Crítica - O Troll da Montanha (2022)

Crítica - O Troll da Montanha (2022)

Realizado por Roar Uthaug

Com  Ine Marie Wilmann, Mads Sjøgård Pettersen, Gard B. Eidsvold


Lembra-se de "Troll Hunter"? Este filme de terror indie nórdico foi um sucesso e, agora, na tentativa de replicar a sua vasta popularidade, a Netflix lançou um filme com temática similar que tem como base a mitologia nórdica e as fábulas norueguesas. Trata-se de "O Troll da Montanha", um filme de ação e fantasia que é realizado por Roar Uthaug, criador da mais recente adaptação cinematográfica do videojogo "Tomb Raider". 
Ine Marie Wilmann, Mads Sjøgård Pettersen, Gard B. Eidsvold e Pål Richard Lunderby integram o elenco desta super produção norueguesa que tem como vilão um Troll gigante que, após acordar do seu sono, parte em direção a Oslo, capital da Noruega, destruindo tudo pelo seu caminho. Será que alguém o conseguirá deter?
Já um sucesso na Netflix, onde já atingiu o topo da lista de filmes mais vistos da semana em todos os principais mercados, "O Troll da Montanha" é, acima de tudo, um blockbuster com um estilo muito hollywoodiano. Está portanto muito distante do menos polido mas mais aguerrido "Troll Hunter", obra verdadeiramente indie que prima essencialmente pelo fator surpresa e por um terror repleto de suspense e muito bem montado. "O Troll da Montanha" foca-se mais na ação, já que se aproxima mais de um filme de monstros ao estilo de "King Kong" ou "Godzilla" do que propriamente de um filme de terror sobre uma criatura lendária que aterroriza a Humanidade.
Mesmo no papel de blockbuster/ filme de ação, "O Troll da Montanha" revela-se competente. É verdade que o seu argumento não tem grande fluidez narrativa e não apresenta propriamente vastos rasgos criativos, mas ainda assim entrega uma história com uma forma simples, mas que se torna eficaz na hora de promover entretenimento. É verdade que poderia ter existido um pouco mais de ambição e poderia ter existido uma aposta séria no lado mais negro das lendas norueguesas e da criatura mitológica que lhe da nome, mas percebe-se que o grande foco era criar um filme com sequências dignas de blockbuster e inclinadas para a ação do que propriamente uma história com forte densidade narrativa.

Classificação - 3 Estrelas em 5


Enviar um comentário

0 Comentários