Crítica - Little Fockers (2010)

Realizado por Paul Weitz
Com Robert De Niro, Ben Stiller, Jessica Alba, Dustin Hoffman

A comédia familiar “Meet The Parents” conquistou em 2000 o público e a crítica especializada com a sua história básica mas extremamente divertida e com o seu elenco de luxo, no entanto, tal cenário não se repetiu com a sua escusada sequela “Meet The Fockers” (2004), um filme medíocre e nada cómico que acaba por superar este fraquíssimo “Little Fockers”, uma sequela ainda mais escusada que tenta rentabilizar ao máximo a eterna rivalidade entre Greg (Ben Stiller) e Jack (Robert De Niro), uma rivalidade que aparentemente terminou após os eventos de “Meet The Fockers”, no entanto, Jack volta a ter dúvidas sobre a lealdade e o carácter de Greg quando suspeita que ele possa estar a trair a sua adorada filha, Pam (Teri Polo), com Andi (Jessica Alba), uma atractiva vendedora de produtos farmacêuticos que trabalha com Greg, um facto que Jack desconhece por completo. À luz destas suspeitas, Jack vai fazer de tudo para provar à sua filha e à sua mulher que Greg não é tão inocente como parece, cabendo a este provar ao seu temível sogro que é um verdadeiro homem de família e que é um homem merecedor do título de Godfocker (Patriarca).


A história de “Little Fockers” não nos oferece nada que não nos tenha sido oferecido nos dois filmes anteriores, assim sendo, voltamos a ser confrontados com uma rivalidade outrora cativante e cómica entre Jack e Greg, uma rivalidade que neste filme é explorada de uma forma muito cansativa e enfadonha que acaba por não produzir grandes cenas de humor ou embaraço. A vertente humorística desta comédia familiar é então praticamente inexistente, sendo raros os momentos verdadeiramente cómicos que transformaram “Meet The Parents” num enorme sucesso comercial e que em “Meet The Fockers” foram substituídos por cenas sem criatividade, que apostam num humor fácil e rudimentar que não deverá entreter nenhum espectador que tenha apreciado os dois filmes anteriores. O elenco deste filme está cheio de actores e actrizes famosos, mas é óbvio que Robert De Niro e Ben Stiller são aqueles que mais se destacam, no entanto, as suas performances não são tão cativantes como aquelas que estes ilustres actores nos apresentaram nos dois filmes anteriores, um facto que evidencia que De Niro e Stiller estão cansados destas personagens e desta sua rivalidade. O seu elenco secundário é composto por nomes como Jessica Alba, Owen Wilson, Dustin Hoffman e Barbra Streisand, quatro actores mundialmente conhecidos que raramente aparecem no ecrã e que acabam por não ter muita relevância para a história. Em suma, “Meet The Parents” é uma sequela que, tal como “Meet The Fockers” (2004), nunca deveria ter visto a luz do dia, no entanto, este filme acaba por ser pior que o seu antecessor porque não nos oferece uma única cena cómica minimamente razoável.

Classificação – 1,5 Estrela em 5

Enviar um comentário

4 Comentários

  1. Crítica tão mal conseguida...
    Palhaços como tu só no circo e a alegria do palhaço é ver o circo pegar fogo!

    ResponderEliminar
  2. Filme mais fraco que vi nos últimos tempos...

    ResponderEliminar
  3. Realmente, não sei o que é que dá na cabeça de uma pessoa para lançar um filme destes...

    ResponderEliminar