Mais Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

segunda-feira, agosto 27, 2018

Entrevista a Lukas Feigelfeld, Realizador de Hagazussa: A Heathen's Curse

O Portal Cinema teve o prazer de entrevistar o promissor realizador austríaco Lukas Feigelfeld que apresentará, no vindouro MOTELx 2018, o seu mais recente filme: "Hagazussa: A Heathen's Curse". Falamos com ele sobre este curioso e sombrio projeto, mas também sobre o seu passado e, claro está, sobre o seu futuro. Se quiser ver "Hagazussa: A Heathen's Curse" numa sala de cinema, então marque na sua agenda porque o filme será exibido no Cinema São Jorge no dia 6 de Setembro às 18:25 no âmbito do MOTELx! Não pode perder!

Portal Cinema had the great pleasure of interviewing the promising Austrian director Lukas Feigelfeld who will present his latest film, "Hagazussa: A Heathen's Curse", in the upcoming MOTELx 2018. We talked to him about this curious and sombre project, but also about his past and, of course, about his future. If you want to see "Hagazussa: A Heathen's Curse" in a movie theater, then check in your calendar because the movie will be shown at Cinema São Jorge on September 6 at 6:25 pm within the MOTELx Program! You can't miss it!



Sinopse - O Inverno frio estende-se pelos Alpes do século XV. Uma jovem pastora vive com a sua mãe numa cabana no meio dos bosques. Quando, certo dia, a mãe adoece misteriosamente e morre, Albrun fica sozinha e profundamente traumatizada. 20 anos passam e, já depois de se tornar ela própria mãe, Albrun começa a pressentir uma presença negra na floresta. Numa espécie de delírio psicótico, as fronteiras entre a realidade e o pesadelo começam a fundir-se, à medida que ela é novamente confrontada com a morte da sua mãe e o mal que existe dentro de si mesma.

Plot - The cold winter stretches over the Alps of the 15th century. A young goatherd and her mother are living in a remote hut, deep in the woods. As her mother mysteriously falls ill and dies, Albrun is left scarred and traumatized. 20 years later, herself a mother already, Albrun slowly begins to discover a dark presence lurking in the woods. In her psychotic delusion, the borders between reality and nightmare begin to melt into each other, as she is again confronted with the death of her mother and the wicked evil within herself.  


Portal Cinema (PC) – Acho que é importante começarmos por explorar coo tudo começou! Quando é que decidiu seguir uma carreira no cinema e o que o levou a tornar-se realizador?  / First of all, I believe it’s important to explore your professional background! When did you decided to pursue a career in cinema, and what led you to directing? Can you tell us a little about your professional background?

Lukas Feigelfeld (LF) - Acho que desde cedo interessei-me em contar histórias, especialmente do ponto de vista visual. A minha primeira formação foi em fotografia e, quando terminei esses estudos quando tinha 19 anos, realizei a minha primeira curta-metragem. Enquanto estudava fotografia, percebi que precisava de ter mais possibilidades e que estas fossem mais amplas para conseguir contar histórias mais complexas e ter um maior criativo. Foi esta necessidade que me levou até à realização e a uma formação na área.

I think very early on I was interested in telling stories, specially from a visual standpoint. I studied photography before and finished these studies when I was 19 years old with my first short film. While studying photography I realized that I needed wider possibilities to tell more complex stories and have more creative control, which ultimately lead me to film.  

PC – Quais são as suas principais influências no cinema? Quem o inspira? / What are your major movie influences? Who inspire you?

LF - É sempre difícil nomear realizadores ou filmes. No meu caso pessoal posso dizer que amo o cinema de Andreij Tarkovskij, Ingmar Bergman ou mesmo Stanley Kubrick, mas também sempre fui inspirado pelo movimento surrealista, assim como pelos realizadores David Lynch, Luis Bunuel ou Tsai Ming Liang.

It is always hard to name directors or movies. I for example love the cinema of Andreij Tarkovskij, Ingmar Bergman or even Stanley Kubrick, but I was also always inspired by the surrealist movement, as well as directors like David Lynch, Luis Bunuel or Tsai Ming Liang.

PC – Antes de lançar a sua primeira longa metragem, teve a oportunidade de realizar várias curtas-metragens. O que é que aprendeu com esses projetos? E estes ajudaram-no a tomar a decisão de apostar no género de terror? / Before you launched you first featured film, you directed several short films. What did you learn from them? And did those projects helped you pursue the horror genre?

LF - Realizai várias curtas no âmbito dos meus estudos na Academia Alemã de Cinema e Televisão de Berlim. Vários deles já me levaram numa direção próxima ao terror. Não necessariamente para o terror puro, mas num caminho que me levou a explorar algo sombrio e assustador. Fiz um curta sobre uma mãe e uma criança que procuravam refúgio de um nevoeiro mortal no interior da Alemanha, mas também uma média metragem sobre um trabalhador numa ilha de perfuração que é assombrado por pesadelos sobre a sua falecida esposa. Embora sempre brinque com o terror, prefiro fazer filmes um pouco mais “realistas” mas com um cenário fantástico.

I did several shorts through out my studies at the German film- and television academy Berlin. Some of them already led me in this direction. Not necessarily to horror, but to explore something dark and creepy. I did a short about a mother and child seeking refuge from a deadly fog in the German countryside and a medium length film about a worker on a drilling island, haunted by nightmares about his lost wife. Tough I always play with genre, I rather seek to make “realistic” films with a fantastic setting. 

PC – Um dos seus projetos mais aclamados foi a já referida média metragem “Interferenz” em 2014. Qual foi a ideia por detrás deste projeto e o que o levou a completá-lo? / One of your most acclaimed project was “Interferenz” back in 2014. What was the idea behind it, and what motivated you to complete the film?

LF - Como mencionei previamente, em "Interferenz" criei o cenário distópico de uma ilha de perfuração isolada no Mar Báltico, onde trabalhadores migrantes são confrontados com a sua solidão. Fiquei desde cedo interessado no ambiente de trabalho duro que esses homens têm, mas queria acima de tudo explorar o que acontece na mente dos personagens principais. Queria explorar uma visão da solidão e da saudade dos entes queridos, o que é muito frequente com os trabalhadores migrantes que estão longe das suas famílias. Demorei algum tempo para concluir este projeto, que se prolongou por quase 50 minutos, o que não era necessariamente o padrão para projetos nesta fase da educação na academia de cinema.

As I mentioned before, I created the dystopian setting of a secluded drilling island in the Baltic sea, where migrant workers are confronted with their loneliness. I was interested in the harsh working environment of these men, but wanted to explore what goes on in the main characters mind. It was a take on loneliness and longing for loved ones, which is very often the case with migrant workers, who are far from their families, trying to support them with their work. It already took me quite a while to complete this project, which turned out to extend up to nearly 50 minutes, which was not necessarily the standard for projects in this stage of the education at the film academy. 

PC – Foi difícil obter financiamento para este ou qualquer outro projeto que realizou antes? O produto final correspondeu à sua visão original?/ Was it hard to get finance for this or any other previous project? Did the end product matched your original vision?

LF -  Felizmente, “Interferenz” foi financiado pela Academia de Cinema. E fiquei muito feliz com o resultado, embora tenha a certeza de que poderia ter sido feito mais no sentido de criar um cenário mais realista se tivéssemos tido acesso a um orçamento maior. Tivemos um momento muito mais difícil com a “Hagazussa”.

“Interferenz” was luckily financed within the boundaries of the film academy, even with its length. And I was pretty happy with the outcome. Altough I am sure there could have been more done in the sense of creating a more realistic setting, if we would have had access to a bigger budget. We had a much more difficult time with “Hagazussa”.



PC –  Vamos então falar sobre "Hagazussa"! Conte-nos tudo sobre este projeto! Qual foi a ideia original por trás do filme e porque é que decidiu ir para a frente com esta sua primeira longa metragem? E qual é a origem do título peculiar? / Let’s talk about “Hagazussa”! Tell us all about this project? What was the original idea behind it and how and why did you decided to advance with it? And what’s the origin of the peculiar title?

LF - Sempre tive a vontade de fazer algum filme sobre bruxas e superstição nos Alpes. Passei boa parte da minha infância na área montanhosa onde o filme acontece, sendo que tal área esta cercada por velhas histórias sobre bruxas e fantasmas que se escondem na floresta. Há também ainda muitas tradições pagãs antigas, agora assumidas pela igreja católica, que permanecem vem vivas nestas partes da Áustria. Indo mais fundo no tópico das bruxas, também ficou evidente que tinha que contar a história das acusação de bruxaria que recaíram sobre muitas mulheres, assim como o tópico da doença mental combinado com a superstição.
O título “Hagazussa” vem da antiga palavra alemã da qual derivou a palavra "bruxa". No fundo descreve uma entidade feminina que vive na fronteira entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos, bem como na fronteira entre a natureza e a civilização.

For years I had been playing with the urge to do something about witches and superstition in the Alps. I partly grew up in the mountain area where the film takes place, being constantly surrounded by old stories about witches and ghosts, that lurk in the woods. There are also still a lot of old pagan traditions, now taken over by the catholic church, alive in these parts of Austria. Digging deeper into the topic of witches, it was also evident that I had to tell the story of the prosecution of women and the topic of mental illness, combined with superstition. 
The title “Hagazussa” is the old high-German word from where the word “Hexe"/ "Witch” deprived from. describes a female entity that lives on the border between the world of the living and the world of the dead, as well as on the border of nature and civilization.

PC - Quais foram os maiores desafios que enfrentou para fazer este filme? E o resultado final ficou do seu agrado? / What were the biggest challenges of making this film? And did the end result satisfied you?

LF - O maior desafio, por um lado, foi encontrar financiamento. Houve apoio da Academia de Cinema Alemã, mas não chegou para cobrir o que era necessário para fazer um longa-metragem desta magnitude e qualidade. Encontrar financiamento dentro do típico sistema de financiamento ou colar o projeto à televisão também foi quase impossível, já que a sua trama define.se na Idade Média e trabalha dentro dos limites do terror. Além disso, também não foi fácil gravar nas montanhas. No final tive que aprender a respeitar o tempo lá em cima e a tentar trabalhar com o que a montanha nos dá. Tivemos tempestades malucas, neve por altura dos joelhos, chuva e sol escaldante durante dias, mas fizemos o melhor que pudemos com isso.

The biggest challenge on one hand was finding financing. There was support from the film academy, but it did not by far cover what was needed to make a feature film of this quality. Also finding financing within the funding system or getting television on board was nearly impossible, as the project is set in the middle ages and work within the boundaries of the horror genre. 
Besides this it was not easy shooting in the mountains. I really learned to respect the weather up there and try to work with whatever the mountain gives you. We had crazy storms, knee-deep snow, blistering sun and rain for days, but we did the best we could with it. 

PC – Como referiu a história do filme decorre no Século XV. É incomum que um filme de terror se desenrole no mundo antigo. Isto faz parte da mística do filme? E foi mais difícil filmar um filme de época? / As you mentioned, the film takes place in the 15th Century. It’s unusual for an horror movie to take place on the ancient world, is that part of the film mystique? And it was harder to film a period film?

LF - Para falar sobre o tema das bruxas era evidente para mim que precisava de ambientar o filme na Idade Média. Também estava interessado na vida remota da personagem principal, já que esta vive isolada na sua cabana de montanha e vive uma vida muito simples e dura perto da natureza e longe de qualquer civilização. Parece-me também que, devido à superstição, houve uma maior aceitação da magia e do desconhecido que se encontra nas florestas escuras em torno dela, algo que só um filme na Idade Média poderia proporcionar.

Talking about the topic of witches is was evident that it needed to be done in the middle ages. I was also interested in the remote live of the main character, being secluded in her mountain hut and living a very simple and harsh life close to nature and far off any civilization. It also seems to me that, due to superstition, there was a greater acceptance of magic and the unknown that lies in the dark woods surrounding her. 

PC – O que espera que o público sinta ao assistir este filme? / What do you expect the audience to feel when watching your film?

LF - Espero que o público possa deixar-se levar e sentir o ritmo lento e a intensidade do filme. É mais uma experiência cinematográfica física do que uma história baseada em enredos. Espero que seja possível sentir o medo e a dor do personagem principal e simpatizar com o seu sofrimento e suas ações.

I hope that the audience can let themselves go and feel the slow pace and intensity of the film. It is rather a physical cinematic experience, than a plot driven story. I hope it is possible to feel the dread and pain of the main character and sympathize with her suffering and actions.

PC – O que espera de “Hagazussa”? Alguma notícia acerca da distribuição mundial e no circuíto mundial de festivais de filmes? What are your expectations for “Hagazussa”? Any news concerning world wide distribution and the movie festival run?

LF - Felizmente o filme já teve um percurso de festivais muito extenso e foi exibido em todo o mundo. Foi lançado nas salas na Alemanha e esperamos ansiosamente pelos lançamentos em Blu-Ray em outras regiões do mundo.

Luckily the movie already had a very extensive festival run and was shown all over the world. We had a German cinema release and are now hoping and looking forward to Blu-ray releases in the other regions of the world.

PC – O que pretende fazer agora? Tem alguns novos projetos em agenda? / What do you intend to do next? Any new projects on your agenda? 

LF - Estou atualmente a trabalhar no argumento do meu próximo projeto, procurando produtores e financiadores. Este desenrola-se num cenário diferente, contando também uma história muito diferente. Mas já tenho certeza que não será um "good-feel movie".

I am currently working the script of my next project, looking for producers and financing. It takes place in a different setting, telling a very different story. Still I am sure it won't be a very “good-feel” film either. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas