Mais Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

domingo, março 10, 2019

A FSO e as Criações de John Williams Brilharam Num Concerto Fantástico no Porto! A Nossa Experiência na Estreia da FSO em Portugal

O Portal Cinema teve o prazer de acompanhar o Concerto da Film Symphony Orchestra (FSO) no Porto no passado dia 10 de Março (Domingo) no Coliseu do Porto Ageas, na bela Cidade Invicta. Esta foi a primeira vez que a FSO visitou Portugal. Trata-se de uma Orquestra com base em Espanha, cuja principal linha de atividade é dedicada à reprodução, em concerto, das Melhores Bandas Sonoras do Mundo do Cinema e Televisão!
Os espetáculos da FSO são, portanto, uma delícia para quem gosta de Música Clássica e Bandas Sonoras, já que estes misturam o melhor destes dois mundos. A FSO é, tecnicamente, uma Orquestra Clássica como as Grandes Orquestras Filarmónicas do Mundo, mas conta com a tão criativa e deliciosa especialidade de se dedicar a produzir fantásticos e descontraídos espetáculos com temáticas e sonoridades do mundo do Cinema e Televisão!
Este ano, a FSO vai expandir o seu negócio! Neste verão, os mais pequenos poderão participar num acampamento musical diferente com o FSO SUMMER CAMP. Também expandiu a sua base Filarmonia para criar uma Nova Orquestra, a FSO BIG BAND, que lhe permitirá apreciar as melhores bandas sonoras em clave de jazz. Também, pela primeira vez, a FSO gravará uma Banda Sonora Original que aparecerá no vindouro filme espanhol “Bikes”. Num plano mais privado, a FSO também criou, recentemente, a TOTAL SOUNDTRACK, uma plataforma de gravação de bandas sonoras que pode ser usada por privados!
Todos estes projetos, no entanto, têm que ser passados para segundo plano quando comparado com o principal da FSO: os seus espetáculos ao vivo. O Porto teve o prazer de acolher o primeiro concerto d FSO em Portugal e o Portal Cinema orgulha-se de ter sido um dos seus parceiros nesta iniciativa. Tivemos lá para acompanhar o Concerto e até levamos alguns dos nossos leitores!
O espetáculo que a Film Symphony Orchestra trouxe ao Porto e levará a Lisboa em Maio (4 de Maio) representa o tributo mais ambicioso alguma vez realizado na Península Ibérica ao maior compositor de bandas sonoras de todos os tempos: John Williams- Esta lenda da Música em Hollywood foi nomeado 51 vezes aos Óscares e ganhou, no total, 5 Prémios da Academia e 4 Globos de Ouro, entre outros prémios de relevo.
A adaptação/ seleção que a FSO faz do trabalho de Williams dá origem a um Grande Espetáculo Musical que combina tudo o que de melhor se poderia desejar e esperar de um espetáculo deste calibre. E toda a qualidade fica a dever-se à Qualidade da Orquesta, claro está, mas sobretudo ao extraordinário maestro Constantino Martínez-Orts. Este peso pesado da FSO é o compositor, diretor de orquestra e divulgador musical especializado em música de cinema. É um músico inteligente e singularmente expressivo, caracterizado pelo seu contagioso entusiasmo e pela paixão que transmite nas suas interpretações. A prova disto são as clamorosas ovações do seu sempre emocionado público e o Porto não foi exceção!
Apaixonado por projetos especiais e claro conhecedor da imponência da Carreira de John Williams, Martínez-Orts assumiu-se como a escolha ideal para assumir a direção deste Tributo e a sua paixão, quer pela Música, quer por Williams, assume clara relevância ao longo do concerto. Entre os vários trechos entoados pela FSO, Martínez-Orts faz questão de apresentar todos os filmes em questão e de dar uma breve explicação sobre a involvência de Williams nos mesmos e sobre o Processo Criativo do compositor, mas acima de tudo fornece-nos um importante ênfase histórico e educativo sobre todas as particularidades do Tema e das suas partes principais. Para além de ser um Hino à Carreira de Williams, este concerto da FSO também serve, graças a esta involvência, como uma Biografia em Concerto do compositor.  
Perante um Coliseu do Porto Ageas praticamente lotado, Martínez-Orts e a sua FSO presentearam, ao longo de três horas, todos os presentes com um vibrante e virtuoso espetáculo onde os principais trabalhos criados por John Williams foram recriados na perfeição. Os principais temas de icónicos clássicos como “Tubarão”, “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, Hook”, “Um Violinista no Telhado”, “A Lista de Shindler”, “Encontros Imediatos de 3º Grau”, “Parque Jurássico”, “Indiana Jones”, “Terminal de Aeroporto”, “Apanha-me se Puderes”, “As Bruxas de Eastwick”, “Cowboys”, “Super Homem”, “Nascido a 4 de Julho” e “Memórias de Uma Gueixa” foram entoados ao longo de três espetaculares horas de concerto. 
É claro que o melhor ficou para o fim, tendo a FSO reservado para as três últimas atuações (duas delas em encore) a reprodução dos principais temas da icónica banda sonora de “Star Wars”, um dos principais marcos sonoros da carreira de Williams e da história do Cinema.  Mas não foi só a representação épica e magistral do Tema Central (Sala do trono/ Créditos Finais) de “Star Wars: Episódio 4 – Uma Nova Esperança” ou a reprodução epicamente original da Marcha Imperial (Música de Darth Vader) que cativou o público! Tudo o que foi tocado anteriormente também cativou, e muito, todos os presentes no Coliseu.
Um grande destaque e aplauso para a reprodução icónica do tema A Dança do Diabo do filme “As Bruxas de Eastwick”. Entre clássicos como “Harry Potter”, Tubarão” e “Star Wars”, “E.T”, “As Bruxas de Eastwick” pode passar despercebido, mas a versão da FSO da mítica sonoridade do filme foi simplesmente espetacular e sobrepôs-se às também incríveis interpretações de temas mais conhecidos, como os temas centrais de “Parque Jurássico”, “Indiana Jones”, “Tubarão” ou “Hook”. 
Não houve nenhum momento mau ou menos bom. A atuação, no seu todo, foi um êxito e representou, para além de um claro triunfo, um grande espetáculo Musical sobre Cinema! Um dos grandes aplausos da noite reservou-se, curiosamente, para uma parte da atuação dedicada a um passatempo interno onde, por breves momentos, a FSO tocou um trecho do tema principal de “Guerra dos Tronos”. Foi a apoteose no Coliseu, o que prova o amor de Portugal pela famosa série baseada no clássico de George R.R. Martin. 
O grande momento emotivo do show ficou reservado, como não poderia deixar de ser, para a reprodução do Tema Principal de “A Lista de Schindler”. Mas os sublimes acordes do Tema de Hedwig de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” também levaram ao delírio do Coliseu do Porto. Houve ainda tempo para recordar a grande composição que Williams criou para a Abertura dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, bem como para a FSO presentear o público com algumas surpresas. A começar o concerto esteve a reprodução da FSO dos míticos créditos iniciais da 20th Century Fox e, antes de apresentar a significativa versão do tema central de Tubarão”, a FSO fez questão de nos mostrar como soaria uma mistura entre os pontos mais tensos das sonoridades de dois dos grandes clássicos do suspense com duas grandes bandas sonoras: “Psycho” e “Tubarão”. 
O que faltou no concerto? Nunca haveria tempo para abordar todas as obras primas criadas por Williams, mas ainda assim faltou recordar a extraordinária banda sonora que Williams fez para o filme “Munique”. Mas isto refere-se apenas a um pequeno detalhe, já que ninguém terá saído insatisfeito do Concerto!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas