Crítica - Lion (2016)

Realizado por Gareth Davis
Com Dev Patel, Nicole Kidman, Rooney Mara

Uma vez mais, Dev Petel é a estrela de um dos filmes mais dramáticos do ano com um ambiente de cariz indiano. Já em 2009 tinha sido assim com o aclamado drama romântico “Slumdog Millionaire”, de Danny Boyle, mas alerta-se que “Lion” tem diferenças assinaláveis em relação a essa obra que venceu o Óscar de Melhor Filme. As semelhanças entre os dois encontram-se nos seus estilos sentimentais e nas raízes indianas dos intervenientes centrais, assim como no retrato já quase cliché mas infelizmente demasiado natural da realidade socioeconómica dos indianos. A própria base da história tem semelhanças, já que ambos os filmes lidam com temas relativos à família, aos órfãos e à infância, mas em “Slumdog Millionaire” tais temas são intercalados por uma maior intensidade dramática e por um certo romantismo clássico. Já “Lion” destaca-se como um drama mais moderno e direto, onde também há drama e romance mas numa escala muito menos lírica.
Em “Lion” o já mencionado Dev Patel interpreta a versão já adulta de Saroo que, quando tinha cinco anos de idade, perde-se num comboio que se afasta de casa e da família. Assustado e desnorteado, acaba a milhares de quilómetros de distância, na caótica Calcutá, na Índia. Por milagre, ele sobrevive a viver pelas ruas e uns dias depois, Saroo é adotado por um casal australiano, e reencontra o amor e a segurança. Anos mais tarde, um encontro casual com uma comunidade indiana reaviva todo o seu anseio. Com apenas algumas mas bem vivas memórias, e a ajuda da nova tecnologia chamada Google Earth, Saroo embarca na maior missão da sua existência. Este enredo visivelmente dramático é baseado numa história verídica e isso transmite-lhe, como é óbvio, um maior dinamismo no terreno emotivo. Mas embora tenha um forte cariz melodramático, “Lion” não vive muitos de clichés batidos e, por isso, não se arrasta em demasia por campos absurdos, mas apesar desta sua visão mais moderna e direta existe ainda assim um certo excesso na hora de apelar ao sentimento do espectador. Este excesso é manifestamente desnecessário, mas num plano objetivo acaba por não prejudicar muito o impacto da sua narrativa. E tal acontece porque “Lion” está bem conseguido do ponto de vista técnico e acaba por contar uma ótima história. É óbvio que há várias falhas no plano da construção e desenvolvimento de tal história, mas a sua base é muito interessante e o sentimento transmitido é bem real. As performances de um elenco competente só ajudam a uma festa positiva, sendo os já conhecidos Dev Patel e Nicole Kidman e o surpreendente Sunny Pawar os maiores dinamizadores e diamantes desta modesta mas sentimentalista obra dramática.

Classificação – 3,5 Estrelas em 5

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Descontos Em Bilhetes de Cinema

Crítica da Semana


Membro Oficial

Membro Oficial