Ticker

6/recent/ticker-posts

Conheça Inabitável, Curta Brasileira Que Irá Surpreender no Festival de Sundance Que Arranca Hoje

Conheça Inabitável, Curta Brasileira Que Irá Surpreender no Festival de Sundance Que Arranca Hoje

O festival de Sundance começa hoje (28 de Janeiro) e, com ele, chegam alguns dos grandes filmes indies de 2021. Um desses projetos é oriundo do Brasil. Trata-se premiada curta-metragem “Inabitável”, realizada por Matheus Farias & Enock Carvalho. O filme ficará disponível online durante todo o evento, até 3 de fevereiro. Trata-se do único curta-metragem brasileiro em Sundance. Exibido em 18 festivais no segundo semestre de 2020, incluindo o 48º Festival de Gramado, onde conquistou quatro troféus, “Inabitável” venceu 12 prémios no ano passado. O filme também foi selecionado para o Festival Internacional de Cinema de Dublin, marcado para março. 

O curta pernambucano é protagonizado pela baiana Luciana Souza ("Bacurau", "Ó Paí Ó", "Flores Raras"). Além do troféu em Gramado, a atriz foi premiada no Festival Mix Brasil e no Festival de Brasília, que concedeu menção honrosa ao elenco, formado também pelas atrizes pernambucanas Sophia William, Erlene Melo, Laís Vieira, Eduarda Lemos; e os atores Val Júnior e Carlos Eduardo Ferraz. O filme narra a história de Marilene (Luciana Souza), que procura por sua filha (Eduarda Lemos), desaparecida depois de não retornar de uma festa. Por meio de uma narrativa fantástica, linguagem bem conhecida pelos diretores de “Caranguejo Rei”, Enock e Matheus retratam de forma poética a violência rotineira do país que mais mata a população LGBTQIA+.  


“Quando penso sobre o filme, penso sobre o lugar em que vivemos, que, muitas vezes, nos parece inabitável. Como se não nos comportasse, não fosse um lugar de pertencimento, pela existência de tamanhas desigualdades, intolerância e ódio. A Marilene representa não só a dor das mães que não sabem se seus filhos e filhas trans vão voltar para casa, mas também a dor e indignação de pessoas que defendem a preservação da vida. Acho que da mesma forma que existe um descaso social, há também muitas frentes que se importam e defendem vidas, em relação à gênero, etnia, orientação sexual, religiosidade, classe social, etc”, diz a atriz Luciana Souza. 


"Estamos muito felizes com o fato de o filme estar na seleção oficial do Festival de Sundance porque isso significa que muitas pessoas descobrirão ‘Inabitável’ a partir de agora. Isso gera uma nova onda de pensamentos em torno do filme, novos debates e críticas. Sundance é uma maravilhosa vitrine para o cinema mundial e o filme toca em questões sobre o Brasil que são muito importantes ", afirma Enock Carvalho, roteirista e diretor do filme. 


"A exibição do filme em festivais online permite que mais pessoas, inclusive as que não frequentam habitualmente os festivais de cinema, consigam assisti-lo. Desde a estreia em agosto, ‘Inabitável’ tem participado de vários festivais brasileiros e internacionais e já soma 10 prémios. Estamos muito felizes com essa trajetória e é muito importante pra gente que ele continue circulando, sendo assistido e discutido. Diante de tudo o que vem acontecendo no Brasil nos últimos tempos é incrível perceber como ele reverbera de forma única através de cada exibição", completa Matheus, que além de roteirizar e dirigir o filme, também montou o curta ao longo de quatro meses. 

A estreia mundial de “Inabitável” aconteceu na Mostra Competitiva do 31º Festival de Curtas-metragens de São Paulo. Em setembro de 2020, foi exibido na competição de Curtas-Metragens Brasileiros do 48º Festival de Cinema de Gramado e, em outubro do mesmo ano, na Mostra Olhares Brasil do 9º Olhar de Cinema - Festival Internacional de Cinema de Curitiba. Também foi exibido na competição do 30º Cine Ceará - Festival Ibero-americano de Cinema e do 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, ambos em dezembro. Em 2021, segue sua carreira em festivais internacionais. 

“Inabitável” teve a participação de aproximadamente 40 pessoas na equipe, entre profissionais pernambucanos e de outros estados. O filme tem produção executiva de Vanessa Barbosa, direção de produção de Amanda Guimarães, figurino e caracterização de Libra, direção de fotografia de Gustavo Pessoa, produção de elenco de Felipe André Silva e trilha sonora de Nicolau Domingues. O curta foi filmado em dezembro de 2019 e finalizado ao longo do primeiro semestre de 2020. É incentivado pelo Funcultura Audiovisual, através da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE), e do Governo do Estado de Pernambuco.


Publicar um comentário

0 Comentários