Ticker

6/recent/ticker-posts

Entrevista com Bruno Bini, Realizador de Loop, Filme Sci-fi Brasileiro Protagonizado por Bruno Gagliasso Que Irá Encerrar o FantasPorto 2020

O Filme de Encerramento da 40ª Edição do FantasPorto será o thriller sci-fi brasileiro "Loop", um ambicioso projeto realizado por Bruno Bini que está a suscitar muita curiosidade. Produzida com o apoio do conceituado cineasta Fernando Meirelles e da popular produtora Globo Filmes, "Loop" conta ainda com um elenco recheado de talentosos atores brasileiros, sendo o mais conceituado Bruno Gagliasso. Mas a grande mente por detrás de "Loop" é Bruno Bini que, para além de realizar este projeto, também escreveu o seu argumento. Como um dos grandes filmes em cartaz do FantasPorto 2020, o Portal Cinema teve que conversar com Bruno Bini para compreender melhor este misterioso projeto e apresentar a Portugal a já sua incrível carreira e a sua enorme paixão pela sétima arte.

The closing film of the 40th Edition of FantasPorto will be the Brazilian sci-fi thriller "Loop", an ambitious project by Bruno Bini that is causing a lot of curiosity worldwide. Produced with the support of the renowned filmmaker Fernando Meirelles and the popular Brazilian media brand Globo Filmes, "Loop" also has a talented cast of Brazilian actors, the most renowned being Bruno Gagliasso. But the mastermind behind "Loop" is Bruno Bini who, in addition to directing this project, also wrote the script. As one of the great films of FantasPorto 2020, Portal Cinema had to talk to Bruno Bini to better understand this mysterious project and present Portugal to his incredible career and his enormous passion for the world of cinema.


Entrevista com Bruno Bini, Realizador de Loop, Filme Sci-fi Brasileiro Protagonizado por Bruno Gagliasso Que Irá Encerrar o FantasPorto 2020


Portal Cinema (PC) – Penso que seja importante começarmos por falar um pouco sobre o seu passado professional. Como surgiu a paixão pela Sétima Arte e como entrou nesta indústria?/ I think its important to start by talking a little about your professional background. How did the passion for films arrose and how did you enter this industry?

Bruno Bini (BB) - Não me lembro de nenhum momento em que os filmes não fossem uma parte importante da minha vida. Cresci numa cidade pequena, com poucos cinemas, e, por isso, os videoclubes acabaram por se tornar numa solução para consumir cinema. Lembro-me de passar um bom tempo, nessas lojas, a ver títulos e assimilar títulos. Mais tarde, acabei por trabalhar num festival de cinema que era feito na cidade onde morava. Isso foi muito importante, porque estreitou a minha relação com o cinema brasileiro e, de certa forma, desmistificou a minha percepção sobre o que era fazer cinema. Até então, parecia-me uma coisa muito distante, quase inalcançável, mas com o tempo acabei por perceber que era algo que eu poderia ter como opção de carreira. Como não tínhamos cursos de cinema na cidade, acabei por procurar alguns workshops e acabei por me licenciar em publicidade, tendo trabalhado em várias agências, onde passei a criar, e mais tarde a realizar filmes publicitários. Nesse período, exercitei um pouco da produção audiovisual e, com o tempo, consegui escrever e produzir algumas curtas. Mais recentemente, produzi o “Loop”, a minha primeira longa metragem. 

I don't remember a time when movies were not an important part of my life. I grew up in a small town, with few cinemas, so video stores became an outlet. I remember spending a lot of time “panning” titles. Later, I ended up going to work at a film festival that was held in the city. This was very important, because it narrowed my relationship with Brazilian cinema and, in a way, demystified my perception of what it was like to make cinema. Until then, it seemed a very distant thing, almost unattainable, but with time I realized that it was something I could have as a career option. As we didn't have cinema courses in the city, I looked for some workshops and ended up studying advertising, going to work in agencies, where I started to create, and later to direct advertising films. During this period, I did a little bit of production and, over time, I managed to write and produce my shorts. More recently, I produced “Loop”, my first feature.


Entrevista com Bruno Bini, Realizador de Loop, Filme Sci-fi Brasileiro Protagonizado por Bruno Gagliasso Que Irá Encerrar o FantasPorto 2020



PC - Quais são as suas maiores influências nesta área, quer no Cinema Brasileiro, quer no Cinema Mundial?/ What are your biggest influences in this area, both in Brazilian Cinema and in World Cinema? 

BB - No Brasil identifico-me com o cinema realizado por Beto Brant, Toni Venturi, Walter Salles e Fernando Meirelles, que é produtor associado de "Loop".  No cinema mundial, mergulho nos filmes de Nolan, Fincher, Iñárritu, Tarantino, Scorcese.

In Brazil, I identify with the cinema made by Beto Brant, Toni Venturi, Walter Salles and Fernando Meirelles, who is an associate producer at Loop. In world cinema, I immerse myself in the films of Nolan, Fincher, Iñárritu, Tarantino, Scorcese.

PC- No FantasPorto 2020 apresentará “Loop”, a sua primeira longa metragem. De onde surgiu a ideia deste projeto e quais foram as inspirações do mesmo? E o que nos pode contar sobre a sua intrigante premissa?/ At FantasPorto 2020 you will present “Loop”, your first feature film. Where did the idea for this project come from and what were the inspirations behind it? And what can you tell us about the intriguing premise of this film? 

BB - Loop fala de um físico obcecado pela possibilidade de mudar a sua própria história. Inicialmente, o filme surgiu como um exercício narrativo. Escrevi-o como um argumento de curta-metragem, mas acabei por não o filmar. Alguns anos depois, retomei o projeto e a história havia se tornado em algo bem maior e mais complexo. O filme tem inspirações bastante diversas, que vão de Nietzsche, passando por Nolan, Fincher e trazendo tudo isso para um universo bastante realista. 

Loop talks about a physicist obsessed with the possibility of changing his own story. Initially, the film emerged as a narrative exercise. I wrote it as a short film script, but I ended up not filming it. A few years later, I resumed the project and the story had become something much bigger and more complex. The film has very different inspirations, ranging from Nietzsche, to Nolan, Fincher and bringing all of this to a very realistic universe.

PC – E como foi gravar “Loop”? Quais foram os principais desafios que enfrentou para dar vida a este projeto?/ And how was it to record “Loop”? What were the main challenges you faced to bring this project to life? 

BB - Criativamente, o maior desafio foi manter a coesão da estrutura narrativa do filme. Alguns pontos e acontecimentos da história se inter-relacionam de maneira profunda, embora completamente não-linear. Como eu escrevi o argumento, as coisas sempre foram muito claras para mim, mas para outras pessoas existia o risco de se perderem na história devido à sua complexidade. Para evitar isso, além do enredo, criamos uma linha do tempo, que ajudava a orientar e tirar as dúvidas que pudessem surgir. Também era importante para mim que as teorias de deslocamento espaço-temporal fossem baseadas em estudos reais. Para isso, contamos com a consultoria de especialistas em Física, que ajudaram a criar a teoria que vemos no filme. 
Enquanto produtores, também tivemos que enfrentar desafios que fugiram do universo audiovisual e tinham mais a ver com o momento político do país. O novo Governo Federal assumiu uma posição de confronto com o setor cultural do país e ano passado a Agência Nacional de Cinema sofreu paralisações que comprometeram a liberação de recursos fundamentais, atrasando em meses a finalização do filme. 

Creatively, the biggest challenge of “Loop” was to maintain the cohesion of the film's narrative structure. Some points and events in history are deeply interrelated, though completely non-linear. As I wrote the script, things were very clear to me, but for other people there was a risk of getting lost in the story. To avoid this, in addition to the script, we created a timeline, which helped guide and clear up any doubts that might arise. It was also important for me that theories of space-time displacement were based on real studies. For that, we count on the consultancy of doctors in Physics, who helped to create the theory that we see in the film. As producers, we also had to face challenges that escaped the audiovisual universe and had more to do with the country's political moment. The new Federal Government assumed a confrontational position with the country's cultural sector and last year the National Film Agency suffered shutdowns that compromised the release of fundamental resources, delaying the completion of the film by months.


PC -  O elenco do filme conta com vários atores de talento reconhecido, nomeadamente Bruno Gagliasso. Como foi trabalhar com este astro e o que, na sua opinião, conseguiu acrescentar ao filme?/ The cast of the film has several actors of recognized talent, namely Bruno Gagliasso. What was it like working with this star and what, in your opinion, did ge add to the film? 

BB - Desde que decidiu fazer o Daniel, o Bruno se envolveu tanto que acabou virando produtor associado do filme. Considero ele um dos atores brasileiros mais talentosos da sua geração. O que me impressiona é a versatilidade dele, a capacidade de compor personagens tão diversos. Antes de “Loop”, o Bruno tinha acabado de filmar “Marighella”, onde interpretou um policial profundamente violento. Depois encarou o Daniel, num papel completamente diferente, um intelectual retraído com uma história trágica. Além de muito talentoso, o Bruno tem um enorme compromisso com a história. E isso é essencial quando se trabalha criativamente e coletivamente. Tive um grande privilégio de contar com ele e com um elenco talentoso, que ainda é composto por atores como Branca Messina, Bia Arantes, Nikolas Antunes, Roberto Birindelli e Zécarlos Machado. 

Since he decided to make Daniel, Bruno got so involved that he ended up becoming an associate producer of the film. I consider him one of the most talented Brazilian actors of his generation. What impresses me is his versatility, the ability to compose such diverse characters. Before “Loop”, Bruno had just finished filming “Marighella”, where he played a profoundly violent police officer. Then he faced Daniel, in a completely different role, a withdrawn intellectual with a tragic story. Besides being very talented, Bruno has a huge commitment to history. This is essential when working creatively and collectively. I had a great privilege to count on him and a talented cast, who features talented actores like Branca Messina, Bia Arantes, Nikolas Antunes, Roberto Birindelli and Zécarlos Machado.

PC – Como espera que “Loop” seja recebido no FantasPorto e em Portugal? Como o descreveria numa frase aos espectadores portugueses?/ How do you expect “Loop” to be received at FantasPorto and Portugal? How would you describe it in a sentence to Portuguese viewers?

BB - Para mim é um privilégio exibir o filme no FantasPorto. Tenho amigos que já estiveram no festival e o adoram. Há obviamente uma relação forte entre Brasil e Portugal, um intercâmbio que vai além da língua compartilhada. Estou ansioso e curioso para ver como o público vai receber “Loop”. Espero que a história do filme ecoe além da sessão. É com certeza um filme para assistir atento. Numa frase, “Loop” é a jornada de um homem em busca de uma chance de reescrever a sua história. 

It's a privilege for me to show the film at FantasPorto. I have friends who have been to the festival and love it. There is obviously a strong relationship between Brazil and Portugal, an exchange that goes beyond the shared language. I am anxious and curious to see how the audience will receive "Loop". I hope the story of the film echoes beyond the session. It is certainly a movie to watch carefully. In a sentence, “Loop” is a man's journey in search of a chance to rewrite his story.

PC – Quais são as suas expectativas para o filme e como espera que se comporte nos mercados internacionais? What are your expectations for the film and how do you expect it to behave in international markets?  

BB - A história de “Loop” é bastante universal, então acredito que o filme possa dialogar muito bem com o público de outros países. 

The story of "Loop" is quite universal, so I believe that the film can dialogue very well with audiences in other countries.

PC – E quanto ao seu futuro, o que podemos esperar do realizador Bruno Bini num futuro próximo? Já tem algum novo projeto em mente?/ And as for your future, what can we expect from director Bruno Bini in the near future? Do you already have a new project in mind?  

BB - Nos próximos meses irei gravar uma nova curta com uma história indígena ancestral, anterior à colonização do Brasil. E ainda esse ano estamos planejando gravar o meu novo longa-metragem chamado “Cinco Tipos de Medo”, em coprodução com a Druzina Content e com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual e do Governo do Estado de Mato Grosso.  

In the coming months I will be shooting a new short film with an ancestral indigenous history, prior to the colonization of Brazil. And still this year we are planning to shoot my new feature film called “Cinco Tipos de Medo”, in coproduction with Druzina Content and with resources from the Audiovisual Sector Fund and the Government of the State of Mato Grosso.

Loop
Entrevista com Bruno Bini, Realizador de Loop, Filme Sci-fi Brasileiro Protagonizado por Bruno Gagliasso Que Irá Encerrar o FantasPorto 2020


Quando se viaja no tempo, há riscos inesperados. Para Daniel, as coisas podem acabar em pesadelo. Produzido pelo conhecido Fernando Meirelles, já nomeado para os Óscares por "Cidade de Deus", conta com os conhecidos actores Bruno Gagliasso e Branca Messina no seu elenco. Um filme sci-fi brasileiro que irá encerrar o FantasPorto 2020.

Publicar um comentário

0 Comentários