Crítica - Slumdog Millionaire (2008)

Realizado por Danny Boyle
Com Dev Patel, Saurabh Shukla, Anil Kapoor

Não costumo falar de filmes que acho maus, daqueles filmes que são tão maus que até dão a volta ao estômago (por falar nisso lembrei-me de que este sábado estive de tarde a ver um filme que passava na SIC com um senhor chamado Matthew McConaughey e a Penélope Cruz que por sinal se chama “Sahara”). Mas vou falar dum filme que não sendo tão mau quanto esse “Sahara”, não fica muito longe. Vou falar de “Slumdog Millionaire” do Danny Boyle. Sim, o tal filme que ganhou uma porrada de Óscares incluindo melhor filme e melhor realizador. Sim, o tal que muitos incluem como um dos melhores de 2008 (por mim incluo-o no lote dos piores). E isto porquê? Em primeiro lugar, é bem visível que Boyle fez um filme completamente contrário ao que fez anteriormente. E perguntas como “Como é possível um homem que faz um filme como o "Trainspotting" ou o "Sunshine" fazer uma bodega como este Slumdog?” fazem todo o sentido.
Em segundo lugar, toda a gente reparou que o filme inteiro cheira a Bollywood. E quando ouço Bollywood não consigo deixar de pensar que para ver um filme desses ou se está bêbedo, ou se quer ver mulheres bonitas ou então percebe-se tanto de cinema como eu de electricidade. Seguindo, e tentando esquecer Bollywood, Boyle traz-nos uma história de amor (até aqui tudo bem) do mais simplista que pode haver. Mas o problema não reside na simplicidade e sim na previsibilidade com que essa história de amor nos é narrada. A narrativa do filme resume-se a uma banalidade exacerbada quanto o próprio romance juvenil de Jamal. E no meio disto tudo, o senhor Boyle achou por bem fazer desta história um melodrama tipo novela brasileira, onde mesmo com todas as adversidades que assolam a vida de Jamal, os bons triunfam e os maus caem por terra e a choradeira do costume.
Mas há mais. Boyle conduz o filme de uma maneira tão desgastante e ridícula que ainda o filme vai a meio e já nós sabemos como vai acabar. Ou seja, aquilo que mais me pareceu é que, como já li pela internet fora, Boyle quis fazer um “Cidade de Deus” ou um “Carandiru” e acabou por fazer um mini-Titanic. “Slumdog Millionaire” chega e não passa dali, do filme popular, do filme para entreter massas, do filme recheado de clichés e que chega ao mainstream de forma absurda. Poderia ainda usar termos como kitsch para caracterizar este pseudo-filme de Boyle, mas nem vou entrar por aí.
Depois, é ainda ridícula a postura pretensiosa que Boyle adopta neste filme. Quer ser moralista com toda a exposição da pobreza naquele país, mas tudo o que consegue é ser estupidamente artificial, tudo o que consegue é cativar o espectador com a história de amor e com a crueldade do irmão de Jamal. Concluindo, quero dizer que os Óscares cada vez mais comprovam o que já há uns largos anos constatei. Prémios da popularidade, do mainstream e dos blockbusters, enfim, resumindo e concluindo, prémios da treta.

Classificação -1,5 Estrelas Em 5

25 comentários:

  1. Também não gostei do Slumdog, embora não lhe desse uma classificação tão baixa, nem entendi bem todo o alarido em torno deste filme a não ser como uma palmadinha nas costas a Bollywood, afinal de contas a maior indústria cinematográfica do mundo,e uma tentativa de americanização da mesma.

    ResponderEliminar
  2. Olá

    Não achei este um filme totalmente ruim. A história é bem interessante por sinal e inovadora tbém. Mas não achei que mereceu todos as indicações e inclusive o Oscar de melhor filme.

    Abraços e até mais.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Que crítica tão exagerada. um mini-Titanic? ... É um bom filme, este SLUMDOG, que se assume como o feel-good movie que é. E como é bom ver um bom filme sem intelectualismo, que é tão raro. Grande trabalho de montagem, de fotografia e de realização. Magnífica banda-sonora.

    Cumps.
    Filipe Assis
    CINEROAD - A Estrada do Cinema

    ResponderEliminar
  5. Sem intelectualismo? Pois, tens razão, sem intelectualismo porque a tentativa de Boyle em fazer uma crítica social e política da Índia cai por terra ao fazer um filme pop, mediático e sobretudo uma lamechice.

    ResponderEliminar
  6. Na minha opinião, Slumdog Millionaire foi sobrevalorizado pela crítica e apesar de ser um bom filme, The Curious Case of Benjamin Button ou Milk agradaram-me muito mais, no entnato, há que respeitar Danny Boyle pelo que fez, nomeadamente pelo facto de ter pegado num orçamento mais baixo do que algumas obras portuguesas e ter feito um filme que conquitou os prémios que conquistou, não nos podemos esquecer que tirando os dois protagonistas e o actor que faz de apresentador do concurso, tudo o resto é amador ou semi-amador. Também não nos podemos esquecer que graças a este filme, alguns problemas da India receberam atenção mediática ou acreditam mesmo que se não fosse pelos pequenos actores que nele participaram, algumas crianças que foram desalojadas pelas máquinas de construcção estariam hoje num bom orfanato ou numa casa decente...Tudo isto sobrevaloriza Slumdog

    ResponderEliminar
  7. Deve ser por falta de conhecimento cinematográfico da minha parte, mas achei este filme extraordinário, em vários aspectos. Primeiro, tem uma realização e uma edição muitíssimo bem conseguidas, numa alternância estonteantemente coreografada de cenas entre passado e presente, escolhidas a dedo de modo a que a história flua e que o espectador se envolva naturalmente com personagens tocantes. Segundo, por aquilo que o JT disse, foi um resultado fabuloso tendo em conta os actores não profissionais, o orçamento e as condições de filmagens. Terceiro, porque para mim não havia dúvida de que haveria um final feliz, e não é esse o propósito do filme, nem tão-pouco ser um panfleto de propaganda política: é levar o espectador na descoberta de todas as circunstâncias que levaram o protagonista, uma personagem "simplória" e aparentemente pacata, àquela situação inicial fora-de-série. É o contar da história de uma vida duríssima, miserável, completamente desprovida de esperança, cujo sentido total se resume a um amor meloso e infantil, mas que aos olhos da pessoa que a vive tudo vale. Inverosímil, tolo, sensaborão? Eu prefiro dizer belo, despretensioso e refrescante. Não é uma obra-prima, efectivamente, concordo que tenha ganho mais prémios do que talvez merecesse, mas os Oscar nos últimos anos têm servido (eles sim) para alertar consciências e sensibilizar para situações sociais e económicas extremas. Mas, mais uma vez, a inovação e a surpresa que este filme me trouxe podem dever-se unicamente à minha ignorância.

    ResponderEliminar
  8. Só temos iluminados neste blog ...

    Cada um temos direito a opinião... mas acho que deviam ter um bocadinho de bom senso.... e as vezes enfiar a viola no saco se é para publicar este tipo de criticas...

    Um filme que ganhou 13 oscares... e simplesmente por se embirrar com a história dá-se má nota ou pelo modo como conta a história???

    Então e a montagem??? então e música?? então e a representação???

    Há muitas das críticas aqui escritas neste blog que são dadas apenas por embirração com algum actor ou actriz... ou com esta ou aquele realizador ...

    Há que ter a mente aberta...e claramente muita das críticas publicadas neste blog são simplesmente tendenciosas....

    É pena....

    ahhh....um pequeno aparte geral: aprendam a escrever críticas sem divulgar o enredo do filme....

    ResponderEliminar
  9. Alexandre,
    o iluminado és tu e muitos outros como tu que conseguem ver algo de extraordinário neste filme sem ser a parte técnica.

    PS: ainda me hás-de explicar em que parte da crítica eu divulgo o enredo. Desconfio que também nesse caso sejas iluminado.

    ResponderEliminar
  10. Ok, vamos lá com calma :)

    Quanto à parte que me toca como administrador, não creio que os enredos são divulgados na totlaidade, pelo menos nos textos que escrevo, limito-me a transpor o já divulgado pelos estudios responsáveis nas sinopses oficiais que nos enviam. O mesmo se passa com os outros colaboradores que até hoje não vi divulgarem o final ou parte importantes da história. Portanto, toda a história que é divulgada pelas nossas críticas está parente em todos os outros sites/blogs do género. E se por algum lapso encontrarem um texto onde é revelado demasiada informação, por favor avisem-me e procederei a uma moderada e respeitosa correcção.

    Quanto às opiniões, cada um tem direito à sua e o que seria da nossa sociedade ocidental se não aceitassemos opiniões diferentes. O cinema vive de opiniões diferentes pk se todos gostassemos do mesmo, so haveria um género, um realizador, uma industria centralizada numa espécie de cinema, algo que todos nós consideramos impensável. Penso que o Portal Cinema espelha muito bem a diversidade de gostos e a forma como convivem no quotidiano.

    ResponderEliminar
  11. O problema no meio de tudo isto é qualificar Sunshine como um bom filme.

    E ainda ter o desplante de dizer que este é mau! Não em surpreende que diga que este Slumdog é mau, já que Sunshine está ao lado de Trainspotting.

    Que falta de cultura cinematográfica.

    ResponderEliminar
  12. Claro que há lugar para gostos e opiniões e visões completamente distintas, e é assim que vamos enriquecendo, partilhando-as. Mas tem de haver tolerância para essas mesmas diferenças de gostos! Fiquei muito espantada com esta crítica do Álvaro, a quem em geral valorizo o rigor e detalhe nas críticas que escreve e que revelam grande conhecimento cinéfilo, porque, Álvaro, ao fim e ao cabo, não fiquei muito esclarecida quanto às razões da total repugnância que descreveste para com este filme. O que li no teu texto foi apenas desdém e total ausência de objectividade, e também a tem de haver em alguma medida naquilo de que não gostamos! As críticas negativas constroem-se tal e qual como as positivas, isto é, com coerência e consistência de argumentação. Tendenciosos todos somos, a partir do momento em que escrevemos sobre uma paixão e, lá está, nos sentimos mais agradados/cativados/identificados por razões e estímulos diferentes consoante a nossa sensibilidade e gosto. Tem é de haver devida justificação! E devida moderação, acrescentaria! Mas, aparentemente, eu sou uma iluminada...

    ResponderEliminar
  13. Além de iluminados temos os que não sabem interpretar textos....

    ResponderEliminar
  14. Álvaro afinal quem não sabe interpretar textos és tu....

    "ahhh....um pequeno aparte geral: aprendam a escrever críticas sem divulgar o enredo do filme...."

    aparte geral.... geral... O JT percebeu :) até porque não é a primeira vez que comento sobre este tema!!

    Um filme que ganhou pelo menos 88 prémios e ainda mais 33 nomeações será assim tão mal???

    Estamos num mundo de iluminados que todos os críticos e todos os jurados estavam todos comprados pela produção do filme???

    E média das 8.5 estrelas dadas por 130,047 votos (pessoas, humanos) no IMDB?? Também são todos iluminados??

    Isso parece-me ser um pouco prepotente... e como não vai dar o braço a torcer, não vale a pena continuar a discussão...

    Para além do mais, a sua crítica é de um total desprezo por um filme que não o merece...

    ResponderEliminar
  15. Deixei bem claro na crítica o que penso dos Óscares. E já agora, completando, o que acho de prémios em geral, ou seja, ter ganho muitos não é sinónimo de qualidade. Já nem falo no IMDB...

    Já sabia que ía ser muito condenado por criticar assim o filme, se o tivesse feito com o Titanic seria a mesma coisa (infelizmente nessa altura ainda não andava por aqui), mas não estou preocupado com isso. Certamente haverá muita boa gente que concordará comigo, o que prova que não será prepotência minha.

    Eu percebi a do aparte geral, mas se é geral eu estou incluído, não será? - não foi a minha primeira crítica, por isso...

    Falo de cinema, para quem gosta de ver cinema. E não de fantochadas como esta e muitas outras que Hollywood produz ou "apadrinha".

    Se gostas de novelas, o problema é teu. Eu prefiro cinema, cinema a sério.

    Penso que justifiquei bem o porque de achar o filme uma azeiteirada, mas se não desvendas-te isso, mais uma vez, o problema é teu.

    Ahhh, não dou o braço a torcer, não gosto de dor!

    E falando para um tal de Luis Lopes, recomendo-lhe que leia melhor e que me diga onde comparei o Trainspotting ao Sunshine.

    ResponderEliminar
  16. Que querias criar polémica não há dúvida, mas pensei que, quando ela surgisse, tivesses mais classe e eloquência na contra-argumentação. Acho que desdenhar das opiniões alheias não conta como discussão digna e civilizada de gostos divergentes, sentado no teu trono de cinéfilo purista e informado.

    ResponderEliminar
  17. Olha que a polémica até beneficia o blog.

    ResponderEliminar
  18. Bem, eu tenho uns gostos estranhos, devo admitir, mas nunca por nunca critico alguém por não gostar dos mesmos filmes que eu...
    "Polémicas" destas não beneficiam o blog, o que beneficia sempre todos os "debates" é o respeito pelas opiniões de cada um e isso não foi respeitado!
    Ah, já agora eu também sou um "Iluminado"...

    ResponderEliminar
  19. Bom, como colaborador do Portal Cinema tenho também de me manifestar... Primeiro: por muito absurdas que as opiniões dos outros nos possam parecer, devemos sempre respeitá-las e quando muito oferecer argumentos para fomentar um debate saudável (já vi muitas críticas negativas a "Titanic" - um dos meus filmes preferidos - e nunca insultei ninguém); Segundo: sou também da opinião que "Slumdog Millionaire" não foi o melhor filme do ano. Para mim, "Benjamin Button", "Revolutionary Road" ou "The Wrestler" são melhores filmes, mas "Slumdog" também não é taõ mau como se apregoa. Nem todos os filmes têm de nos fazer reflectir sobre a vida. O cinema também é entretenimento... Terceiro: Quando vi este filme estava à espera de mais, mas não deixei de achar o filme bastante bom, até pela mensagem que transmite. Dá-me a impressão de que por vezes alguns críticos têm uma vontade enorme de desprezar tudo aquilo que tenha sucesso em Hollywood (com isto não me estou a referir necessariamente ao Álvaro, mas a vários críticos como os do jornal Público, por exemplo, que até seriam capazes de dizer que "Schindler's List" é horrivel só porque foi feito na América... Cheira-me que se "Slumdog" tivesse ido directamente para DVD, tinha acabado por receber altos louvores por parte destes críticos, mas como ganhou Oscares... Quarto: os colaboradores deste blog fazem o possivel por escrever críticas apaixonadas e que sirvam para informar os espectadores e dirigi-los no sentido do visionamento de mais e melhores filmes. Por vezes essa paixão leva-nos a desvendar algo que não deviamos, mas penso que falo por todos quando digo que por vezes são detalhes que nos escapam na ansiedade de publicar a nossa opinião. Mas críticas como estas são sempre aceites para melhorar o nosso blog.
    Cumprimentos a todos os leitores.

    ResponderEliminar
  20. Estou em alguns aspectos de acordo com a critica. Este filme a nivel de mensagem e de conteúdo não é uma obra prima digna do oscar de melhor filme de 2008 mas apesar de tudo tem um ritmo excelente e é um bom entretenimento. E não deixa de ser uma homenagem aos filmes de Bollywood e a historia não deixa de ser original, pelo menos na sua forma.

    na minha opiniao este filme vale 3,5 / 5

    Jose Carlos

    ResponderEliminar
  21. Bom dia, eu nem acho o filme mau de todo mas tem uma parte que era escusada de fazerem já depois do final que é uma coreografia de dança que a meu ver estragou o filme e transformou-o numa imagem de filme pop comercial, o que foi pena

    ResponderEliminar
  22. Típico de Portugueses esta critica
    Sem comentários

    ResponderEliminar
  23. "E quando ouço Bollywood não consigo deixar de pensar que para ver um filme desses ou se está bêbedo, ou se quer ver mulheres bonitas ou então percebe-se tanto de cinema como eu de electricidade."
    É bom respeitar os gostos de cada um, mas ao ler esta frase, sinceramente me entristece muito como o ocidente vê o cinema indiano, que é a maior industria cinematográfica.
    A pessoa que escreveu a frase, tenho certeza que nunca viu um filme indiano e já vai arrastado pela mentalidade que os ocidentais já fazem do cinema, ou seja, filmes melodramático longos, cheios de musicais.
    Quanto ao filme,Danny Boyle fez um excelente trabalho.Já vi melhores mas mesmo assim não deixa de ser bom. A banda sonora é um dos melhores e o A. R. Rahman é sem dúvida um dos melhore compositores da actualidade. A interpretação dos actores não deixa a desejar, sem contar com os actores mirim.

    Para a pessoa que escreveu esta critica o meu conselho é ir ver um filme indiano e deixar de ser preconceito em relação à bollywood.

    Vai ver "3 idiotas" e depois falamos.

    ResponderEliminar
  24. Ó Maryssol já vi filmes indianos sim, e bons, do Satyajit Ray ou do Ritwik Ghatak (conheces?), mas os de Bollywood são tudo menos bons. Quer-me parecer que tu é que ainda não viste cinema indiano de jeito.

    ResponderEliminar
  25. Satyajit Ray foi um dos melhores da sétima arte mas não é o único do cinema indiano que sabe fazer filmes. Ao falar mal de bollywood pelo menos devias dar ao trabalho de ver um filme da produção. Como todo e qualquer cinema há maus e bons filmes, por isso acho bastante preconceituoso da sua parte classificar simplesmente como mau. Deixo uma lista de excelente filmes da produção de bollywood, sem falar dos clássicos mais antigos.

    3 idiots
    Taare zameen par
    Lagaan
    Okmara
    Well done Abba
    Peepli live


    Maryssol

    ResponderEliminar

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica em Destaque

Membro Oficial

Membro Oficial