Mais Recentes

Post Top Ad

Your Ad Spot

segunda-feira, junho 10, 2019

Entrevista a Göran Lundström, o Famoso Maquilhador FX de Cinema Nomeado Ao Óscar de Melhor Caracterização por Border!

Entrevista a Göran Lundström, o Famoso Maquilhador FX de Cinema Nomeado Ao Óscar de Melhor Caracterização por Border!
Göran Lundström

O Portal Cinema teve o prazer de entrevistar  Göran Lundström, um dos Maquilhadores de Efeitos Especiais para Cinema/Televisão mais famosos do Mundo que, este ano, recebeu uma nomeação ao Óscar de Melhor Caracterização pelo seu trabalho no filme sueco "Border". É claro que "Boder" é apenas o mais recente projeto mediático deste talentoso perito, cujo vasto e ilustre currículo conta também com importantes colaborações em filmes mediáticos como "The Wolfman" ou, recentemente, nas séries "True Detective" e "Genius: Picasso".  Falamos com Lundström sobre o seu superlativo processo criativo em "Border", mas também abordamos o seu passado numa tentativa de compreender o que o move e qual o seu processo criativo. O resultado? Uma conversa bastante interessante e elucidativa que nos dá a conhecer um pouco melhor o mundo da Caracterização em Filmes e Séries. Após termos entrevistado o figurinista luso-canadiano Luís Sequeira, que em 2018 recebeu uma nomeação ao Óscar de Melhor Guarda Roupa, o Portal Cinema volta assim a entrevistar mais um nomeado aos Óscares que é um perito numa importante profissão técnica muitas vezes menosprezada ou ignorada mas que, cada vez mais, assume-se como uma parte fundamental da indústria do entretenimento. 

Portal Cinema had the distinguished honor of interviewing Göran Lundström, one of the world's most famous Film / Television FX Make-Artists who recently received an Oscar nomination for his work on the Swedish film "Border". Of course "Border" is just the latest project of this talented expert, whose vast and illustrious CV also includes important collaborations in popular films like "The Wolfman" or recently in the series "True Detective" and "Genius: Picasso ". We talked to Lundström about his superlative creative process in "Border", but we also approach his past in an attempt to understand what moves him and what's the basis for his creative process. The end result? A very interesting and elucidative conversation that gives us a better knowledge of the unparalleled world of Makeup in Movies and TV Series. After interviewing the Portuguese-Canadian costume designer Luís Sequeira, who in 2018 received an Oscar nomination for Best Costume Design, Portal Cinema interviews one more Oscar Nominee who is an expert in an important technical field often overlooked or ignored by the media but that in recent years has began to a assume an increasingly important role in the entertainment industry.


Portal Cinema (PC) – Pode-nos dizer como é que começou nesta indústria altamente competitiva? O que o levou a apaixonar-se pela profissão de Maquilhagem dentro da Indústria Cinematográfica e Televisiva? E quais são as suas grandes inspirações? / Can you tell us how did you start in this highly competitive and detailed industry and what made you fall in love for the Makeup/ Visual Department profession, namely within the Film and TV Industry? And what where you major inspirations starting up? 

Göran Lundström (GL) - Ever since I was a kid I've been quite artistic and wanted to work in the film industry. In my early teens I found out what special makeup FX was and discovered who Rick Baker was. Something about creating realistic looking creatures and makeups just fascinated me. Visual Effects or other types of practical effects doesn't fascinate me as much as creating living characters. Rick Baker's work for "An American Werewolf in London" and Michael Jacksons "Thriller" definitely got me started to want to learn this job.

Tradução - Desde criança que sou bastante artístico e sempre quis trabalhar na indústria cinematográfica. No começo da adolescência descobri o que era a Maquilhagem Especial FX e descobri quem era o lendário Rick Baker. Havia algo na criação de grandes criaturas realistas por via de maquilhagens que me deixou fascinado. Os Efeitos Visuais ou outros tipos de Efeitos não me fascinam tanto quanto o processo de criar personagens vivos por via da Caracterização. O trabalho de Rick Baker para "Um Lobisomem Americano em Londres" e no icónico videoclip de Michael Jacksons para o single "Thriller" fizeram-me definitivamente começar a querer aprender mais sobre esta profissão.
PC - Recentemente recebeu uma merecida nomeação para o Óscar de Melhor Caracterização pelo filme sueco “Border”, uma das maiores surpresas de 2018. Pode-nos contar mais sobre o seu processo de trabalho para este filme e o que o inspirou para criar os looks deslumbrantes dos personagens? Quais foram os principais desafios que enfrentou durante processo? E como foi trabalhar com Pamela Goldammer? / You recently got a well-deserved nomination for the Academy Award of Best Makeupand Hairstyle for the Swedish film “Border”, one of the biggest surprises of the 2018 Film Year. Can you tell us about your work process for this film and what inspired you to create the stunning looks of the characters? What were the main challenges you faced during that process? And how was working with Pamela Goldammer?

GL - Me and Pamela are still  trying to figure out  why these makeups were so successful. Going into that job, I can say it seemed a very short job with very little input from the director. I got the first phone call during my vacation in July 2017. I knew that by accepting the job, I would only have 5 weeks to come up with the look of the 2 lead characters and produce the prothetics before I had to hand the job over to someone else for the shoot. I was already hired to supervise the prosthetic work for NatGeos TV series "Genius: Picasso", starring Antonio Banderas, and that would overlap with the shoot for "Border".
Going into any makeup job you need to hear the directors vision. Whatever his or her vision is you need to use that as your starting point. From then on you can usually make it your own and in some cases the work evolves so much that the end result will be very different from the original vision, but then you have the director on board through the whole process. I knew from reading the script that I wanted them to look very human. There should be no doubt when you saw them that they were real. I wanted to stay away from the fantasy element and not making them into fairy tale creatures. I looked at a lot of disfigurements to figure out where we wanted to take it.
Our director Ali Abbassi had Neanderthals as his original idea. I wanted to stay away from the Neanderthal Look since they are an actual thing, so thinking of what, especially our female character, Tina would look like as a Neanderthal I opted to just make her look less feminine. 
I found a good reference for an interesting face in British actor Eddie Marsan and we did a first test makeup sculpting similar features on the actresses face. Adding male features to a female face gave her a very odd but realistic look that worked! We tried different wigs on and we had made some temporary dentures to make her mouth asymmetrical. Again, I didn't want the teeth to push her mouth out like on a Neanderthal. I just give her enough change to distort her mouth a little and make her less pretty, without being obvious. 
For the final makeup, I made some changes based on what I saw in the test. Her nose looked too big for her face and it made the makeup look a little "masky". I made the new nose smaller and implemented some animalistic features by making the nose bridge wider on top and give her prolonged ear tops. We tried some contact lenses to make the irises bigger like on an animal, but we ordered them too late to make the adjustments we needed so we had to scrap them. We made a wig in a dull colour and cut it to look plain and unstylish. We wanted to convey that she doesn't feel pretty, so she's not making the effort. 
Working with Pamela was a delight. We were really lucky to get her. We had never worked side by side before and didn't really know each other, even though we've been on the same projects before in London. Because of my involvement with "Genius: Picasso", I could only overlap with Pamela for 2 days and she was thrown into that makeup and make it her own quickly. They started filming 2 days after she saw the makeups for the first time! She is a really good artist and a great collaborator. She had seen pictures of my test makeup and she conferred with me for the first few weeks and wanted my input about what she was doing. Since I designed and sculpted the lead makeup, I saw things that might not look the way I intended, but with Pamela's application it was very minimal what I wanted to improve. Nothing more than I would have realized doing the application myself.

Tradução -  A Pamela e Eu estamos ainda a tentar perceber o porque de essas maquilhagens terem sido tão bem sucedidas. Posso dizer que foi um trabalho muito curto com muito pouca participação do realizador. Recebi um primeiro telefonema durante as minhas férias em Julho de 2017. Então, aceitando o trabalho, sabia que teria apenas 5 semanas para apresentar o visual dos dois personagens principais e produzir os prostéticos antes de entregar o trabalho a alguém que viria a trabalhar mais perto das filmagens. Isto porque não poderia participar nas mesmas, porque na altura  já tinha sido contratado para supervisionar o trabalho de próteses para a série de TV de NatGeos "Genius: Picasso", protagonizado Antonio Banderas, e isso iria sobrepor-se às filmagens de "Border". 
Entrando em qualquer trabalho de caracterização tens sempre que saber de antemão qual é a visão dos realizadores. Seja qual for a sua visão, tens que usá-la como ponto de partida. A partir desse ponto podes tornar essa visão na tua própria visão e, em alguns casos, o trabalho evolui tanto que é muito diferente da visão original, mas depois, nessa fase, já tens o realizador a bordo porque este acompanhou-te durante todo o processo. Eu sabia, lendo o argumento, que queria que eles (os protagonistas) parecessem muito humanos. Não pode haver dúvidas que, quando os vir, eles devem parecer reais. Queria ficar longe do elemento da fantasia e, por isso, não queria transformá-los em criaturas de contos de fadas. Olhei para muitas desfigurações para descobrir até onde queríamos levar o processo criativo. 
O nosso realizador, Ali Abbassi, tinha o Look dos Neandertais como a sua visão original. Mas eu queria ficar bem longe do look Neandertal, uma vez que eles foram uma coisa real e eu queria algo novo. Mas seguindo o conceito do Neandertal, optei por imaginar como é que a Tina ficaria com esse aspeto e, aí sim, optei por torna-la menos feminina.
Encontrei uma boa referência para um rosto interessante para a Tina no ator britânico Eddie Marsan e fizemos um primeiro teste de modelagem de maquilhagem com características semelhantes no rosto da atriz. Deu-lhe um olhar muito estranho, mas realista, já que permitiu adicionar características masculinas a um rosto feminino. Experimentamos diferentes perucas e fizemos algumas próteses provisórias para deixar a boca assimétrica. Mais uma vez, eu não queria que os dentes empurrassem a boca como acontece num Neanderthal. Por isso apenas optei por uma mudança suficiente para distorcer um pouco a sua boca e torná-la menos bonita, sem ser óbvia. Para a maquinagem final fiz algumas alterações com base no que vi no teste. O seu nariz parecia grande demais para o rosto e fazia a caracterização parecer um pouco "masky". Eu fiz um novo nariz mais pequeno e implementei algumas características animalescas, fazendo a ponte do nariz mais larga em cima e dando-lhe protetores auriculares prolongados. Nós tentamos algumas lentes de contacto para tornar as íris maiores como num animal, mas encomendamos-las muito tarde para fazer os ajustes que precisávamos, por isso tivemos que abandonar essa ideia. Fizemos também uma peruca com uma cor opaca e cortamos-la para parecer simples e sem graça. Queríamos transmitir que ela não se sente bonita, então ela não promove qualquer esforço para ficar bonita. 
Trabalhar com a Pamela foi uma delícia. Nós tivemos muita sorte em conseguir tê-la na nossa equipa. Nunca tínhamos trabalhado lado a lado e realmente não nos conhecíamos, apesar de termos participado em alguns projetos em Londres, no entanto, o nosso trabalho nunca coincidiu. Por causa do meu envolvimento em "Genius: Picasso" só poderia trabalhar com a Pamela durante dois dias e, por isso, ela foi atirada para aquele processo de uma forma caótica, mas conseguiu assimilar todas as ideias e finalizou com sucesso o projeto. Só para terem uma ideia, as filmagens começaram apenas dois dias depois de ela ter visto as  maquilhagens pela primeira vez! Ela é uma ótima artista e uma ótima colaboradora. Ela tinha visto fotos da minha maquilhagem de teste e conferiu comigo nas primeiras semanas todos os pormenores, já que queria a minha opinião sobre o que estava a fazer. Fui eu que projetei e esculpi a maquilhagem principal e, nesse processo, vi coisas que não ficaram do jeito que eu pretendia, mas com a aplicação fenomenal da Pamela tais falhas foram minoradas e, no final, aquilo que queria melhorar acabou por ser muito reduzido. 

PC - O que significou receber uma nomeação aos Óscares, ao lado de Pamela Goldammer, pelo seu trabalho em “Border”? E como reagiu às notícias? / What did it meant receiving an Oscar Nomination, alongside Pamela Goldammer, for your work in “Border”? And how did you react to the news?

GL - Getting an Oscar nomination foremost means that we have done something right. Both me and Pamela always strive to improve our work every chance we get. And getting this nomination I think made us value our gut feeling about our work more. Getting the news is a step by step thing. You apply to be considered for your work and then there's a process where you, if picked, get to show your work at the Academy in L-A. When the announcement was made we were watching it live and I just wanted it to be over, whether we got it or not. I'm not doing this work to get affirmation from other people, so I didn't want this to be too important. When I saw my name come up, I was mostly relived that the anticipation was over! And within 30 seconds of finding out my phone started ringing and journalists wanted to know how I felt. So I didn't really had time to feel that much before. I was thrown into this whirlwind of attention! Afterwards I'm definitely happy and proud of what it means to get an Oscar nomination.

Tradução - Conseguir uma nomeação aos Óscares significa, acima de tudo, que fizemos algo bem. Tanto eu como a Pamela sempre nos esforçamos para melhorar o nosso trabalho a cada oportunidade que temos. E receber esta nomeação fez-nos valorizar um pouco mais a nossa intuição sobre o nosso trabalho. Considero que o processo de “receber a notícia” da nomeação é uma viagem. Temos que nos inscrever primeiramente para o trabalho ser considerado e , em seguida, há um processo em que, se fores escolhido, podes mostrar o teu trabalho na Academia em Los Angeles. Nós acompanhamos a Cerimónia do Anúncio de Nomeações ao vivo via streaming e, para ser franco, só queria que aquilo acabasse, independentemente de termos conseguido ou não a nomeação. Não faço este trabalho para obter a afirmação de outras pessoas, por isso não queria que isto tudo se tornasse importante demais. Quando vi o meu nome entre os nomeados fiquei principalmente aliviado por já não sentir ansiedade derivada da expectativa.  E 30 Segundos depois de descobrir que estava nomeado, o meu telefone começou a tocar e, do outro lado, estavam os jornalistas que queriam saber como é que me sentia. Pode-se portanto dizer que realmente não tive grande tempo para sentir fosse o que fosse, porque fui logo colocado neste turbilhão de atenção! Mas posso dizer que estou definitivamente agradecido e orgulhoso por ter recebido uma nomeação a um Óscar.

PC - Nos últimos anos trabalhou em alguns blockbusters de Hollywood que foram altamente elogiados pelos seus elementos visuais, incluindoA Bela e o Monstro”, “Cloud Atlas”, “Fúria de Titãs”, “O Lobisomem” ou “Harry Potter e os Talismas da Morte: Parte 2. Qual foi seu primeiro contato com Hollywood e como descreve o seu relacionamento com a indústria cinematográfica dos EUA? In recent years you’ve worked in some Hollywood Blockbusters that were highly praised for their Visual Elements, including “Beauty and the Beast”, “Cloud Atlas”, “Wrath of the Titans”, “The Wolfman” or “Harry Potter and the Deathly Hallows Part 2”. What was your first contact with Hollywood and how do you describe your relationship with the US Film Industry?

GL - My first contact with Hollywood was visiting LA in 1991. I got to meet some of my heroes, like Rick Baker and Steve Johnson. I tend to work on Hollywood-produced movies that are being made outside of the US. In 1993, I got to work on some low budget, Hollywood produced, horror movies and really liked their approach at doing big effects. Everything was doable in their mind, and by learning more about this job over the years I agree with that concept, because everything is indeed doeable, to different degrees of success of course. 
Last year I got a work permit to work on-set for Season 3 of "True Detective" in the US, which only happened because I was hired by someone who really wanted my skills and because I had a lot of films on my CV, so I was able to be approved for a work visa. I usually take on jobs outside of my own company when I need a break. Supervising makeups fx is hard work and on occassion I need a break from dealing with the worries of budgets and scheduling and just focus on the art. So working for someone else makes that a lot easier.

Tradução - O meu primeiro contacto com Hollywood foi quando visitei Los Angeles em 1991. Nessa altura conheci alguns dos meus heróis, como Rick Baker e Steve Johnson. Costumo trabalhar em filmes produzidos em Hollywood que estão sendo feitos fora dos EUA. Em 1993, comecei a trabalhar em filmes de terror de baixo orçamento, produzidos em Hollywood, e realmente gostei da sua abordagem criativa e no seu pensamento de como fazer grandes efeitos. Tudo era executável. E, ao aprender mais sobre este trabalho ao longo dos anos sou obrigado a concordar, tudo é realmente executável, mas tudo depende dos diferentes graus de sucesso é claro. 
No ano passado consegui uma permissão de trabalho nos Estados Unidos para trabalhar presencialmente no set da Temporada 3 de "True Detective". Mas sei que que tal só aconteceu porque fui contratado por alguém que realmente queria ter as minhas habilidades no seu projeto e porque já tinha muitos filmes no meu CV, algo que me permitiu ser aprovado para um visto de trabalho. 
Por norma faço trabalhos fora da minha própria empresa quando preciso de uma pausa. Supervisionar Maquilhagem é um trabalho árduo e, por vezes, preciso de uma pausa para lidar com as preocupações de orçamentos e agendamentos para assim me concentrar mais naquilo que mais importante: a arte. Então trabalhar para outra pessoa torna este foco na arte muito mais fácil.

PC -  O seu CV mostra trabalhos incríveis nos EUA e na Europa, mas o que difere (caso difira alguma coisa), na sua opinião, a indústria de Cinema e TV em ambos os mercados em relação ao Departamento de Maquiagem? / You’ve done amazing work in the US and Europe, but what differs (if any), in your opinion, the film and tv industry in both markets regarding the Makeup department?

GL - I like working on big-budget productions in Europe and the US. You really get the chance to push yourself and do the best job possible most of the times. Here in Sweden, where my company is based, budgets limit what you can do and how much time you can spend on things. One noticable difference between films shot in, let's say, the UK, Germany and Scandinavia, and films shot in the US or in other countries with less restrictions, is that the work hours tend to be much longer for the US productions.

Tradução - Gosto de trabalhar em produções de grande orçamento na Europa e nos EUA. Nestes projetos tens realmente a oportunidade de te esforçares e fazeres o melhor trabalho possível. Aqui na Suécia, onde minha empresa está localizada, os orçamentos limitam o que podes fazer e quanto tempo podes gastar com as coisas. Uma diferença notável entre filmes gravados, digamos, no Reino Unido, Alemanha e Escandinávia, e filmes rodados nos EUA ou em outros países com menos restrições, é que as horas de trabalho tendem a ser muito maiores, ou seja, nas produções dos EUA acabamos por dispor muito mais do nosso tempo porque a carga de trabalho costuma ser bem maior e as regras laborais são bem menos apertadas. 

PC - Sei que é uma pergunta realmente injusta, mas tem algum projeto favorito que se destaque do resto? Alguma criação que se destaca? / I know it’s a truly unfair question, but do you have any favorite project that stands out form the rest? Any creation that stands out? 

GL - "The Wolfman" was a milestone since I got to work for my hero Rick Baker. The makeup work of that project was also awarded an Oscar.

Tradução - "O Lobisomem" foi um marco porque tive a oportunidade de trabalhar para o meu herói Rick Baker. E o trabalho de maquilhagem acabou mesmo por ser premiado com um Óscar.


PC – Também trabalhou em programas de TV, como "True Detective", "Genius" e "Little Britain". O que difere, na sua opinião, o trabalho de um departamento de maquilhagem numa série do mesmo trabalho num filme? / You’ve also worked in TV Shows, namely on “True Detective”, “Genius” and “Little Britain”. What differs, in your opinion, the work of a Makeup Department in a TV Show and in a Film?

GL -  TV Shows usually have less prep time and lower budgets. But things have changed in the film industry so it's not necessarily as true anymore, since films have less prep time nowadays as well. Expectations on the production values for television has gone up considerably in the past years, so I think audiences expects a similar quality.

Tradução - As séries geralmente têm menos tempo de preparação e orçamentos menores. Mas as coisas mudaram na indústria cinematográfica, então este ponto já não é necessariamente uma verdade absoluta nos dias que correm, já que os filmes também têm cada vez menos tempo de preparação. As expectativas sobre o valor da produção para a televisão também aumentaram consideravelmente nos últimos anos, então acho que o público espera uma qualidade semelhante à de um filme.

PC – Na sua opinião, como é que vê o futuro do departamento da maquilhagem no Cinema e Televisão? E qual é o melhor conselho que pode dar a quem está a tentar entrar nesta profissão? / In your opinion, how do you see the field of Makeup in the Film and TV Industry going forward? And what’s the best advice you can give to anyone who’s trying to make it in this field? 

GL - It seems that we have more work today than ever before. Films and even Television nowadays require so much effects that every department is needed. The best advice that I can give people wanting to do this type of work is that they are passionate and dedicated to the craft. There is no fame in this industry and you get very little appreciation for your work. It is hard work to learn this job and to work in this area. We work really long hours, we are rarely satisfied with the results we achieve (it can always be better) and you don't get rich by doing this. But if you love the actual craft that doesn't matter. 
I usually compare this to doing sports or music. You have to be passionate enough to spend a lot of your spare time getting better without being paid. It takes years to get really good at this and a lot of struggle. But it's also a lot of fun! Like any sport or music, you need to reach a certain level of knowledge and skill before you can play with others. And then your skills will reflect on what level you will play and who you will play with. Schools are only good for acquiring knowledge, you don't get any skills from a school. That takes practice and more practice. 

Tradução - Parece que temos mais trabalho hoje do que nunca. Filmes e até mesmo a Televisão exigem hoje em dia tanto trabalho de efeitos que todos os departamentos, incluindo o de maquilhagem, são necessários.  O melhor conselho que posso dar às pessoas que querem trabalhar com isto é serem completamente apaixonados e dedicados ao ofício. Não há fama nesta indústria e qualquer artista neste ramo tem muito pouca apreciação das produções pelo seu trabalho. É um trabalho difícil de aprender, mas é também muito complicado trabalhar nesta área do cinema. Trabalhamos muitas horas, raramente estamos satisfeitos com os resultados que alcançamos (pode ser sempre melhor) e tu não ficas rico por fazer isto. Mas se tu ama verdadeiramente o ofício, isso acaba por não importar. 
Costumo comparar esta profissão com a prática de desportos ou  até com a própria música. Tens que ser apaixonado o suficiente para gastar muito do teu tempo livre para ficar melhor e estares mentalmente preparado para não seres pago pelo que fazes. São precisos anos para te tornares realmente bom nesta área. Mas também é um processo muito divertido!  Como qualquer desporto ou profissão musical tens sempre que atingir um certo nível de conhecimento e habilidade antes de poderes estar lado a lado com os melhores. E então, só aí,  as tuas habilidades reflectirão em que nível é que jogarás e com quem jogarás. As Escolas só são boas para adquirir conhecimento, mas não recebes nenhuma habilidade de uma escola. Isso requer prática e mais prática.

9 - Por último, mas não menos importante, pode-nos dizer o que podemos esperar de si num futuro próximo? Algum novo projeto em andamento?/  Last but not least, can you tell us what can we expect from you in the near future? Any new projects in the works?

GL -  Things have been somewhat different since my Oscar Nomination, I feel more inclined to focus on taking on work I really want to do and where my skills will make a difference, and not take on just any job. I have plenty of projects in the pipeline, but nothing I can talk about as of yet. But they are both domestic and international projects.

Tradução - As coisas têm sido um pouco diferentes desde a minha nomeação ao Óscar. Sinto-me mais inclinado a me concentrar em assumir o trabalho que eu realmente quero fazer e onde minhas capacidades vão fazer a diferença, não assumindo assim qualquer trabalho. Tenho muitos projetos em andamento, mas nada do que posso falar ainda. Mas ambos são projetos domésticos e internacionais.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas