Full width Top advertisement

As Nossas Críticas

Notícias

Post Page Advertisement [Top]

Crítica - Woman (2020)

Crítica - Woman (2020)
Crítica - Woman (2020)
Realizado por Anastasia Mikova e Yann Arthus-Bertrand

Que melhor documentário para celebrar o Dia Internacional da Mulher que o muito apropriado “Woman”, onde Anastasia Mikova e Yann Arthus-Bertrand apresentam entrevistas a mais de 2000 mulheres, em 50 países, com o propósito de descobrirem o que significa ser mulher? E verdade seja dita que variedade não falta, já que ao longo de quase três anos, Mikova e Arthus-Bertrand reuniram uma forte coletânea de entrevistas com mulheres de todos os espectros sociais, religiosos, financeiros e políticos que de certa forma expõe o mundo através dos olhos da mulher. 
E abordo já a grande questão que poderão colocar ao ver um documentário intitulado “Woman”. Não há como fugir e, como já se esperava, o filme entra em alguns trechos no campo do feminismo abusivo ou do extremismo feminista… Mas sendo este um documentário policultural e com um ampla mistura de visões femininas espelhadas em diferentes realidades seria até surpreendente se tal não acontecesse. Sim, porque o feminismo excessivo, como qualquer atitude extrema ou radical, está presente em vários quadrantes da população e quando se entrevista 2000 mulheres, a simples estatística diz-nos que haverão algumas com visões e filosofias mais extremas! E ainda bem que essas visões extremas não foram cortadas porque incluem alguma coerência e realidade ao filme. 
Já esclarecida esta questão prévia, o que podemos dizer em concreto sobre “Woman”? O conceito é positivo e a ideia que moveu as suas criadoras também, mas não se pode dizer que seja um grande documentário. Está bem feito é certo e ilustra vários pontos de vista pertinentes e abordagens culturais interessantes, algo que é uma boa prática nos documentários. Mas será que acrescenta algo de novo ao panorama documental? A resposta é negativa. É uma celebração da mulher é certo, mas não é uma celebração do cinema documental de excelência. Aceita-se a sua pertinência, mas não traz nada de novo para os temas importantes que deveriam moldar qualquer conversa sobre a importância clara e indiscutível da mulher na sociedade. É uma celebração desta ideia, mas certo é que passa ao lado das raízes dos problemas e ignora o debate sobre os mesmos. 

Classificação - 2,5 Estrelas em 5

Sem comentários:

Enviar um comentário

Bottom Ad [Post Page]