Ticker

6/recent/ticker-posts

Crítica - The Prom (2020)

Crítica - The Prom (2020)


Realizado por Ryan Murphy

Com Meryl Streep, Nicole Kidman, James Corden


A relação de Meryl Streep com a Netflix não é a melhor. E não falo da relação comercial, porque essa parece ser excelente, mas sim da relação entre Streep e a qualidade das obras da Netflix que protagoniza. É porque após ter protagonizado o mediano thriller "The Laundromat", Streep encabeça novamente o elenco de mais um filme original da Netflix. Falo claro está de "The Prom", um musical de Ryan Murphy que, tal como o thriller de Steven Soderbergh, deixa muito a desejar a todos os níveis. 

Streep parece estar numa fase da sua carreira onde se dá ao luxo de poder escolher papéis pelo simples prazer de os interpretar. É um luxo que conquistou devido ao seu grande sucesso e talento, mas acima de tudo é um luxo que lhe é permitido. Os últimos anos têm sido por isso estranhos para a carreira desta atriz que tem  optado por alternar entre grandes performances em dramas com características similares aos que, no passado, a ajudaram a transformar a sua carreira, com obras um pouco diferentes do seu estilo habitual. E após protagonizar os musicais "Mamma Mia" e "Into the Woods", duas dessas produções diferentes, Streep voltou, em 2020, a subir ao palco musical para protagonizar mais um filme do género musical que (a julgar pela vontade da lendária atriz em fazer este tipo de filmes) parece estar entre as suas preferências pessoais. Em "Mamma Mia" e "Into the Woods" até se conseguiu safar, nas já em "The Prom" não consegui escapar às criticas. Mas não é só Streep que não fica imune a comentários negativos, porque o restante elenco, que inclui James Corden ou Nicole Kidman, também recebe uma nota negativa por uma performance abaixo da média. E no caso de Corden este é o segundo musical em que participa consecutivamente e que volta a não convencer, apesar de "The Prom" ser ligeiramente superior a "Cats" em todos os níveis...

O elenco tem, no global, uma má performance que pode ser explicada (em parte) por um argumento desinspirado. "The Prom" é baseado no homónimo musical que começou em Atlanta e chegou à Broadway em 2018, pelo que a base narrativa não é diferente entre os dois projetos. Mas infelizmente a adaptação da história da Broadway (apesar do musical não ter começado aqui) para o Cinema não é, de todo, um triunfo. A prova é que sentimos grande dificuldade para simpatizar com a história de Emma, uma adolescente de Indiana que é vítima de bullying e descriminação por parte da comunidade escolar quando decide levar a sua namorada como par ao baile de finalistas, sendo posteriormente salva por um quarteto de estrelas da Broadway que já viveram melhores dias.  E isto acontece porque o melodrama presente é tão mal construído e tão forçado que, a dada altura, até ficamos com pena do povo do Indiana por este ser retratado como um povo tão saloio e mal caricaturado.

Se o contexto dramático e emocional de "The Prom" é péssimo, então o que dizer das suas sequências musicais que deveriam ser a sua salvação? Estas são pessimamente orquestradas e apresentam, no global, uma nota artística a roçar o 0. Seria de esperar algo muito melhor de uma equipa que trabalhou com a Broadway e que é comandada por Ryan Murphy, um cineasta que se deu a conhecer com "Glee", uma série musical cheia de sequências musicais de alta qualidade...

"The Prom" é um tiro ao lado. Tenho ainda bem presente na memória o desastre que foi "Cats" e, talvez por isso, não encare esta obra de Ryan Murphy como uma catástrofe completa. Mas não há dúvidas de que é um mau musical que se arrasta por mais de duas horas.....


Classificação - 1,5 Estrelas em 5

Enviar um comentário

0 Comentários