Ticker

6/recent/ticker-posts

Entrevista a Peter Bebjak, Famoso Realizador e Produtor Eslovaco Responsável por The Auschwitz Report, um Drama do Holocausto que Representará a Eslováquia nos Óscares

Peter Bebjak é um dos grandes nomes do cinema eslovaco. Já com carreira vasta, quer na Eslováquia, quer na República Checa, Peter Bebjack tem-se destacado em várias áreas desde a representação até à realização de longas metragens ou projetos televisivos de sucesso. Também é um dos grandes produtores da região, tendo fundado a sua própria companhia - a DNA Productions - que é já uma das mais importantes da Eslováquia/ República Checa.  O seu mais recente projeto é o soberbo "The Auschwitz Report", um drama do Holocausto que, recentemente, foi escolhido pela Eslováquia para representar o país nos Óscares na categoria de Melhor Filme Estrangeiro. É sobre esta grande produção que versou a nossa conversa, mas mais perto do final abordamos também os seus planos para futuro. 

Peter Bebjak is one of the biggest names within the Slovakian film industry. With a vast career, both in Slovakia and in the Czech Republic, Peter Bebjack has stood out in several fields, from acting to the production of feature films or successful television series. He's also one of the major producers in the region, having founded his own company - DNA Productions  - which is already one of the most important film companies in Slovakia and in the Czech Republic. His most recent project is the superb "The Auschwitz Report", amoving Holocaust drama that was recently chosen by Slovakia to represent the country at the Oscars in the Best Foreign Film category. It's about this grandious film that we've talked about, but closer to the end we also discussed his plans for the future.


Entrevista a Peter Bebjak, Famoso Realizador e Produtor Eslovaco Responsável por The Auschwitz Repor, um Drama do Holocausto que Representará a Eslováquia nos Óscares

This is the true story of Freddy and Walter - two young Slovak Jews, who were deported to Auschwitz in 1942. On 10 April 1944, after meticulous planning and with the help and the resilience of their inmates, they manage to escape. While the inmates, they had left behind, courageously stand their ground against the Nazi officers, the two men are driven on by the hope that their evidence could save lives. 


 Portal Cinema (PC) –  O que o levou a seguir uma carreira na sétima arte, onde já desempenhou várias funções em áreas como a representação, produção e direção?/ What made you choose a career in the film industry and in so very different jobs like acting, producing and directing?


Peter Bebjak - Está tudo relacionado com a persecução dos teus sonhos. Tenho a sorte de estar a conseguir cumprir gradualmente o meu. Seja por estudar interpretação e depois direção de cinema na Academy of Performing Arts de Bratislava, seja por ter conseguido abrir a minha própria produtora e trabalhar em projetos que considero significativos e que me permitiram crescer, tanto como pessoa quanto como profissional . Cada sonho que realizei deixou-me com algo que poderia desenvolver nos meus esforços subsequentes.

It’s all about pursuing your dreams. I am fortunate in that I’ve been gradually been able to fulfil mine. Whether it was to study acting and then film directing at the Academy of Performing Arts in Bratislava, or to start my own production company and work on projects that I consider meaningful and that have allowed me to grow, both as a person and as a professional. Every dream I fulfilled left me with something that I could build on in my subsequent endeavors.


PC – Tem já uma vasta carreira com vários projetos na Eslováquia e na República Checa. Pessoalmente, fiquei impressionado com o seu filme de 2017 intitulado “The Line”, que foi uma sensação em alguns festivais. Olhando para este filme e para o resto da sua carreira até hoje, sempre demonstrou ser um cineasta muito versátil. Como seleciona os seus projetos?/ You have an already vast career with numerous film and tv projects in Slovakia and the Czech Republic. I personally was blown away by your 2017 film “The Line” that was quite a sensation in some festivals. Looking at this film and the rest of your career, you have demonstrated to be a very versatile filmmaker. How do you select your projects?


Peter Bebjak - Encaro a realização como uma oportunidade para uma auto-educação contínua. É por isso que gosto de escolher temas e géneros bem diferentes uns dos outros. Isto significa que tenho que aprender e procurar coisas que são particulares a um determinado género e adaptar o meu trabalho a elas. Tenho medo que se não fizesse isto, acabaria por ter um esgotamento criativo.

I view directing as an opportunity for continuous self-education. That’s why I like to pick themes and genres that are quite different from each other. It means I have to learn about and look for things that are particular to a given genre and adapt my work to them. I’m afraid if I didn’t do that, I’d burn out.


PC – We must talk in a bit more detail about the “The Auschwitz Report” that, recently, was selected as Slovakia’s entry for the Foreign Film Oscar. Before we talk about the film, can you tell us how did you receive the news of this selection and how it will impact your career?


Peter Bebjak Sinto-me extremamente grato pela oportunidade de representar o cinema eslovaco com "The Auschwitz Report". Não acho que o filme terá um impacto especialmente significativo na minha carreira, mas o que ele pode ter é um efeito - se acabar por ser selecionado ou talvez até mesmo indicado para o prémio - na percepção do cinema eslovaco como um todo. Gostaria que isso acontecesse, porque acho que os cineastas eslovacos fazem um bom trabalho e o desenvolvimento do filme eslovaco nos últimos anos está a caminhar na direção certa.

I’m extremely thankful for the chance to represent Slovak cinematography with "The Auschwitz Report". I don’t think the film will have an especially significant impact on my career, but what it can have an effect on – if it ends up being shortlisted or perhaps even nominated for the award – is the perception of Slovak cinematography as a whole. I’d like for that to happen because I think Slovak filmmakers do good work and the development of Slovak film over the past few years has been going in the right direction.


PC – Como se envolveu com “The Auschwitz Report”? E quais foram as suas inspirações para transpor para o cinema uma história tão dramática?/ How did you get involved in “The Auschwitz Report”? And what were your inspirations to bring such a dramatic story to life?


Peter Bebjak - A grande inspiração foi o livro de Alfred Wetzler, Escape from Hell. Wetzler foi um dos dois prisioneiros que conseguiram escapar de Auschwitz (sendo o outro Rudolf Vrba). O seu livro é uma espécie de documento histórico sobre o campo de concentração. Não tem uma narrativa linear, já que descreve elementos individuais da vida na Fábrica da Morte, que é o que os prisioneiros chamavam a Auschwitz-Birkenau. Dito isso, enquanto trabalhávamos no argumento, não nos inspiramos apenas livro. Também nos baseamos em vários outros documentos, reuniões pessoais e consultas com historiadores. Tivemos muitas participações de várias fontes na construção do argumento.

We drew inspiration from Alfred Wetzler’s book, Escape from Hell. Wetzler was one of the pair of prisoners who managed to escape from Auschwitz (the other one being Rudolf Vrba). His book is something of a historical document about the camp. It doesn’t have a linear narrative; it describes individual elements of life in the Death Factory, which is what the prisoners called Auschwitz-Birkenau. That said, while working on the script, we didn’t just draw on the book. We also relied on various other documents, personal meetings, and consultations with historians. We had many inputs into the script.


PC - The stories about the Holocaust and World War II are always very impacting. Can you describe, in your own words, the story of the film for all the audiences who are curious about it? What makes this movie so impacting? 


Peter Bebjak - O filme segue a história de dois judeus eslovacos que decidiram fugir de Auschwitz-Birkenau e dar um testemunho que mais tarde serviu de base para o seu relato sobre o funcionamento do campo. Eles não foram as únicas pessoas a escapar, mas foram os únicos com uma missão. Eles sabiam que, se falhassem, nunca teriam sucesso na sua tentativa de salvar a vida de centenas de milhares de judeus húngaros que aguardavam a deportação para a morte. Esse facto lança uma luz muito desanimadora sobre a conclusão do filme - Wetzler e Vrba conseguiram, mas as pessoas estavam com muito medo de acreditar no conteúdo de seu relatório e demorou muito para que o seu depoimento chegasse a pessoas que realmente poderiam agir sobre o mesmo.

It follows the story of two Slovak Jews who decided to escape from Auschwitz-Birkenau and give a testimony that later served as the basis for their report regarding the workings of the camp. They weren’t the only people to escape, but they were the only ones with a mission. They knew that if they failed, they would never succeed in saving the lives of hundreds of thousands of Hungarian Jews who were awaiting deportation to their deaths. That fact casts a very disheartening light on the conclusion of the film – Wetzler and Vrba pulled it off, but people were too afraid to believe the content of their report, and it took a long time for their testimony to reach people who could actually act on it.


PC – Pode-nos falar sobre o processo de criação do filme? Quais foram os principais desafios que teve que enfrentar?/ Can you tell us about the developing process of the film? What main challenges you faced to bring this film to completion? 


Peter Bebjak - Este é o projeto mais ambicioso que a DNA Production já produziu. Como não pudemos gravar o filme nas instalações reais de Auschwitz-Birkenau (eles só permitem a produção de documentários), tivemos que construir uma réplica do acampamento. Construímos uma série de quartéis de madeira - cópias precisas dos quartéis de Birkenau - num campo deserto nos arredores de Bratislava. É claro que não poderíamos construir o campo inteiro, já que é enorme. Tivemos que trabalhar com empresas de pós-produção e efeitos visuais para criar o resto do terreno usando uma tela verde.

This is the most ambitious project that DNA Production has ever undertaken. Because we couldn’t shoot the film on the actual premises of Auschwitz-Birkenau (they only allow documentary productions), we had to build the camp ourselves. We constructed a series of wooden barracks – precise copies of the barracks in Birkenau – in a field just outside of Bratislava. Of course, we couldn’t build the whole camp – it was too big. We had to work with post-production and VFX companies to create the rest of the massive grounds on a greenscreen. 


PC – Por último gostaria de perguntar se tem algum projeto em andamento? E como acha que esta pandemia afetará os projetos planeados para 2021?/  Last but not least, I would love to ask if you have any future projects in the works? And how do you see this pandemic affecting those projects?


Peter Bebjak - A pandemia afetou-nos a todos. Projetos foram cancelados; gravações, estreias e exibições foram adiados; cinemas foram fechados - é um momento difícil. Mas estamos a tentar sobreviver e desenvolver novos projetos. Neste momento estamos a trabalhar na República Checha. Estou a terminar uma série para a televisão checa e comecei a gravar um novo filme, "Tieňohra" (Shadow Play).

The pandemic has affected everyone. Projects have been cancelled; shootings, premieres, and screenings have been postponed; cinemas have been closed – it’s a difficult time. But we’re trying to survive and develop new projects. Right now, I mostly work in the Czech Republic. I’m finishing a series for the Czech Television, and I’ve started shooting a new film, Tieňohra (Shadow Play).

Enviar um comentário

0 Comentários