Ticker

6/recent/ticker-posts

MOTELX 2013 - Entrevista a Miguel Ângelo, Realizador Em Competição Com a Curta Sara

 
O Portal Cinema vai acompanhar de perto o MOTELx 2013, mas enquanto o festival não começa decidimos conhecer um pouco melhor os nove realizadores que este ano vão participar na Competição Oficial do MOTELx - Prémio Yorn MOTELx que, tal como tem vindo a acontecer, apenas é aberta à participação de realizadores portugueses. A vitória nesta competição vale ao realizador vencedor e ao seu trabalho o título de Melhor Curta do MOTELx, mas também um prémio monetário de 3000 euros, a que acrescem 2500 euros em serviços de pós-produção vídeo na Pixel Bunker e ainda um fim-de-semana de inspiração num dos Hotéis Belver, um dos patrocinadores do festival. Esta competição é portanto muito importante para os nove realizadores em competição, que aproveito desde já para congratular pelo trabalho realizado, e agradecer o tempo disponibilizado para participarem nesta pequena iniciativa do Portal Cinema, que tem como principal objetivo dar a conhecer ao público estes jovens realizadores e os seus respetivos trabalhos e, quem sabe, aguçar o apetite para o que o público poderá ver na Competição de 2013 do MOTELx. As nove entrevistas que foram feitas aos nove participantes – Nuno Sá Pessoa (Bílis Negra); André Gil Mata (O Coveiro); Carlos Amaral (Longe de Éden); Alex Barone (Monstro); Rui Pilão (Desespero); Paulo Araújo (Nico - A Revolta); João Seiça (Hair); Miguel Ângelo (Sara); Patrick Mendes (A Herdade dos Defuntos) – pretendem portanto dar a conhecer as suas respetivas curtas que estão a concurso, mas também o seu percurso profissional, os seus objetivos e gostos pessoais, os seus planos para o futuro e as suas expetativas para o MOTELx 2013.

O sétimo entrevistado desta pequena iniciativa é o realizador Miguel Ângelo, que apresentará no MOTELx 2013 a curta “Sara” (Escrita por Miguel Ângelo e Fábio Freitas/ Com Marta Andrino, Sara Barros Leitão/ Duração - 10 Min.), que tem a seguinte sinopse oficial: A necessidade de cuidar de Sara torna-se uma obsessão para a irmã, Joana, que a protege, prendendo-a entre quatro paredes.  

Portal Cinema (PC) - Estar presente na Competição do MOTELX 2013 é, para já, o ponto alto da sua carreira? Será que nos pode falar um pouco sobre o seu percurso universitário e sobre a sua filmografia? O que o levou a escolher uma profissão neste ramo?
Miguel Ângelo (MA) - Penso que posso considerar este como o ponto alto do meu percurso cinematográfico. Estudei na Escola Superior de Teatro e Cinema, onde participei em várias curtas mas sempre em funções técnicas. Esta foi a primeira curta que realizei. Sempre achei o cinema o melhor veiculo para contar histórias e foi por isso que enveredei por uma carreira no audiovisual.

PC - O que representa para o Miguel ver o “Sara” nomeado ao Prémio Principal do MOTELx 2013? Já tem algum plano para o prémio monetário, caso vença a competição?
MA - É um prazer e uma honra fazer parte dos nomeados. Foi uma surpresa visto que fizemos esta curta no âmbito do 48 hour film festival e pensei que serviria apenas esse meio, mas é agradável ver que o nosso esforço está a ser reconhecido com a selecção para outros festivais e principalmente com a nomeação para o Motelx. Se o prémio for atribuído à nossa curta tenciono investi-lo na realização de uma outra, ganhando com isso mais tempo e qualidade no processo.

PC - A sinopse de “Sara” parece indicar que estamos perante uma curta que tanto está próxima do terror psicológico, como do drama familiar. Foi esta a sua intenção? O que é que nos pode dizer sobre o guião deste projeto? De onde surgiu a ideia? Foi buscar algum tipo de inspiração a um projeto já existente?
MA - Sim foi essa a intenção. O processo de escrita, em conjunto com o meu colega Fábio, teve de ser rápido mas foi também muito aliciante. As ideias começaram a surgir a partir do pressuposto que não queríamos fazer nada gore. Muito rapidamente nos dirigimos para o terror psicológico. Visto que tínhamos uma janela muito reduzida para a realização da curta decidimos escrevê-la para um único espaço físico. Dai nasceu a ideia da manutenção de alguém em cativeiro e como já tinha em vista a Sara e a Marta para protagonistas a ideia de manter a história dentro de uma família surgiu.

PC - Uma parte importante de “Sara” parece ser o seu elenco feminino composto por Marta Andrino e Sara Barros Leitão. O que o levou a escolher estas duas jovens atrizes para assumirem os papéis de Joana e Sara? As suas performances corresponderam às suas expetativas?
MA - A Marta e a Sara na minha opinião são duas actrizes extremamente talentosas. Além de serem elas os alicerces da curta, pois a história é simples e em termos técnicos não houve grande exploração devido ao curto tempo que tínhamos, são também actrizes muito fáceis de dirigir. Durante as gravações foi rara a vez que precisei de explicar o que queria delas e bastou uma leitura do argumento para estarem cientes das suas personagens. No todo da curta as suas performances excederam bastante as minhas expectativas.

PC - Que tipo de reação é que espera que o público tenha ao ver esta curta? E qual é o tipo de espectador que à partida conseguirá compreender este projeto?
MA - Eu espero sobretudo que gostem da curta e que sejam entretidos por ela. Penso que toda a gente conseguirá entender o filme. A meu ver a história é simples e fluída e penso que não causará problemas a qualquer espectador que esteja atento.

PC - Tem algum realizador que o inspire e cuja carreira admire? Qual é o seu filme favorito?
MA - Em termos inspiracionais estou em constante mutação. Neste momento estou fascinado com o sentido de estética e a simplicidade crua na narrativa de Steve Mcqueen. Quanto ao filme favorito é impossível responder a essa pergunta pois há umas quantas dezenas deles, mas posso dizer que um dos últimos filmes que entrou nessa lista foi o "Drive" do Nicolas Winding Refn.

PC - O que espera da edição deste ano do MOTELx? O que é que lhe chama mais a atenção na programação deste ano?
MA - Do room service estou especialmente interessado em ver o "Byzantium" e o "Chained". Sou um grande fã de cinema asiático por isso espero rever o "Ring" e o "Dark Water", e ver o "Chaos" de Hideo Nakata. O "Jason and the Argonauts" também me causa curiosidade pois a "Argonautica" é um dos próximos livros que tenho para ler. Finalmente quero assistir a todas as curtas para ver o que se fez em Portugal dentro deste género este ano.

PC Já tem algum novo projeto na sua agenda? O que é que podemos esperar do Miguel no futuro? Vai continuar por Portugal?
MA - Neste momento estou a escrever duas curtas que tenciono começar a produzir o mais rapidamente possível e por agora não tenho intenção de abandonar Portugal.

Enviar um comentário

0 Comentários