Crítica - The Cobbler (2015)

Realizado por Thomas McCarthy 
Com Adam Sandler, Dustin Hoffman, Method Man 

A crítica especializada já desistiu há muito de Adam Sandler e o público também parece começar a fartar-se dos projetos sem graça e sem qualquer qualidade que este ator tem produzido e protagonizado nos últimos quinze anos. A própria Sony, grande aliada de Sandler na produção das suas longas metragens, também já está tão cansada dos maus filmes do ator que não irá produzir mais nenhum projeto dele nos anos vindouros, aliás num passado recente um dos seus principais executivos até foi apanhado a dizer que estava farto de apoiar os péssimos projetos do ator. O mundo em geral parece, portanto, já não ficar surpreendido com a má qualidade dos filmes que são produzidos e protagonizados por Sandler, estando até já a ficar bem farto de apanhar quase todos os anos nas salas de cinema um desses exemplos medianos de cinema sem qualidade ou piada que, atendendo aos últimos números de bilheteiras, já nem um semi sucesso comercial são. O mais recente produto da longa lista de produções fraquinhas que são encabeçadas por Adam Sandler é este "The Cobbler", que embora não seja tão mau como certos épicos fracassos gerais, como "Jack & Jill" (2011) ou "I Now Pronounce You Chuck & Larry" (2007), é ainda assim um exemplo perfeito de uma comédia sem graça, repetitiva e nada apelativa que ilustra a falta de imaginação e qualidade da corrente criativa que move Adam Sandler a passo de caracol.
Em "The Cobbler", Sandler interpreta, com a já esperada ausência de humor ou audácia, um sapateiro solitário e sem sorte que sonha em viver grandes aventuras enquanto arranja os sapatos de clientes experientes na arte de viver. Tal como se pode facilmente prever, "The Cobbler" pega neste desejo do seu protagonista e transforma-o numa aventura existencial que, sem qualquer dúvida ou diversão, leva o espectador numa viagem cheia de estereótipos cómicos e nenhuma profundidade moral ou emocional que acaba por ser tão vazia e mediana como a carreira recente de Sandler. Sem muito por onde se lhe pegue, "The Cobbler" tem pelo menos a vantagem de ser suportável de ver e de não ser tão parvo como outros projetos de Sandler. Isto não quer dizer que seja um filme com piada, porque não é, mas pelo menos aquele humor exageradamente indecente ou sexual que muitas vezes faz parte do reportório de Sandler não é tão proeminente nesta obra que, já agora, também não tem uma trama assim tão intragável quanto se esperava, apesar de não ser nada empolgante ou completa e estar repleta de paragens cerebrais de lógica, contexto ou piada. No fundo, "The Cobbler" não precisa de muitas mais descrições neste artigo, porque é simples de verificar que é um filme sem grande valor, onde Sandler nos oferece mais do mesmo.

Classificação - 1 Estrela em 5

3 comentários:

  1. E resta ainda a pergunta: o que é que o Dustin Hoffman estava a fazer neste filme?

    O João sempre em cima do acontecimento, e bem!


    ***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais Lucy. É uma pena ver atores da qualidade do Hoffman em filmes tão fraquinhos como este. E acredito que bastava ler o guião para ver que o filme ia ser mau. Não compreendo estas opções

      Eliminar
    2. Não dá compreender, mesmo! E ultimamente tem havido várias opções dessas por parte de outros actores de renome. Ainda ontem vi mais um exemplo no filme "Return to Sender". Enfim!

      ***

      Eliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial