Crítica - Resonable Doubt (2014)

Realizado por Peter P. Croudins 
Com Samuel L. Jackson, Dominic Cooper, Erin Karpluk 

Um jovem procurador (Dominic Cooper) é encarregado de representar o Estado num caso de atropelamento e fuga que culminou com a morte da vítima. O suspeito do crime (Samuel L. Jackson) acaba por ser absolvido por falta de provas para gáudio do procurador, já que o acidente foi provocado por ele. O problema é que esta absolvição leva-o a descobrir uma trágica realidade que o fará perseguir uma noção de justiça que poderá estar fora do seu alcance. É esta a premissa da intriga de "Reasonable Doubt", um thriller jurídico e de vingança sem grande nível, imaginação ou interesse que mais parece ter sido feito para as televisões do que para os cinemas. Embora Dominic Cooper tente dar algum ar de sua graça ao longo do filme, este acaba por cair facilmente na categoria das longas metragens dispensáveis e completamente enfadonhas que dificilmente entreterão um espectador minimamente exigente. A sua trama tem pouco suspense e, acima de tudo, obedece a uma péssima construção que, para além de previsível , cede constantemente a fraquinhos clichés e à banalidade estúpida, já que a demanda do jovem procurador não tem qualquer sentido, como não tem as múltiplas coincidências que vão aparecendo na sua jornada cega por uma espécie de justiça natural. Este thriller chega a ser tão mau que nem Samuel L. Jackson consegue ter uma performance positiva, algo estranho para um ator mega carismático que aumenta quase sempre o nível dos projetos em que participa, mas nesta caso, nem Jackson conseguiu dar uma nota semi interessante a uma produção sem suspense e com um guião completamente absurdo.

Classificação - 0,5 Estrela em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial