Mini-Críticas - Every Thing Will be Fine & Félix and Meira (2015)

Realizado por Wim Wenders
Com James Franco, Rachel McAdams
Género - Drama

Sinopse - Certo dia, enquanto guiava distraidamente sem destino nos arrabaldes de uma cidade, após uma pequena quezília doméstica, um escritor atropela acidentalmente uma criança. Será ele capaz de prosseguir? Quais as consequências desse acontecimento na sua inspiração? E nas suas relações?

Crítica - O seu elenco estrelar e o seu cineasta aclamado não faziam antever um filme tão fraco. A ideia por detrás de "Every Thing Will Be Fine" até junta elementos muito interessantes que em conjunto tinham tudo para serem a base de um bom filme, mas então como é que esta obra falha tão redondamente em tudo?
O estilo melodramático da sua trama é em parte responsável pelo seu fracasso. Não é que os temas que estão no seu epicentro dramático sejam maus ou banais, mas necessitavam de um pouco mais de pujança para surtirem os devidos efeitos prometidos na premissa do filme. O que nos é oferecido não se aproxima de um drama existencial ou familiar sobre o destino ou decisões, mas sim uma mescla narrativa que tenta puxar ao sentimento do espectador recorrendo apenas a uma direção excessivamente artística e não a uma narrativa com substância. Não há portanto nada de errado nas intenções e bases de "Every Thing Will Be Fine", mas sim nas direções que este filme toma para as transmitir ao seu espectador.  É neste ponto que o desenvolvimento objetivo do enredo é sacrificado em prol de intenções artísticas subjetivas e nada produtivas que acabam por abalar o ritmo do filme, mas sobretudo as intenções iniciais do filme e o desenvolvimento dos seus intervenientes.
A responsabilidade por esta insuficiência de produção só pode ser atribuída a Wim Wenders, o responsável máximo e direto por esta obra que não conseguiu deixar de lado a sua veia artística caracteristicamente europeia. Se na maior parte dos seus projetos a sua visão subjetiva até lhes acrescenta muita qualidade e proximidade humana, neste caso tal não sucede porque, ao contrário de outras obras, "Every Thing Will Be Fine" teria beneficiado muito mais se tivesse existido uma aposta mais direta e central que não o afastasse dos seus objetivos. Tal não sucedeu e o resultado está à vista.

Classificação - 2 Estrelas em 5

Realizado por Maxime Giroux 
Com Hadas Yaron, Martin Dubreuil, Luzer Twersky 
Género - Romance

Sinopse - Meira (Hadas Yaron) é uma jovem mulher casada que vive no seio da comunidade judaica ortodoxa de Montreal, no Canadá. Meira encontra a liberdade que procura entre as suas crenças religiosas após encontrar Félix (Martin Dubreuil) numa padaria local. Félix é um homem solitário que está de luto pela recente morte do seu pai. O que começa com uma amizade acaba por ficar mais sério à medida que eles encontram conforto um no outro.


Crítica - Candidato do Canadá ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2015, "Félix & Meira" não terá fortes possibilidades de conquistar uma das cinco nomeações finais, mas isto não significa que não esteja isento de qualidade. A sua história tem como cenário a comunidade judaica ortodoxa que é conhecida, como se sabe, por ter tradições e ideais muito próximas ao machismo e à devoção total à família e à comunidade. É neste contexto que vive Meira, uma jovem presa a um casamento que não quer e devota a uma comunidade judaica com a qual já não se parece identificar. A sua válvula de escape reside em Félix, um homem simples e de aparente coração puro que se torna rapidamente no seu amante e na sua rampa de saída da sua penosa vida atual. 
Na sua base está portanto um romance improvável mas de simples compreensão que coloca em evidencia os limites morais e emocionais que uma pessoa enfrenta perante a dúvida entre a sua liberdade e o seu dever. Tais dúvidas complexas levantam-se, claro está, junto de Meira, uma mulher doce mas fraca de espírito que tenta recuperar o controlo da sua vida junto de uma relação inesperada. Tal relação com Félix nem sempre é objetiva e nunca será um claro exemplo de amor sem fronteiras, mas assenta numa construção muito equilibrada e competente que evidencia os dilemas de cada um, especialmente de Meira que, para além da sua família, poderá também perder a sua fé e comunidade. 
No seio deste ávido romance é feito um curioso contraponto entre a problemática relação proibida de Meira com os pertinentes deveres da comunidade judaica ortodoxa. Tal contraponto torna-se curioso e apimenta a história em seu redor, especialmente quando se junta à equação o marido de Meira que, quando se apercebe das intenções da sua mulher, prejudica ainda mais a sua já fraca relação ao reforçar as leis da sua fé. Esta dinâmica que é estabelecida entre o romance central e os temas ortodoxos funciona portanto muito bem e dá azo assim a uma espécie de "Romeu & Julieta" mais adulto e menos romântico ou mortal que dá azo a um resultado concreto. A juntar a esta fórmula está um elenco competente que contribuiu para o sentimento positivo que esta obra nos deixa. Pode até nem ser excelente ou memorável, mas "Felix & Meira" é um romance interessante e bem feito com muitos detalhes curiosos que o tornam ainda mais aliciante.

Classificação - 3 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial