Ticker

6/recent/ticker-posts

FantasPorto 2020 - Balanço e Palmarés

FantasPorto 2020 - Balanço e Palmarés

Antes de falarmos dos vencedores do FantasPorto 2020, que comemorou em 2020 os seus 40 Anos de Existência, importa fazer um balanço pessoal do festival que tivemos o prazer de acompanhar. Numa primeira linha há que dar os parabéns à organização do FantasPorto que continuam a trajetória ascendente de recuperação do festival que, como se sabe, passou por tempos negros e ainda enfrenta grandes limitações económicas. O que é certo é que, mesmo sem grandes blockbusters ou produções fortemente comerciais, o FantasPorto voltou a apresentar uma programação rica e recheada de bons filmes, onde destacamos “Una Chica Invisible”, “Clarita”, “Adverse”, “Loop” ou até “Ghostmaster”, que acabou por ser um dos grandes vencedores do certame!
Tirando uma ou outra exceção, os filmes que foram exibidos nas Competições Internacionais do FantasPorto (Competição Cinema Fantástico, Semana dos Realizadores e Orient Express) apresentaram uma qualidade bem aceitável e promoveram o espetáculo que se esperava. É certo que o FantasPorto já não tem um line-up que, à primeira vista, consiga captar as atenções dos mais distraídos, mas verdade seja dita que todos os anos este certame apresenta uma série de filmes que merecem ser descobertos e que até fariam melhor figura nos cinemas nacionais do que certas obras que vemos por aí. O FantasPorto continua a ser um festival diferente, mas continua a primar pela inovação e pela diferença e, num mundo onde cada vez mais há festivais, o FantasPorto dá provas que tem vitalidade para igualar a concorrência e não desaparecer. Nos discursos de abertura e encerramento ficou patente a ideia que a organização do FantasPorto não vai desistir e que tem orgulho do seu ilustre passado (e com toda a justiça), mas também ficou demonstrado que o FantasPorto está numa fase mais modesta, numa fase de mudança que precisa de apoios contínuos. Por cá, o Portal Cinema sempre tomou o FantasPorto como um aliado próximo e continuará sempre a marcar presença nas edições deste certame. Temos confiança nesta organização e achamos que ainda mais e melhor esta para vir!


Vamos aos vencedores! A comédia sobrenatural com muito humor negro à mistura “Ghostmaster”, de Paul Young, foi o grande vencedor da 40ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto. No filme seguimos uma equipa de filmagens que se vê no meio de um grande caos provocado pelo assistente de realização que é constantemente humilhado por todos e que, para se vingar, conjura forças maléficas. Esta obra que nos apresenta muito humor e alguma influência dos animes japoneses acbou por ser uma das sensações o festival, mas houve outros filmes a serem premiados. O cineasta japonês Sabu, já vencedor do Fantas por duas vezes, saiu do Porto novamente triunfante, tendo conquistado o prémio Especial do Júri por “Dancing Mary”. O Prémio para a Melhor Atriz também foi para a Ásia, concretamente para as Filipinas, tendo sido entregue a Christine Reyes pelo filme “Untrue”. Já o prémio de Melhor Actor ficou na Europa e foi para Leif Edlund em “Koko-Di Koko-Da”, uma co-produção entre a Suécia e a Dinamarca.
O júri constituído por Francisco Bendomir, realizador argentino, Pedro Farate, produtor português e Julian Richards, realizador de distribuidor, também atribuiu a Roderick Cabrido, das Filipinas, o importante prémio de Melhor Realizador pelo seu fantástico e terrífico filme “Clarita”. Chris Bavota e Lee Paula Springer, realizadores do filme “Dead Dicks” vindo do Canadá, são igualmente os argumentistas do filme a quem o Júri Internacional lhes atribuiu o Prémio de Melhor Argumento. O prémio para os Melhores Efeitos Visuais foi para o filme russo de horror sobrenatural “The Soul Conductor” de Ilya Maximov, um dos filmes com maior potencial comercial deste Fantas.Ainda na Competição de Cinema Fantástico há que destacar  o prémio de Melhor Curta Metragem que foi para Espanha, mais concretamente para “Moros en la Costa”, de Damiá Serra Cauchetiez. Esta obra retrata a história de um encontro amoroso entre um muçulmano e um jovem na casa deste que se torna num autêntico pesadelo.
O Júri considerou ainda que deveria referir um outro filme que se destacou na competição através da atribuição de um a Menção Honrosa. Desta vez destinada à Coreia e ao filme “Fallen”, cuja equipa do filme que se deslocaram de Seoul, se manteve no Porto durante todo o festival, sendo motor de uma festa contínua que envolveu organização e muitos dos convidados do Festival. Ficamos na Ásia para mais prémios, já que primeiro filme que o festival exibiu a concurso vindo de Taiwan, “Detention” de John HSU, foi o grande vencedor do Prémio Especial do Júri da secção oficial Orient Express. Por sua vez Bring “Me Home”, de Seung-Woo Kim, venceu o Grande Prémio Orient Express do Fantas 40 anos. 
Na Semana dos Realizadores, Milcho Manchevski venceu, pela segunda vez em três anos, o Grande Prémio da Semana dos Realizadores - Prémio Manoel de Oliveira com o seu “Willow”,. O Júri Internacional, constituído pelos britânicos Anton Bitel e Nigel Floyd ambos críticos de cinema em meios como a Sight and Sound, Rotten Tomatoes ou Time Out, e o realizador português Luis Diogo, do mais premiado filme de sempre da história do cinema em Portugal, “A Vida Sublime”, atribuiu também dois importantes prémios ao húngaro Béla Bagoti os Prémios de Melhor Realizador e Melhor Argumento - pelo seu filme “Valan – Valley of the Angels”. O prémio para o Melhor Actor foi para Cem Bender do filme turco “Omar and Us”, já o de Melhor Atriz foi para a coreana Yeong- Ae Leepor “Bring Me Home”. O Prémio Prémio Especial do Júri foi para a obra de Francisco Bendomir, “Una Chica Invisible”, um dos nossos filmes favoritos do FantasPorto.
O Júri do Prémio de Cinema Português constituído pela actriz Susie Filipe, a produtora Regina Machado, bem como por Danyel Guerra, escritor e Rui Jorge Oliveira, actor decidiram atribuir o Prémio de Cinema Português 2020 ao filme de João Estrada, “Bunker”, dando ainda uma menção ao documentário de Luis Moya, “Por Detrás da Moeda”, filme que viria igualmente a receber o Prémio do Público. A curiosidade deste filme de Moya é que nos traz para o grande écran o que se esconde atrás dos músicos que actuam nas ruas do centro do Porto. O Prémio destinado à Melhor Escola de Cinema foi para a EPI/ETIC e o Prémio de Criatividade destinado a filme de escola foi para “Leo” de Maria Eduarda Rodrigues.



GRANDE PRÉMIO MELHOR FILME - FANTASPORTO 2020
(Best Film Award Fantasporto )

Ghostmaster - Paul Young- 91’ (Jap)

PRÉMIO ESPECIAL DO JURI
(Jury’s Special Award)

Dancing Mary- Sabu – 106’ (Jap)

MELHOR REALIZAÇÃO
(Best Direction)

Clarita – Roderick Cabrido- 87’ (Filipinas)

MELHOR ACTOR
(Best Actor) 

Leif Edlund- Koko-Di Koko-Da – Johannes Nyholm- 86’ (Suécia/Dinamarca)

MELHOR ACTRIZ
(Best Actress)

Christine Reyes-  Untrue – Sigrid Andrea Bernardo – 105’ (Filipinas)- ANTESTREIA EUROPEIA

MELHOR ARGUMENTO
(Best Screenplay)

Dead Dicks- Chris Bavota, Lee Paula Springer - 83’ (Can)

MELHORES EFEITOS ESPECIAIS
(Best Visual Effects)

The Soul Conductor- Ilya Maximov- 90’ (Russia)


MELHOR CURTA-METRAGEM FANTASPORTO
(Best Short Film)

Breaking and Entering/ Moros en la Costa – Damiá Serra Cauchetiez -16’50 (Esp)

Special Mention of the Fantasy Jury:

Fallen: Director’s Cut - Lee Jung-Sub – 113’ (Coreia do Sul)- Cut- ANTESTREIA MUNDIAL

30ª SEMANA DOS REALIZADORES /OFFICIAL DIRECTORS WEEK AWARDS
Prémio Manoel de Oliveira /Manoel de Oliveira Award


PRÉMIO MELHOR FILME SEMANA DOS  REALIZADORES 2020
(Directors Week Best Film  Award)

Willow- Milcho Manchevski – 91’ (República da Macedonia/Hung/Belg)

PRÉMIO ESPECIAL DO JURI SR
(Directors Week Jury’s Special Award)

Una Chica Invisible – Francisco Bendomir- 80’ (Argentina)

MELHOR REALIZADOR SR
(Directors Week Best Director Award)

Béla Bagota- Valan: Valley of the Angels- Béla Bagota- 113’ (Hun)

MELHOR ARGUMENTO SR
(Directors Week Best Screenplay Award)

Béla Bagota- - Valan: Valley of the Angels- Béla Bagota- 113’ (Hun)

MELHOR ACTOR SR
(Directors Week Best Actor Award)

Cem Bender - Omar and Us – Mehmet Bahadir Er, Maryna Er Gorbach - 103’ (Turq)

MELHOR ACTRIZ SR
(Directors Week Best Actress Award)

Yeong-ae Lee - Bring Me Home- Seung-Woo Kim- 109’ (Coreia do Sul) - ANTESTREIA EUROPEIA



Publicar um comentário

0 Comentários