Crítica - Death on the Nile (2022)

Crítica - Death on the Nile (2022)


Realizado por Kenneth Branagh 

Com Gal Gadot, Armie Hammer, Annette Bening


 "Morte no Nilo"/ "Death on the Nile" é nova adaptação cinematográfica do homónimo romance de 1937 de Agatha Christie que, quer no cinema, quer na televisão, já teve várias adaptações. A mais célebre é, talvez, o filme de 1978, onde Peter Ustinov deu vida ao famoso Hercule Poirot. Do elenco desta obra fazem ainda parte nomes hoje altamente consagrados da sétima arte, como Mia Farrow, Bette Davis, Maggie Smith ou Angela Lansbury. Esta história da autoria de Christie é, alias, uma das mais conhecidas do reportório de Christie e uma das mais famosas a ter o famoso detetive Hercule Poirot como herói. Esta nova adaptação segue na sequência de outra moderna adaptação de um clássico da autora, "Um Crime no Expresso do Oriente"/ "Murder on the Orient Express", que teve bastante sucesso nos cinemas. 

Tal como "Um Crime no Expresso do Oriente", "Morte no Nilo" é realizado por Kenneth Branagh que, uma vez mais, também assume o papel do famoso detetive belga Poirot. Também como no filme anterior, "Morte no Nilo" apresenta um elenco recheado de estrelas, sendo desta vez encabeçado por Gal Gadot, Armie Hammer, Annette Bening, Russell Brand, Sophie Okonedo ou Rose Leslie!

Tal como o título indica em "A Morte no Nilo" viajamos até ao Egipto, onde as férias do detetive belga, Hercule Poirot, a bordo de um glamoroso navio cruzeiro transformam-se numa procura terrível por um assassino quando a lua de mel idílica de um casal perfeito é tragicamente interrompida. Situado num cenário épico de paisagens desertas arrebatadoras e as majestosas pirâmides de Gizé, este conto de desenfreada paixão e ciúme incapacitante apresenta um grupo cosmopolita de viajantes impecavelmente vestidos, e voltas e reviravoltas suficientes para deixar o público expectante até ao chocante desfecho final.

Tal como aconteceu com a versão de  "Um Crime no Expresso do Oriente"/ "Murder on the Orient Express", "Death on the Nile"/ "Morte No Nilo" mostra a paixão que Branagh sente pelo material de base de Christie. Este foi respeitado em ambos os casos. É claro que, em ambos, existe toques diferenciadores que visam dinamizar a releitura, mas a base é inteiramente respeitada e nada do que concerne à espinha dorsal das obras de Christe foi alterada. No caso desta nova versão de "Morte no Nilo" foram acrescentadas algumas personagens e retiradas outras tantas, mexendo-se um pouco também em alguns pormenores  dramáticos que não alteram a evolução e conclusão do mistério central que, por curiosidade, é tido como um dos mais sangrentos do reportório da autora britânica. 

Embora o filme de 78 e até o episódio da série "Poirot" dedicado a este romance sejam um pouco mais excitantes, certo é que esta nova adaptação faz justiça à obra original. O que difere esta versão dos outros exemplos citados é sim a sua duração que é algo excessiva. O tempo útil do mistério propriamente dito é algo curto, perdendo sobretudo relevância em eventos que acontecem após o primeiro homicídio e que mereciam uma maior atenção. O "build-up" até ao primeiro homicídio é sim detalhado, mas talvez em excesso já que ao ir ao pormenor acaba por expor certas falhas de lógica que minam a astucidade posterior de Poirot. Por alguma razão, Christie, na sua obra original, não foi a fundo em certos pormenores, mas ao fazer o oposto e ao ir afundo nesses detalhes, Branagh  torna  a resolução do primeiro por demais evidente.

Em todo o caso, "Morte no Nilo"/ "Death on the Nile" dá a conhecer um pouco melhor Poirot a uma nova geração e até levanta o véu sobre detalhes da sua história pessoal, algo que não aconteceu por exemplo no filme anterior. Para além de uma trama competente (mas lá está, algo longa) também somos brindados com valores técnicos interessantes. Os valores de produção são efetivamente acima da média e muito criteriosos. Os cenários imponentes e fiéis ao estilo da época, o guarda-roupa cuidado e luxuoso ou a fotografia cuidada são os melhores exemplos do valor técnico desta produção e que a fazem sobressair não só junto dos fãs de Poirot/ Christie, mas também junto dos apreciadores de filmes de mistério bem feitos e montados em todas as vertentes.


Classificação - 3 Estrelas em 5

Enviar um comentário

0 Comentários