calorosas sensações e emoções que sentimos, por exemplo, quando vimos pela primeira vez grandes obras animadas norte-americanas como os recentes “Up” (2009) ou “WALL-E” (2008). Nesta comédia animada pré-histórica acompanhamos a aventura da primeira família do mundo, que embarca na viagem das suas vidas logo que foi destruída a caverna que os protegia de todos os perigos. Viajando ao longo de espetaculares cenários naturais, os Croods descobrem um incrível mundo novo repleto de criaturas fantásticas que mudarão as suas vidas para sempre.


Eu não gosto de usar o termo banal para o classificar, até porque a sua história até apresenta alguns índices de criatividade, mas em termos de emoção e sentimento, “The Croods” é bastante estéril. A grande aventura da Família Crood tem alguma ação e humor pelo meio, mas toda a emoção é muito forçada. Os mais novos não se importarão com esta debilidade sentimental, mas os mais velhos poderão querer ver algo mais do que uma trama razoável e ocasionalmente cómica. O seu argumento pode não ter profundidade ou muito impacto sentimental, mas confesso que gostei bastante do estilo gráfico desta animação que, através de corres berrantes e criaturas muito criativas e bem construídas, consegue injetar um pouco mais de alegria e exuberância a este filme, que desta forma fica um pouco mais animado. Para as crianças, “The Croods” é uma animação ideal. Tem uma intriga competente com princípio, meio e fim, mas também uma componente gráfica muito apelativa que conseguirá prender a sua exigente atenção. Já os espetadores mais experientes poderão sentir alguma dificuldade em se divertir com esta produção dos mesmos criadores de “Lilo & Stich” “How To Train Your Dragon” (Christopher Sanders) e “Space Chimps” (Kirk DeMicco). 

 Classificação - 3 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Crítica em Destaque

Crítica da Semana