Mais Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

sexta-feira, abril 19, 2019

Entrevista a Kevin Stewart, o produtor de The Head Hunter

Foi na 39º Edição do FantasPorto que conhecemos Kevin Stewart, o produtor e guionista de "The Head Hunter", uma das maiores surpresas do festival. É claro que aproveitamos a oportunidade de entrevistá-lo e de ficar a conhece-lo um pouco melhor. É claro que o foco principal da conversa foi o seu mais recente projeto e, como é óbvio, quisemos descobrir todos os pormenores e inspirações que estão por detrás deste projeto indie filmado em Bragança! Também está curioso? Então mergulhe também nesta conversa!

It was at the 39th Edition of FantasPorto that we met Kevin Stewart, the producer and screenwriter of "The Head Hunter", one of the biggest surprises of this movie festival. Of course we took the opportunity to interview him and get to know him a little better. The main focus of the conversation was his latest project and, of course, we wanted to discover all the details and inspirations behind this amazing indie project filmed in Bragança! Are you curious, too? If you are, then we invite you to immerse yourself in this conversation!


Sobre The Head Hunter


Realizado por Jordan Downey
Com Christopher Rygh, Cora Kaufman
Sinopse - Um caçador de recompensas medieval procura vingança contra o monstro que matou a sua única filha. / A medieval bounty hunter seeks vengeance on the monster that killed his only daughter.




Entrevista/ Interview



Portal Cinema (PC) – Antes de explorarmos um pouco o projeto “The Head Hunter”, apresentado com grande pompa no FantasPorto, gostaria que nos falasse um pouco sobre o seu percurso profissional até hoje e o que levou a enveredar pela área do cinema?/ Before we explor the "The Head Hunter" project, presented at FantasPorto, would you like to tell us a little about your professional career until this day and what led you to the movie industry?

Kevin Stewart (KS) - Foi com doze anos que eu descobri a minha paixão por cinema - estava numa churrasqueira no Porto a jantar com os meus pais quando vi na televisão uma reportagem sobre os bastidores do filme ‘A Múmia’, onde na cena em que o ator principal está a lutar contra esqueletos via-se que ele estava a lutar contra nada. Fiquei deslumbrado pela magia do cinema e a partir daí quis ser cineasta. Foi por essa altura que recebi uma câmara como prenda de anos e fui fazendo curtas com amigos e família mas foi em 2003 que os meus pais decidiram ir para os Estados Unidos para que eu pudesse estudar cinema em Los Angeles. Depois de ter feito os meus estudos no Loyola Marymount University, tive a oportunidade de trabalhar bastante com o Funny or Die, a produtora do Will Ferrell. Foi aí que eu aprendi a desenvolver várias qualidades que precisava como diretor de fotografia. Foi quase como uma segunda escola de cinema para mim. Ao longo dessa era, fui fazendo filmes com o realizador, Jordan Downey, que é um grande amigo meu e frequente colaborador. Fizemos o ThanksKilling (quase mais por piada) em 2009, que acabou por ser uma espécie de filme de culto (teve uma sequela e um musical também) e várias outras curtas ao longo dos anos. Para nós, nunca queríamos esperar que nos dessem uma oportunidade e então fazíamos os possíveis para estar sempre a fazer filmes e a aprender. E foi esse processo de pensamento que nos levou a fazer o The Head Hunter.

I was twelve years of age when I discovered my passion for cinema. I was at a restaurant in Oporto with my parents when I saw a report about the backstage of the film 'The Mummy". The TV report showed a scene in which the main actor is fighting against skeletons, but in reality he was fighting against a green screen. I was dazzled by the magic of cinema and from there on I wanted to be a filmmaker. It was around this time that I received a camera as a gift and I started making short films with friends and family. It was in 2003 that my parents decided to go to the United States so that I could study cinema in Los Angeles. After taking my studies at Loyola Marymount University, I had the opportunity to work hard with Funny or Die, Will Ferrell's production company. It was there that I learned to develop various qualities that I needed as a cinematographer. It was almost like a second film school for me. 
Throughout this era, I have been making films with the director, Jordan Downey, who is a close friend of mine and frequent collaborator. We did ThanksKilling (almost more for joke) in 2009, which turned out to be a kind of cult movie (had a sequel and a musical as well) and several other short films over the years. We never wanted to wait for anybody to give us a chance, so we always did our best to make movies and continue to learn. And it was this thought process that led us to do The Head Hunter.

PC – Quais são as suas principais inspirações cinematográficas? E qual é o seu principal sonho/objetivo para a sua carreira no mundo cinematográfico?/ What are your main cinematic inspirations? And what is your main dream / goal for your career in the film world?

KS - Sempre adorei ficção científica e filmes esquisitos por isso os primeiros filmes de David Cronenberg (Naked Lunch, The Fly, Videodrome) estão no topo dessa lista. Sam Raimi e os filmes de terror dos anos 80 como Child’s Play (Chucky) e Nightmare on Elm Street também tiveram bastante influencia. Mas eu gosto um pouco de tudo, sobretudo filmes mais sossegados e introspectivos como “Hostiles” do Scott Cooper - adoro os filmes dele.
Em termos de cinematografia, gosto muito do trabalho de Dariusz Khondji nos filmes do Jean-Pierre Jeunet como Delicatessen e La Cité des Enfants Perdus. Ele é dos meus diretores de fotografia preferidos. A fotografia, iluminação e tom com qual eu mais me identifico hoje em dia é a do Bradford Young (Arrival, A Most Violent Year, Selma). Ele utiliza um tom mais sombrio que me atrai muito e é algo que tenho tendência em fazer
também no meu trabalho. Em termos de sonho gostava muito de fazer uma série estilo Game of Thrones sobre os descobrimentos portugueses. Como sabemos, é uma história riquíssima mas também um pouco esquecida no resto do mundo. Aquilo que fizemos  naquela altura, com pequenas caravelas e poucos meios chocou o mundo e essa era merece ser contada numa serie fantástica.

I love science fiction and weird movies so David Cronenberg's first films (Naked Lunch, The Fly, Videodrome) are at the top of this list. Sam Raimi and the 80's horror films like Child's Play (Chucky) and Nightmare on Elm Street also had a lot of influence. But I also like quiet and introspective films like Scott Cooper's "Hostiles" - I love his movies.
 In terms of cinematography, I really enjoy the work of Dariusz Khondji in the Jean-Pierre Jeunet films like Delicatessen and La Cité des Enfants Perdus. He's one of my favorite photography directors. The photography, lighting, and tone I most identify with today is Bradford Young's (Arrival, A Most Violent Year, Selma). It uses a darker tone that appeals to me a lot and it's something I tend to do in my work.
In terms of dreams, I would enjoy doing a Game of Thrones style series about the Portuguese discoveries. As we know, it is a rich story but also a little unkown in the rest of the world. What we did at that time, with little caravels and few means shocked the world and that era deserves to be told in a fantastic series.

PC – Como surgiu o projecto “The Head Hunter”? E quais foram as inspirações para o mesmo?/ How did the "The Head Hunter" project come about? And what were the inspirations came from?

KS - Eu e o realizador, Jordan Downey, tínhamos estado a falar sobre ideias que podíamos ir fazer em Portugal, mas mais precisamente em Trás-os-Montes, na pequena aldeia de Soutelo Moursico, de onde é a minha mãe. Eu tinha passado quase toda a minha infância lá e sempre achei que pudesse ser um local fantástico para se filmar algo. Passamos quase um ano a pensar em ideias, sempre de terror ou ficção cientifica, até que nos surgiu esta ideia inicial de um caçador mercenário que estava gravemente ferido entrar pela casa a dentro e com ele trazia um saco com algo misterioso. Esse saco trazia a cabeça do monstro com qual ele tinha acabado de lutar. E foi a partir desta cena que começamos a escrever o argumento à volta desta personagem. 
A principal inspiração foi um filme francês chamado “La Guerre du Feu”, que se trata de um clã neanderthal que está à procura de uma fonte de fogo. É um filme minimalista com pouco diálogo mas com uma história cativante, e em termos de tom queríamos algo parecido misturado com terror.

Me and the director, Jordan Downey, had been talking about movie ideas we could do in Portugal, more precisely in Trás-os-Montes, in the small village of Soutelo Moursico, where my mother is from. I had spent most of my childhood there and always thought it could be a fantastic place to shoot something. We spent almost a year thinking about ideas, always horror or science fiction ideas, until we came up with this initial concept of ​​a seriously injured mercenary hunter entering the house with a bag with something mysterious in it. Inside the bag we fnd the head of the moster that he had just fought. And it was from this scene that we began to write the script of the film.
The main inspiration was a French film called "La Guerre du Feu", which is about a Neanderthal clan that is looking for a fountain of fire. It's a minimalist film with little dialogue but a captivating story, and in terms of tone we wanted something like that mixed with terror.

PC – Quais foram os maiores desafios que o Kevin e a sua Equipa enfrentaram para conseguir fazer este filme? A questão do orçamento foi problemática?/ What were the biggest challenges that you and your team faced to make this movie? Was the budget issue problematic? 

KS - O maior desafio foi mesmo escrever um argumento com uma só personagem e muito pouco diálogo. Tínhamos que contar algo não só interessante mas que o público ia perceber sem problemas. Apesar de tudo, o filme é bastante simples mas são os detalhes que contam - era importante para nós que o público sentisse pelo protagonista, que o filme tivesse emoção, mesmo que o filme fosse de terror e fantasia. Eu acho que sem essa conexão emocional não teríamos o sucesso que temos tido até agora. Não digo que o orçamento tenha sido problemático porque sabíamos sempre o que ia ser e escrevemos o argumento com isso e o local em mente. Quando se decide fazer um filme com quase meios nenhuns é muito importante escrever algo que se possa fazer bem. Ao insinuar, sem mostrar, o universo à volta do protagonista conseguimos construir um mundo fantástico na mente do publico.

The biggest challenge was actually writing an argument with only one character and very little dialogue. We had to tell something not only interesting but that the audience would perceive without problems. After all, the film is quite simple but it's the details that count - it was important to us that the audience felt for the protagonist, that the film had emotion, even if the film was of horror and fantasy. 
I think that without this emotional connection we would not have the success we have had so far. I'm not saying budget was problematic because we always knew what it was going to be, and we wrote the script with it and the location in mind. When deciding to make a movie with almost no means it is very important to write something that can be done well. By insinuating without showing the universe around the protagonist, we managed to build a fantastic world in the public mind.

PC – Um dos melhores elementos do filme são, sem dúvida, os seus belos cenários naturais que servem como perfeito pano de fundo para a história que nos é contada. O que poucos devem saber é que “The Head Hunter” foi gravado na região de Bragança em Portugal. O que o levou a escolher esta região e como descreveria o processo de filmagens? Quais foram os maiores desafios? / One of the best elements of the film are undoubtedly its beautiful natural settings that serve as the perfect backdrop to the story that is told. What few should know is that "The Head Hunter" was shot in the region of Bragança in Portugal. What led you to choose this region and how would you describe the filming process? What were the biggest challenges?

KS . Quando era miúdo, eu passava quase todos os meus verões lá perto da zona de Bragança na pequena aldeia de Soutelo Mourisco. Como eu disse, foi lá que a mãe cresceu e a minha avó ainda vive. Aliás, ela é uma de três pessoas que ainda lá mora! Eu sempre  adorei a aldeia e ainda lá volto quando posso porque é de um sossego inigualável. A zona até é bastante desconhecida para portugueses e por isso achei que ao menos a nível de imagem o filme já ia ser diferente. Desde que eu fui para os Estados Unidos aos 17 anos que eu sempre quis ir lá fazer um filme. E foi em 2017 que finalmente tivemos uma ideia que pudesse ser rodada lá. Por acaso até não tivemos muitos desafios lá - só estávamos a 30 minutos de Bragança por isso se fosse preciso algo podíamos ir lá num instante.

When I was a kid, I spent almost all of my summers in the small village of Soutelo Mourisco. As I said, it was there that my mother grew up and my grandmother still lives there. In fact, she is one of three people who still live there! I have always loved the village and still come back when I can because it has an unequaled peace. The zone is quite unknown even for Portuguese, and so I thought that at least at the image level the film was going to be different. Since I went to the United States at age 17 I always wanted to go back there and make a movie. And it was in 2017 that we finally had an idea that could be run there. We did not even have many challenges at the location - we were only 30 minutes from Bragança so if we needed anything we could go there in no time

PC – Fale-nos um pouco sobre o processo de seleção do elenco, ou melhor, neste caso particular na escolha de Christopher Rygh. Não há dúvidas que a sua performance no filme é estrondosa e ajuda imenso a elevar o ímpeto do mesmo. Como chegaram até Rygh e o que achou da sua performance?/ Tell us a little about the process of the cast selection, or rather in this particular case how you choose Christopher Rygh. There is no doubt that his performance in the film is overwhelming and it helps immensely to raise the momentum of the movie. How did you get to Rygh and what did you think of his performance?

KS - Sim, sem dúvida, ele é fantástico. Encontramos o Christopher na internet num casting site chamado Now Casting acho eu. O engraçado é que pelos vistos ele nunca tinha recebido qualquer trabalho desse site e ele estava prestes a cancelar a subscrição. Mas encontramos-o antes dele fazer isso e quando vimos a foto dele, sabíamos que ele ao menos tinha o aspecto perfeito de guerreiro viking. 
Ele nunca tinha feito um papel numa longa por isso este foi o seu primeiro filme a sério. Então seguimos todos em frente cada um com uma certa confiança que isto iria dar certo. Sem ele e a sua performance não acredito que estaríamos aqui a falar do filme desta maneira. Ele transformou o argumento de uma maneira que não poderíamos ter imaginado.

Yes indeed, he is fantastic. We found Christopher on the internet on a casting site called Now Casting. The funny thing is that apparently he had never received any work from this site and he was about to cancel the subscription. But we found him before he did that and when we saw his picture, we knew he had the perfect Viking warrior look. He had never played a role in a feature filme, so this was his first serious film. So we all went ahead with each one with some confidence that this would work out. Without him and his performance I do not believe we would be talking about the movie in this way. He transformed the script in a way we could not have imagined.

PC – Falando um pouco mais de questões técnicas, uma das partes importantes do ambiente criado por “The Head Hunter” são as Criaturas que habitam o Mundo. Ao longo do filme são expostos deliciosos detalhes técnicos que ilustram tais criaturas e transitem, assim, na perfeição um forte sentimento mágico ao espectador. Fale-nos um pouco da base de pensamento por detrás de tais momentos e, claro está, do seu processo de criação e inclusão no filme. / Speaking a little more about the technical questions. One of the important elements of the environment created by "The Head Hunter" are the Creatures that inhabit the World. Throughout the film we are exposed to delicious technical details that illustrate such creatures and perfectly convey a strong magical feeling to the viewer. Tell us a bit about the basis of thought behind such elements.

KS - Nós sempre queríamos construir um mundo mágico e misterioso aos arredores desta personagem mas sem expor demasiado e de ver tudo pelo ponto de vista dele. Claro que com um orçamento quase inexistente tínhamos que ser criativos com aquilo que podíamos mostrar à audiência. Se tivéssemos decidido de mostrar batalhas com estes monstros não ia sair bem, por isso tivemos a ideia de mostrar o estado dele e o dos monstros após essa tal luta. Com isso em mente conseguimos sugerir um mundo cheio de criaturas sem ter momentos fracos que iam tirar o público do filme.

We always wanted to build a magical and mysterious world around this character but without exposing too much and seeing everything from his point of view. Of course with a almost nonexistent  budget, so we had to be creative with what we could show the audience. If we had decided to show battles with these monsters, that would not go well, so we had the idea to show the state of him and the monsters after this fight. With that in mind we managed to suggest a world full of creatures without having weak moments that would get the audience out of the movie.

PC – Como descreve o resultado final? Acha que o Kevin e a sua Equipa conseguiram passar para o Ecrã a ideia que levou ao projeto? Quais são as suas esperanças e objetivos para o filme?/ How do you describe the end result? Do you think you and your team were able to pass on to the screen the idea that led to this project? What are your hopes and goals for the film?

KS - Sinceramente, estamos muito contentes com tudo. Não podíamos ter esperado uma saída melhor. O filme está a ser visto bastante e é isso que interessa quase mais que outra coisa. Eu acho que a pior coisa que possa acontecer a um filme independente é que ele não seja visto. Quando embarcamos para fazer um filme com um orçamento de $30,000 em Trás-os-Montes nunca teríamos imaginado que estaríamos ao lado do Aquaman e do Spiderman no iTunes. Nós apenas queríamos fazer outra longa e de certa forma criar a nossa própria sorte… E acho que até agora conseguimos esse objetivo.

Honestly, we are very happy with everything. We could not have hoped for a better outcome. The film is being seen a lot and that's what matters almost more than anything else. I think the worst thing that can happen to an independent movie is that it's not seen by anyone. When we embarked to make a $ 30,000 movie at Trás-os-Montes we would never have imagined that we would be next to Aquaman and Spiderman on iTunes. We just wanted to do another feature and in a way create our own luck ... And I think we have achieved that goal so far.

PC– “The Head Hunter” esteve em Competição no FantasPorto e até venceu vários prémios. O que representou para si a presença neste festival? E após o FantasPorto, o que é que se segue no percurso do filme? Poderemos ver “The Head Hunter” nas salas de cinema comerciais?/ "The Head Hunter" was selected for the Oficial Competition of FantasPorto and even won several awards. What was like to be part of this festival? And after FantasPorto, what's next forthe movie? Will we see "The Head Hunter" in commercial movie theaters?

KS - Foi uma honra tremenda. Eu cresci no Porto sempre a pensar que um dia poderia ter lá um filme por isso foi um momento que me diz muito. Eu saí de Portugal com 17 anos e já estou nos Estados Unidos há mais de 15 anos - de poder voltar e mostrar este filme que tem alma portuguesa foi um sonho. O filme saiu em digital e nas salas de cinema aqui nos Estados Unidos a dia 5 de Abril. Agora o DVD vai lançar a dia 7 de Maio acho eu. A seguir a isso, a esperança é que ele possa ir para uma plataforma SVOD (subscription video on demand) tipo Netflix, Hulu ou Shudder. Depois vai saido em diversos países como a Alemanha, Rússia e Inglaterra até agora. Espero que Portugal possa comprar os direitos também!

It was a tremendous honor. I grew up in Oporto always thinking that one day I could have a movie there, so it was a moment that was very important. I left Portugal at age 17 and I've been in the United States for more than 15 years - to be able to come back and show this film that has a Portuguese soul was a dream come true. 
The film was released in digital and movie theaters here in the United States on April 5. Now the DVD will launch on May 7th I think. Following that, the hope is that it can go on a SVOD (subscription video on demand) platform like Netflix, Hulu or Shudder. Then it goes out in several countries like Germany, Russia and England until now. I hope Portugal can buy the rights too!

PC – E o que nos pode dizer sobre os seus projetos futuros? O seu futuro profissional passará por Portugal ou poderá haver uma aposta no estrangeiro?/ And what can you tell us about your future projects? Will your professional future pass through Portugal or can there be a bet abroad? 

KS - Em termos de projetos futuros, a ideia é de começar uma produtora (Brayne Studios) baseada no método com o qual temos feitos estes filmes: com poucos recursos mas onde nós controlamos e fazemos quase tudo porque é assim que conseguimos ter grande qualidade com orçamentos baixos. Uma espécie de uma nova Blumhouse Productions por exemplo, ou aquilo que fez o Robert Rodriguez com o Desperado. Temos ideias para expandir este mundo do The Head Hunter - ainda há muito por explorar ali.
Sem duvida nenhuma que passarei por Portugal outra vez - como já disse mais acima, o meu sonho é fazer uma série sobre os descobrimentos. Adoraria poder continuar a minha carreira a fazer projectos tanto nos Estados Unidos como em Portugal - assim consigo fazer aquilo que adoro junto da minha família e da minha pátria.

In terms of future projects, the idea is to start a production company (Brayne Studios) based on the method with which we have made these films: with few resources but where we control and do almost everything because that is how we get great quality with low budgets . A kind of new Blumhouse Productions for example, or what Robert Rodriguez did with Desperado. We have ideas to expand this world of The Head Hunter - there is much to explore there. 
There is no doubt in my mind that I will comeback to Portugal again - as I said above, my dream is to make a series about the discoveries. I would love to continue my career to do projects both in the United States and in Portugal - so I can do what I love with my family and my country.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas