Crítica - Tusk (2014)

Realizado por Kevin Smith
Com Justin Long,  Haley Joel Osment, Johnny Depp

Com "Red State" em 2011, Kevin Smith estreou-se na direção de filmes de terror e tal estreia correu-lhe muito bem, mas infelizmente não lhe foi dada uma continuidade aceitável ou de nível semelhante com "Tusk", o seu segundo projeto dentro do género de terror alternativo, onde Smith apresenta-nos um projeto mais imaturo, cómico e inocente que "Red State", onde Justin Long interpreta um locutor de rádio que é raptado por um homem com sérios problemas psicológicos (Michael Parks) que o obriga a vestir-se e a comportar-se como uma morsa. Por esta breve premissa pode-se até achar que "Tusk" entra por caminhos de um filme de terror exploitation, mas o que é certo é que, apesar de conter uma ou duas sequências mais alternativas e duras, "Tusk" pouco faz para merecer o rótulo de filme de terror corporal e expoitation que lhe foi atribuído pelos seus produtores. 
A sua história pouco sumo narrativo ou interesse tem, aliás pode até mesmo ser considerada bastante enfadonha e cansativa, porque nem a sua premissa faz sentido dentro do espírito da excesso, nem os próprios eventos da sua intriga conseguem puxar pelo espectador, porque a única coisa que parece dar vida a este projeto é o seu aparente "shock value" que, repito, resume-se a uma premissa intrigante que apenas se materializa num par de sequências que pecam por escassas. É óbvio que Smith poderia ter feito melhor, porque apesar da sua ideia base parecer interessante, "Tusk" falha em praticamente todos os níveis a que se propõem. Um dos poucos pontos de interesse acaba mesmo por ser a participação de Johnny Depp no papel de Guy Lappointe, um detetive bêbado que acaba por puxar pelo lado mais extravagante de Depp e do próprio “Tusk”. Embora possa vir a conquistar um estatuto de filme de culto dentro de alguns anos no seio de alguns círculos, para mim "Tusk" não é um grande filme em qualquer género, sendo bastante aborrecido e nada curioso, pelo menos não ao nível que se esperava. A ver vamos o que Kevin Smith fará com "Yoga Hosers" e "Moose Jaws", os dois filmes de terror que se seguem na sua filmografia e que funcionam como uma espécie de sequela para este "Tusk", que segundo Smith deu origem à trilogia "True North".

Classificação - 1 Estrela em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial