Mais Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

terça-feira, dezembro 15, 2009

Crítica - Zombieland (2009)

Realizado por Ruben Fleischer
Com Jesse Eisenberg, Woody Harrelson, Emma Stone, Abigail Breslin

A indústria cinematográfica está completamente rendida à surpreendente qualidade de “Zombieland”, uma comédia surrealista que conseguiu harmonizar inteligentemente o sadismo da violência com a extravagância da comédia. A história desta fantástica produção apocalíptica acompanha as excitantes aventuras de Columbus (Jesse Eisenberg) e Tallahassee (Woody Harrelson), um assustadiço adolescente e um extrovertido caçador que, juntamente com Wichita (Emma Stone) e Little Rock (Abigail Breslin), procuram sobreviver à extinção da humanidade que foi subitamente despontada por uma epidemia global, que transformou grande parte da população mundial em monstros sanguinários que perseguem incessantemente os últimos sobreviventes da civilização humana.


As melhores produções cinematográficas sobre zombies foram brilhantemente dirigidas por George A. Romero, um famoso cineasta que sempre conseguiu rentabilizar estas desprezíveis criaturas através de interessantes paralelismos sociológicos, no entanto, Ruben Fleischer também conseguiu aproveitar estas criaturas sobrenaturais através de uma exacerbada produção humorística que nos diverte bastante. A simplicidade subjectiva do argumento é compensada pela extravagância dos variados momentos de violência explícita que preenchem constantemente o desenvolvimento desta história, que mistura convenientemente as bases do terror com os exageros da comédia. Os efeitos especiais/visuais desta comédia não são propriamente revolucionários, no entanto, são nitidamente eficazes porque foram utilizados com destreza e astúcia pelos responsáveis criativos deste departamento. O elenco é essencialmente composto pelos quatro actores principais, que nos oferecem quatro performances individuais bastante interessantes que incorporaram na perfeição o espírito surrealista e humorístico de “Zombieland”. A pequena participação de Bill Murray também é absolutamente fenomenal e hilariante.


As fantásticas sequências sanguinárias de “Zombieland” são um verdadeiro espectáculo de crueldade e destruição que facilmente ultrapassam os parâmetros da seriedade cinematográfica, no entanto, essas sequências não estão inseridas num ambiente sadistico ou terrorífico, muito pelo contrário, estão inseridas numa história que privilegia claramente o divertimento do espectador através de inúmeros momentos visualmente exagerados, que deverão agradar aos apreciadores daquelas longas-metragens independentes que nos conseguem cativar graças à exposição do ridículo e do extremo.

Classificação – 4 Estrelas Em 5

1 comentário:

  1. Plenamente de acordo com o que foi escrito. É possivelmente um dos melhores tash movies dos últimos anos.

    ResponderEliminar

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas