Crítica - Rua da Humanidade 8 (2021)

Crítica - Rua da Humanidade 8 (2021)

Realizado por Dany Boon

Com Dany Boon, François Damiens, Laurence Arné


Dany Boon, uma das estrelas das comédias francesas, é o realizador e maior astro de "Rua da Humanidade 8", um filme sobre o confinamento recém-chegado à Netflix que, ironicamente, foi um dos serviços mais beneficiados pelo confinamento por razões óbvias. Para além de ser o homem por detrás da câmara, este astro interpreta um de vários excêntricos residentes de um prédio em Paris que têm de se adaptar a uma nova vida e uns aos outros durante o confinamento de 2020 e logo nos primórdios da pandemia quando o vírus ainda era um mistério. 

Boon é claramente a alma desta obra, sendo o responsável pelos seus momentos mais descontraídos e com mais piadas através da sua personagem hipocondríaca que, como se espera, nunca reage bem a nada em tempos de pandemia. Mas tirando estes rasgos de humor esporádicos, "Rua da Humanidade 8" é uma comédia fraca sem grande luz ou brilho que, assim, não se aproxima minimamente do valor tradicional das comédias francesas. É um produto do momento promovido pela pandemia, mas fora este apelo mediático não tem mais nenhum chamariz óbvio e claro. Infelizmente é uma obra vazia que também apresenta moralidades tão vazias e básicas como a estrutura da sua história.


Classificação - 1 Estrela em 5

Enviar um comentário

0 Comentários