Crítica - Last Vegas (2013)

Realizado por Jon Turteltaub 
Com Michael Douglas, Robert De Niro, Morgan Freeman

Antes que a Warner Bros. tivesse sequer a oportunidade de pensar em aproveita o franchise “The Hangover” para criar uma espécie de spin-off com um twist completamente diferente, a CBS Filme decidiu passar à frente da forte concorrência e avançar ela própria com uma espécie de projeto derivado da ideia base dessa famosa trilogia de humor, assim sendo, em vez de sermos confrontados com a jornada de um quarteto de jovens amigos que, após uma noite de farra, têm que passar por uma impressionante aventura cheia de perigos e situações constrangedoras, em “Last Vegas” seguimos a peripécia de outro quarteto de velhos amigos, mas de terceira idade, que se juntam em Las Vegas para participarem na despedida de solteiro de um deles e, quem sabe, para viverem uma das últimas noites de diversão e loucura das suas respetivas vidas. Já pode ver por este breve resumo que “Last Vegas” não é assim tão parecido quanto isso com o popular “The Hangover”, mas estes dois projetos partilham, ainda assim, umas certas parecenças, sobretudo na forma como aproveitam Las Vegas para ambientar uma jornada cheia de peripécias malucas, mas também há que realçar a forma como ambas aproveitam o álcool e a diversão para cimentarem a base de uma desmedida aventura cómica, que pelo meio terá muito constrangimento e várias surpresas.


É óbvio que “The Hangover” aposta num conceito narrativo um pouco mais arriscado e violento que “Last Vegas”, que no fundo até se desdobra num plano cómico um pouco mais simplista, mas é claro que há, ainda assim, uma certa peculiaridade cómica no seio deste projeto, que apesar de ser um pouco mais inocente que “The Hangover”, também nos apresenta várias sequências bem corajosas, se bem que a sua trama base seja bem menos apoteótica e complexa que a dos seus principais rivais cómicos. No fundo, “Last Vegas” é um produto que entretém quanto baste, mas apesar das parecenças básicas está muito distante de ter qualquer possibilidade de rivalizar com o impacto popular da trilogia “The Hangover”, até porque esta surgiu primeiro e tem por isso um código genético muito mais categórico que este projeto que, claro está, não se conseguiu livrar das comparações nem das acusações de repetição por parte dos mais picuinhas. As parecenças entre “The Hangover” e “Last Vegas” não se restringem apenas ao enredo, já que os dois também são dotados de competentes elencos masculinos que rentabilizam ao máximo o espírito louco e aventuroso de ambos os projetos. O elenco de “Last Vegas” tem a clara vantagem de ser composto por quatro atores de elevada experiência que, a dada altura da sua carreira, conquistaram um Óscar da Academia, por isso só se pode esperar um luxo do quarteto formado por Kevin Kline, Michael Douglas, Morgan Freeman e Robert De Niro, que têm aqui uma performance individual moderadamente satisfatória, que apesar de não representar de todo o seu majestoso lado profissional, acaba por os deixar com uma boa imagem, já que nenhum faz má figura. Este quarteto de atores experientes até é um dos grandes pontos positivos desta comédia adulta, que está longe de ser um bom show de comédia, mas que tem todo o potencial para render uma boa hora e meia de entretenimento. 

 Classificação – 2,5 Estrelas em 5

Enviar um comentário

2 Comentários

  1. O argumento do «Last Vegas» é tão imbecil como o de «7 pecados rurais». Os actores podem ser bons, mas um argumento imbecil dá sempre um filme boçal.

    ResponderEliminar
  2. "Last Vegas - Despedida de Arromba": 4*

    "Last Vegas - Despedida de Arromba" é um filme bastante divertido e recomendo que o vejam.
    "Last Vegas" é uma comédia com piadas certeiras e com algumas mordazes.

    Cumprimentos, Frederico Daniel!

    ResponderEliminar