Crítica - Into The Woods (2014)

Realizado por Rob Marshall 
Com Meryl Streep, Emily Blunt, James Corden

Baseado na popular peça musical da Broadway que foi criada por Stephen Sondheim, "Into The Woods" corresponde às expectativas da sua origem ao entregar ao público muitos atos musicais com valor e razoável entretenimento que se inserem no meio de uma história diferente que, realmente, entrega um toque de modernidade e diferença aos populares contos dos Irmãos Grimm, já que nos apresenta várias personagens de histórias clássicas, como a Cinderela, o Capuchinho Vermelho, o João e o Pé de Feijão e a Rapunzel que, no meio das suas próprias aventuras, envolvem-se numa história original que envolve um padeiro e a sua mulher que desejam iniciar uma família, mas que acabam por ter uma desastrosa interação com a bruxa que os amaldiçoou.
Dito isto, "Into The Woods" não é um filme de excelência. É um bom musical e um filme de entretenimento aceitável, mas não é uma obra cinematográfica fantástica ou memorável. A sua história é curiosa e os seus numerosos atos musicais são competentes, divertidos e, acima de tudo, enquadram-se com uma certa criatividade e contexto na génese do filme e das várias personagens icónicas que os interpretam. Neste sentido, "Into The Woods" entretém o público, mas não deixa por isso de ser apenas e só um espetáculo de música e fantasia razoável que, apesar de estar bem feito e de ser divertido e ritmado, não é esplendoroso e magnifico. O que salta à vista e ao coração é que falta a "Into The Woods" aquele toque de real qualidade e magia que o poderia diferenciar dos musicais mais básicos, notando-se logo à partida que se trata de um poduto da Disney e da Broadway que foi feito, pura e simplesmente, para agradar às massas e que, apesar de dar um toque especial aos contos populares dos Irmãos Grimm, acaba por não os elevar para um patamar superior de real diferença e valor.  


O que se nota é que existe sempre no ar um impertinente ambiente de artificialidade que acaba por mascarar o sentimento de fantasia que deveria ressoar no seu argumento que, embora seja bem conseguido, está muito longe de ser realmente apelativo ou de conseguir despertar aquele sentimento de magia e espetacularidade que, supostamente, este musical deveria despertar junto do público. Estamos por isso perante um produto incompleto que, embora divirta, não toca o coração de quem o vê e sente, porque falta-lhe aquela chama de magia, fantasia, emoção e paixão que um grande musical deve ter, mas que "Into The Woods" infelizmente não tem.
Isto não lhe retira o valor de entretenimento, porque como já referi, "Into The Woods" é competente a nível técnico e musical, como apresenta também uma narrativa razoável que é interpretada por um elenco de luxo e bastante conhecido que, claro está, apresenta um nível coletivo muito bom, com artistas como Meryl Streep ou Emily Blunt a mostrarem muita classe com as suas respetivas personagens que, curiosamente, não fazem parte do mundo de fantasia dos Irmãos Grimm. É óbvio que falta a "Into The Woods" aquele pedaço importante de magia e qualidade que o poderia tornar num grande musical, mas apesar de tudo, estamos perante uma obra muito competente que consegue entreter com as suas armas e artimanhas. É certo que lhe falta alma e coração, mas para um produto comercial semi vazio do ponto de vista emocional e humano, até se destaca como uma obra bem conseguida.  

Classificação - 3,5 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial