Crítica - 7500 (2014)

Realizado por Takashi Shimizu
Com Amy Smart, Ryan Kwanten, Jamie Chung

Um filme de terror demasiado diminuto e fácil. Embora existisse espaço e potencial para muito mais, "7500" entrega ao público um parco filme de terror sem a tensão esperada que, em vez de evocar os esperados sentimentos de terror ou mistério, acaba apenas e só por nos recordar tenuemente de um mau episódio da já cancelada série dramática "Ghost Whisperer". 
A sua trama desenrola-se durante um voo comercial de Los Angeles para Tóquio, que subitamente é alvo de um inesperado ataque por parte de uma estranha e misteriosa entidade aparentemente sobrenatural que aterroriza os passageiros do Voo 7500, cujo final acaba por ter estranhas semelhanças com a história real do Voo 522 da Helios Airways. Tal trama é explorada com um gigante grau de previsibilidade e uma completa inércia de incutir qualquer tipo de suspense ou pânico a uma história demasiado simples e repleta de clichés que, no final, presenteia-nos com um twist tão esperado como a própria mediocridades das performances dos seus protagonistas maioritariamente conhecidos, como Amy Smart, Ryan Kwanten, Jamie Chung ou Leslie Bidd. 

Classificação 1,5 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial